SES divulga novos dados sobre dengue e sarampo em Sergipe

0
Foram registrados e confirmados 12 óbitos por dengue grave (Foto: Pixabay)

A Diretoria de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou nesta quinta- feira, 17, o novo informe epidemiológico da dengue no Estado, onde constam 4.170 casos confirmados de dengue. O levantamento aponta que 1.330 casos continuam em investigação e 4.155 foram descartados.

Foram registrados e confirmados 12 óbitos por dengue grave. A confirmação ou descarte dos óbitos depende de minuciosa investigação domiciliar e hospitalar do óbito, das informações dos aspectos clínicos e epidemiológicos do paciente através de resultado laboratorial.

De acordo com a diretora da Vigilância em Saúde, Mércia Feitosa, a SES vem desenvolvendo diversas ações para enfrentamento das doenças transmitidas pelo Aedes. “A Brigada Itinerante Estadual de Combate à Dengue está atuando intensivamente com agenda nos municípios seguindo critério de índice de infestação. Estamos com uma nova fase de nossa campanha publicitária, e realizando continuadamante atividades de mobilização social em todos os municípios, bem como dialogando com os gestores municipais para que as ações de controle do Aedes sejam intensificadas e/ou implementadas. Continuamos fortalecendo a vigilância laboratorial”, elenca Mércia.

Sarampo

Sobre o sarampo em Sergipe, até o momento, são 49 casos notificados, três confirmados, 40 descartados e seis estão em investigação. Até o momento, não houve registro de óbito por sarampo no Estado de Sergipe. O Sarampo é uma doença viral altamente contagiosa caracterizada por febre, exantema – erupção avermelhada na pele – e sintomas respiratórios, com a possibilidade de complicações graves que podem deixar sequelas ou serem fatais. A transmissão do sarampo é direta, ou seja, de pessoa para pessoa, por meio de secreções expelidas através da tosse, espirro, respiração, e o único meio de prevenção é a vacina.

A SES, por meio do Programa Estadual de Imunização, reforça a importância dos pais e responsáveis a levarem as suas crianças com idade entre seis meses a menores de cinco anos para serem imunizadas contra o sarampo. “A vacina é a única forma de prevenção da doença. Não existe outra maneira de evitar o sarampo”, reforçou a gerente do programa, Sândala Teles.

Com informações da SES

Comentários