MPF não descarta intervenção federal no Hospital de Cirurgia

0
Ramiro Rockenbach cobra solução definitiva para os serviços prestados pelo Cirurgia (Foto: Portal Infonet)

O procurador regional dos Direitos do Cidadão, Ramiro Rockenbach, do Ministério Público Federal em Sergipe, quer ter acesso às contas do Hospital de Cirurgia e já solicitou estas informações em ação que tramita na Justiça Federal. O procurador entende que o Hospital de Cirurgia, apesar da intervenção e do aporte financeiro que recebe mensalmente do Governo do Estado, continua prestando serviços precários à população.

O procurador regional informou que pretende acompanhar o desempenho do hospital nestes últimos seis meses, quando o Governo do Estado fez a intervenção, e fazer uma espécie de chamamento público para avaliar efetivamente o desempenho da unidade de saúde. “E, se for o caso, pedir a intervenção [federal] no Hospital de Cirurgia”, alerta. “Não é possível mais que um estabelecimento dessa grandeza funcionar mais ou menos. Ele tem o dever público, o dever com a sociedade de prestar maiores resultados”, entende.

O procurador regional informou que aguarda os dados financeiros para avaliar a possibilidade de pedir a intervenção. “Não sabemos detalhes [de como será feita a intervenção], mas precisa fazer mudanças profundas e significativas porque os resultados precisam acontecer para a população”, comenta. “É preciso trocar [a gestão] e cortar fundo para que se resolver de uma vez por todas esta situação”, ressaltou, considerando como má a prestação dos serviços naquela unidade de saúde, que gerencia parcela significativa dos recursos repassados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Hospital Cirurgia

A Direção do Hospital de Cirurgia esclarece que nos últimos dois meses o Hospital vem prestando serviço aos pacientes sem interrupções, pois, desde o final de agosto, o Governo de Sergipe/SES indicou um técnico para ação de cogestão com a finalidade de melhorar a gestão da unidade.

Desde então, houve a reativação e consolidação dos serviços que estavam suspensos, garantindo assim, o atendimento à população sem paralisações de cirurgias, por exemplo. Dentre os serviços restabelecidos estão as cirurgias cardíacas regularizadas e já alcançando os pacientes eletivos, fila de implantação de marca passo unicameral zerada, fila de CDI (dispositivo capaz de corrigir a maioria das arritmias cardíacas com risco de vida) zerada, mutirões de cateterismo, fila de cirurgias de coluna de urgência zerada, retorno dos procedimentos operatórios de Urologia, Neurocirurgia e Vascular, reativação do tratamento de quimioterapia e de cirurgias oncológicas, entre outros serviços. Para tanto foram iniciadas ações de pagamento de salários médicos que estavam atrasados há vários meses, aquisições de insumos, conserto de equipamentos e reativação de áreas de atendimento.

O Hospital está de portas abertas para a justiça realizar auditorias ou disponibilizar todas as informações que forem solicitadas. Reempenhamos compromisso com a assistência dos pacientes e de seguir para uma transparência administrativa.

Por Cassia Santana

A matéria foi alterada às 17h20 do dia 05/10 para acréscimo de nota do Hospital Cirurgia
Comentários