Pediatra fala sobre cuidados para passeios com recém-nascidos

0
Muitos pais têm dúvidas sobre qual o melhor local para passear (Foto: Pixabay)

Conviver com um recém-nascido, principalmente para os pais e mães de primeira viagem, além de ser uma grande experiência de vida, é também sinônimo de inúmeros cuidados, preocupações e dúvidas. Muitas vezes na hora de levar o bebê para passear, por exemplo, alguns pais não sabem – ou tem dúvidas – sobre qual o melhor local e quais critérios de segurança se deve ter na hora de sair de casa. Pensando nessas dúvidas dos pais, a pediatra Kércia Alcântara recebeu o Portal Infonet para tirar algumas dúvidas sobre o tema.

Kércia Alcântara, pediatra (Foto: Portal Infonet)

Após ter sido mãe, Kércia conta que passou a entender melhor as dúvidas dos pais, e pensando em ajudá-los, decidiu criar um perfil em uma rede social [o “Pequenos Sergipanos”] para orientá-los sobre como e onde levar as crianças. “Com meus filhos eu aprendi a explorar tudo de bom que a gente tem na cidade para oferecer aos pequenos”, lembra. Para Kércia, a partir dos 6 meses os pais já podem levar as crianças para alguns passeios. “Os menores de seis meses estão amadurecendo seu sistema imunológico e são mais propícios a pegar doenças em ambientes fechados”, destaca. “A grande maioria das vacinas da infância são dadas até os seis meses de vida. Então o ideal é que se comece essas exposições, ou seja, esses passeios depois dos seis meses”, completa.

Ainda de acordo com a médica, o ideal é levar os recém-nascidos a lugares abertos, como parques, praças e praias, evitando lugares fechados, como shoppings. No caso de uma ida à praia, por exemplo, ela orienta o uso de protetor solar e pouca exposição ao sol. A depender também do local, ela recomenda o uso de repelentes. Para crianças acima até dezoito meses, a pediatra indica como uma boa opção de lazer uma sessão de cinema que é própria para recém-nascidos. “Há o chamado CineMaterna em alguns shoppings. Uma sessão de cinema com filmes de adultos, mas com algumas adaptações: pouca incidência de luz, o ar-condicionado é menos frio, e o som não é tão alto quanto o habitual”, destaca.

Para saídas comuns do dia-dia, a médica recomenda andar com a alimentação da criança, já que é muito difícil encontrar refeições para recém-nascidos, além de água para evitar desidratação.

Por João Paulo Schneider e Jéssica França

Comentários