Gaeco ajuíza nova denúncia contra gestor do Hospital Cirurgia

0
Sede do Hospital Cirurgia (Foto: arquivo Portal Infonet)

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) ajuizou nova denúncia contra o ex-gestor do Hospital de Cirurgia, empresários e ‘laranjas’ pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e organização criminosa.

Segundo a ação, as construtoras foram registradas em nome de moradores do município de Nossa Senhora das Dores para desviar valores ilícitos da Fundação de Beneficência Hospital Cirurgia pelo presidente da fundação à época.

O MP informa que as contratações se davam de forma direta, sem publicidade dos atos, sem comprovação de qualificação técnica, sem a existência de projetos, sem cotação de preços e sem qualquer controle nos pagamentos.

Constatou-se que, com o afastamento da diretoria da Fundação de Beneficência Hospital de Cirurgia, depois da decretação da Intervenção Judicial na unidade de saúde, a empresa iniciou um processo de migração das atividades empresariais, passando a realizar obras de construção civil no município de Nossa Senhora das Dores, localidade em que um dos denunciados detém enorme influência política e econômica.

A assessoria de comunicação do Hospital Cirurgia ressaltou que a a investigação não envolve a atual gestão, que encontra-se sob intervenção judicial desde novembro de 2018. E acrescentou que diante da nova denúncia ajuizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), relacionada ao ex-gestor do Hospital de Cirurgia, a Direção desta fundação hospitalar informa que está à disposição da justiça, pois o desejo da instituição é que os fatos sejam apurados e a justiça seja feita.
Ressaltamos ainda que a investigação não envolve a atual gestão, que encontra-se sob intervenção judicial desde novembro de 2018.

A equipe de jornalismo do Portal Infonet tentou falar com o ex-diretor do Hospital, mas não teve êxito. A redação permanece à disposição do gestor anterior pelo e-mail jornalismo@infonet.com.br e tel (79) 2106-8000.

Com informações do MP/SE

Comentários