Coronavírus: pico da doença em Sergipe deve acontecer em abril

0
O isolamento social é uma das principais armas contra a disseminação do vírus. afirma Monteiro (Foto: Portal Infonet)

Com a pandemia  de coronavírus decretada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e os casos crescentes da doença, é comum ainda dúvidas sobre o tema. Em entrevista ao Portal Infonet, o presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de Sergipe (Cremese), Jilvan Monteiro, afirmou que o momento não é para pânico, embora esteja previsto o pico da doença, isto é, o aumento acentuado no número de casos, em meados do mês de abril. Ainda segundo ele, o isolamento social é uma das principais armas contra a disseminação do vírus. Veja abaixo a entrevista completa:

Portal Infonet: Já há alguma previsão de quando será o pico da doença no Brasil e em Sergipe?

Jilvan Monteiro: Conversei há pouco com alguns profissionais da área da infectologia e me foi informado que este pico da doença poderá ser registrado tanto no Brasil quanto em Sergipe em meados do mês de abril. Qual a nossa preocupação? Planejamento para aqueles pacientes que vão precisar de leitos hospitalares e, claro, respiradores. A gente sabe que 20% dos pacientes, principalmente os idosos, serão sintomáticos, ou seja, apresentarão sintomas da doença. Eu já pedi um mapeamento para saber a população de idosos no estado. Assim, poderemos nos organizar para ter uma noção da quantidade de respiradores que precisaremos. E com isso, tentar diminuir o pico da doença, tratando rapidamente essas pessoas.

Portal Infonet: Qual a importância do isolamento social?

JM: Ele é fundamental para diminuir o contágio entre as pessoas. A questão é bem simples: quanto menos pessoas circulando, melhor. É importante que os cidadãos tenham em mente que essa é uma atitude de proteção. Não só para ele, mas também para o próximo. Se há menos circulação, há menos pessoas infectadas, com isso, menos pessoas doentes e menos pacientes com risco de morte.

Portal Infonet: Como os médicos e hospitais daqui estão se preparando para a doença?

JM: No que se refere aos hospitais, sabemos que há deficiências em muitos setores. Mas a Prefeitura de Aracaju anunciou a construção de alguns postos para atender exclusivamente a pessoas com sintomas de gripe ou resfriado. Isso é bastante positivo, pois deixa de sufocar o SUS, deixando os leitos para casos mais graves da doença. O exemplo que vem sendo feito aqui em Aracaju precisa ser adotado por todos os municípios do estado. Em relação aos profissionais de saúde, a nossa grande preocupação são os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual). Ficou definido que elaboraremos uma cartilha sobre o uso de alguns desses equipamentos, como máscaras. Ainda há muitas informações desencontradas. Assim, queremos ter um manual único que possam orientar os profissionais de saúde de maneira segura.

A administração municipal também já adotou algumas medidas para preservar os servidores da saúde maiores de 60 anos ou que possuam alguma doença crônica. É um passo importante também. Porque os profissionais de saúde estão na linha de frente da doença. Ao preservar a saúde deles, as pessoas também terão sua saúde preservada.

Portal Infonet: Porque os médicos estão cancelando as consultas em algumas clínicas? Há alguma determinação do Conselho Superior neste sentido?

JM: A princípio não há uma orientação para fechar consultórios por parte do Conselho Federal de Medicina (CFM). Mas como os fatos estão sendo atualizados diariamente, pode ser que amanhã a recomendação seja outra. É claro que é preciso ter alguns cuidados, como deixar o ambiente arejado, ter o álcool em gel para higienização das mãos, limpar as maçanetas das portas, além de evitar a marcação das consultas ou exames para muitos pacientes de uma vez só. Em suma, ao atendimento ambulatorial, quer seja público ou privado, o que se precisa evitar no momento é aglomeração. Então nesse caso é importante também usar o bom senso e procurar evitar cirurgias eletivas, como procedimentos para fins estéticos, que não demandam tanta urgência. E realizar apenas as cirurgias de maior complexidade, como relativas a traumas e oncológicas.

Portal Infonet: Como preceder sabendo que os sintomas do resfriado se assemelham ao do coronavírus?

JM: Os sintomas iniciais do resfriado são tosse seca, ausência de falta de ar, febre e dor no corpo. A recomendação é que o indivíduo ao apresentar esse quadro inicial possa repousar em casa, hidratando-se bastante com uma alimentação leve e equilibrada. O ideal em casos assim é fazer uso de analgésicos. Agora se a pessoa apresentar sintomas semelhantes ao resfriado, acompanhado de um desconforto respiratório, ou seja, aquela dificuldade em respirar, é aconselhável procurar os serviços de emergência.

Portal Infonet: O senhor acredita que já deveríamos ter fechado as fronteiras do país?

JM: No meu entendimento as medidas mais impopulares deveriam ser tomadas. Eu andei na cidade e vi um ônibus de turismo circulando. Acredito que essas medidas restritivas de fluxo de pessoas têm que ser antecipadas, não só a nível nacional, mas também aqui no nosso estado, para que possamos diminuir os danos lá na frente.

por João Paulo Schneider 

Comentários