Judiciário determina afastamento do prefeito de Indiaroba

0
Segundo o Gaeco, o prefeito Adinaldo do Nascimento já foi notificado da decisão (foto: Portal Infonet)

Em atendimento a pedido de medidas cautelares formulado pelo Ministério Público de Sergipe, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), o Poder Judiciário determinou a suspensão do exercício da função pública, com o consequente afastamento do cargo, do prefeito do Município de Indiaroba, Adinaldo do Nascimento Santos. O Gaeco notificou pessoalmente o gestor da decisão nesta terça-feira, 22.

O prefeito e mais três empresas são investigados em procedimento conduzido pela 11ª Procuradoria de Justiça Criminal, com apoio do Gaeco, por supostos desvios de recursos públicos na prestação do serviço de coleta de lixo e limpeza urbana, com dispensa irregular e burla à lei de licitações, causando um prejuízo aos cofres públicos de aproximadamente R$ 5.871.305,04 (cinco milhões, oitocentos e setenta e um mil, trezentos e cinco reais e quatro centavos).

O Judiciário também determinou a proibição de acesso ou frequência, pelo prefeito afastado, à Prefeitura, bem como a qualquer órgão da administração direta, indireta, autárquica ou fundacional do Município, exceto hospitais e postos de saúde, quando precisarem de atendimento; a proibição de manter contato com servidores públicos em atividade no Município, independente do vínculo destes com a Administração, e com os demais investigados; o comparecimento mensal ao Juízo, até o 5º dia útil, para informar e justificar as atividades, até o final da instrução processual; e o recolhimento domiciliar no período noturno, a partir das 21 horas, nos dias úteis, e nos finais de semana e feriados o dia todo, até a conclusão da futura ação penal.

Em julho, o Gaeco deflagrou a “Operação Divisa” e cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços residenciais, empresariais e de órgãos públicos em Indiaroba e em outros Municípios de Sergipe e da Bahia.

O Portal Infonet está à disposição do prefeito Adinaldo Nascimento e das empresas citadas, caso queiram se manifestar através do e-mail: jornalismo@infonet.com.br

Fonte: Núcleo de Comunicação/Ministério Público de Sergipe

Comentários