Maternidade do 17 de março deve ser entregue em 2020

0
Previsão da PMA é que obra seja entregue em 2020 (Foto: André Moreira / PMA)

Com um investimento de quase R$17 milhões, fruto de um convênio com o Governo Federal, a obra da maternidade no bairro 17 de Março, segundo previsão da Prefeitura de Aracaju (PMA), deve ser entregue em 2020. Além do 17 de Março, a maternidade contemplará, diretamente, os bairros Santa Maria, São Conrado, Atalaia, Coroa do Meio, Aeroporto, Farolândia e toda a Zona de Expansão.

Para o prefeito Edvaldo Nogueira, a construção da maternidade tem dois significados: “O primeiro é pela importância que esta obra representa, pois, será a primeira maternidade pública municipal da nossa cidade, o que fará dela uma referência; o segundo ponto é que a maternidade é a última obra que a gente faltava realizar no bairro 17 de Março, então, assinar a ordem de serviço no dia  foi muito emocionante”,
A dona de casa Jussara Barbosa, moradora do bairro desde sua fundação, explica que antes a situação era complicada para as mulheres da região, mas, agora, uma nova história é iniciada. “A construção dessa maternidade significa o respeito do poder público com a população dessa região. As mulheres tinham que se deslocar para muito longe para fazer o parto e, com a chegada dessa maternidade, vai beneficiar, e muito, essa comunidade. A população do 17 de Março está ganhando muito em qualidade de vida através da decisão do prefeito de Aracaju, de estar trazendo benefícios para essa região”, declarou.
A maternidade terá capacidade para mais de 500 partos por mês (Foto: André Moreira / PMA)

A maternidade terá capacidade para mais de 500 partos por mês. Serão cerca de 50 leitos de média complexidade. Sua estrutura contará com 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva neonatal  (UTIn); 10 leitos de Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional (UCINCo); cinco leitos de Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Canguru (UCINCa); 50 alojamentos conjuntos (mãe e bebê agrupados); duas salas cirúrgicas com três leitos de recuperação pós anestésica; três leitos de cuidados intermediários; dois leitos de estabilização; nove leitos de aplicação de medicação e observação, e oito quartos PPP.

Com informações da PMA 

Comentários