Médica orienta manter cuidados ao frequentar bares e restaurantes

0
Especialista orienta manter cuidados preventivos ao frequentar bares e restaurantes (Foto: Marcelle Cristinne)

Com a reabertura do segmento de bares e restaurantes, na capital sergipana, ocorrida no último dia 19, esses estabelecimentos passaram a funcionar com 50% da capacidade. No entanto, apesar do avanço de Aracaju para a fase verde do Plano de Retomada Econômica, devido à estabilização do número de casos e mortes por covid-19, as medidas preventivas ao contágio do novo coronavírus, tanto pelos estabelecimentos quanto pelos frequentadores, devem se manter para evitar que a curva de casos da doença volte a subir.

O momento é de prudência, alerta a infectologista da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Fabrízia Tavares. “Todo o cuidado é pouco, neste momento. Sabemos que havia toda uma ansiedade pelo retorno progressivo das atividades sociais, mas seguimos com as mesmas orientações do início do período de distanciamento social”, destaca.

Fabrizía explica que, agora, o trabalho deve ser voltado para a mudança de comportamento. “Estamos diante de uma doença infecciosa, de alto contágio e, mesmo com uma estabilização, não significa dizer que não teremos outras ondas, como as vistas em outros locais do Brasil e do mundo”, frisa a especialista.

Pelo decreto estadual, os bares, restaurantes e estabelecimentos similares devem limitar a ocupação a 50%; manter a capacidade máxima de até seis pessoas por mesa atendida; distanciamento mínimo de 1m entre as pessoas e 2m entre as mesas, na disposição de lugares e mesas para atendimento aos clientes; proibir quaisquer tipos de apresentação artística ou evento nas dependências; obrigar o uso de máscara facial (funcionários e clientes); realizar limpeza e desinfecção dos objetos que sejam tocados com frequência, utilizando água e sabão ou borrifando álcool em gel 70% e manutenção, preferencialmente, do ambiente com portas abertas, privilegiando a ventilação natural, e minimizando o manuseio de maçanetas e fechaduras; entre outras.

Caso os estabelecimentos desrespeitem as normas de segurança sanitária poderão, inclusive, ser fechados. “Orientamos que as pessoas se comportem de maneira segura, ou seja, quando for a um barzinho e ver que está cheio, vá para outro, observe o distanciamento. Mesmo com o uso da máscara, principalmente em bares e restaurantes, onde iremos nos alimentar e beber, o risco é maior”, observa a a infectologista.

Segundo ela, mesmo que os funcionários dos estabelecimentos estejam utilizando os EPIs, se a mesa estiver muito próxima de outra o risco de transmissão é alto. “Ao sair da mesa, colocar a máscara, fazer o uso de álcool em gel, higienização. Os locais já estão sendo fiscalizados para cumprimento das normas. É um cobrando o outro para seguir as medidas, inclusive, o estabelecimento pode ser orientado ou até autuado se os fregueses não estiverem cumprindo as medidas”, afirmou Fabrízia Tavares ao destacar que “ainda estamos em situação de emergência em saúde pública. É preciso cautela e colaboração de todos”, orienta Fabrízia.

 

Fonte: SMS

Comentários