A chapa pura do PSDB

0

Se a direção nacional do PSDB não voltar atrás, no anúncio do nome do senador tucano Álvaro Dias, como vice de Serra, poderá causar sérios problemas a candidatura presidencial. Leia o artigo de Fernando Rodrigues, publicado na FSP:

 

O PSDB quer disputar o Planalto com dois tucanos como candidatos a presidente e a vice: José Serra e Álvaro Dias. Essa chapa puro-sangue remete a uma discussão paralela: a nova configuração dos partidos pós-era Lula.O PT há muito tempo abandonou o carreira solo em eleições. Lula venceu em 2002 em grande parte após promover uma dobradinha com o megaempresário José Alencar, à época abrigado no PL. O tucano Fernando Henrique Cardoso alavancou sua vitória em 1994 com a ajuda do PFL (hoje DEM). A vaga de vice coube ao pernambucano Marco Maciel.

 

Num país com 27 partidos, é difícil vingar um projeto nacional sem compartilhamento de poder. Embora irrelevantes na vida real, muitas das 27 agremiações têm peso no establishment político: todas beliscam um naco do fundo partidário (R$ 200 milhões anuais) e têm horário garantido na TV e no rádio.

 

Se o PSDB for bem-sucedido com a chapa José Serra e Álvaro Dias, protagonizará um formato inédito de ganhar a Presidência da República. Poderá surgir talvez um partido social-democrata mais coeso. Mas, se o projeto fracassar, tucanos e oposição de centro-direita em geral entrarão esfarrapados em 2011. Uma coisa é perder a eleição de forma unida. Outra, bem diferente, é entrar na disputa já de maneira fragmentada, rachada.

 

Nesse cenário negativo para o PSDB, o partido emergirá mais fragilizado do que em 2002, quando Serra perdeu a eleição presidencial para Lula. Eterna linha auxiliar dos tucanos, o Democratas definhará. O PTB e outras siglas do sistema solar anti-PT dependerão de cargos em governos estaduais amigos.

 

Do outro lado do muro, se for vencedor, o consórcio PT-PMDB ampliará a política tradicional do fisiologismo no Congresso. Tudo considerado, a configuração partidária pós-Lula parece ser muito semelhante à atual – ou pior.

 

Briga nacional do DEM com PSDB, beneficia Albano

Não adiantou nada a visita dos presidentes nacionais do PSDB e do DEM (Sérgio Guerra e Rodrigo Maia) na última sexta-feira a Aracaju, onde conversaram com Albano Franco. Ele expôs os problemas e reforçou que não tem condições de fazer coligação com João Alves. A crise nacional para indicação do candidato a vice de Serra ajudou Albano. O presidente do DEM, Rodrigo Maia disse que se o vice não for Aécio Neves tem que ser do DEM. Já o vice-líder do DEM, Ronaldo Caiado propôs o rompimento imediato da aliança.

 

Reunião com João Alves

Albano Franco deve conversar com João Alves neste final de semana. Pelo que informa seus correligionários mais próximos dificilmente ele muda sua posição, mesmo com as ameaças de que João Alves pode ser candidato ao Senado ou até mesmo desistir do apoio a Serra para apoiar, por exemplo, Marina Silva. Seria o último ato de desespero.

 

João já pensa no Senado

Dois aliados do ex-governador João Alves afirmaram ontem que os problemas surgidos nacionalmente entre o DEM e o PSDB e o impasse criado em Sergipe com Albano Franco, o levaram – nos últimos dias – a falar por diversas vezes na possibilidade de disputar o Senado. Se por um lado esta possibilidade deixaria a briga pelo Senado a mais forte da história de Sergipe, por outro lado enfraqueceria a disputa pelo governo estadual.

 

Prancheta

Deu na FSP: Do presidente do PT, José Eduardo Dutra, cornetando a atuação do lateral Michel Bastos durante o jogo do Brasil contra Portugal na Copa: “Michel, pra mim, só Platini e Temer”.

 

Programa BNB de Cultura – Edição 2011

O Banco do Nordeste realizará oficinas de elaboração de projetos com o objetivo de oferecer maiores oportunidades de acesso aos recursos do Programa BNB de Cultura – Edição 2011 – Parceria BNDES. Nessas oficinas serão apresentados os detalhes  do  Programa  BNB   de  Cultura – Edição 2011 – Parceria BNDES, inclusive sobre preenchimento de formulário de inscrição. Em Aracaju a programação será nesta segunda-feira, 28, às 9hs, no auditório da superintendência.A participação nas oficinas é gratuita e sem inscrição prévia.Mais informações: www.bnb.gov.br/cultura

 

Inauguração de praças

Neste sábado o governador Marcelo Déda participa da inauguração da Praça Missionária Zilda Arns, no bairro Jardins em Aracaju, às 18h. Logo após segue para o bairro América, onde participa da inauguração da Praça da Liberdade, em frente a antiga penitenciária. A noite participa da abertura dos festejos de São Pedro em Capela e recebe o  Prêmio Anderson de Melo.

 

Governo inaugura Central Fácil

A partir da próxima segunda-feira, dia 28, o registro e a legalização do funcionamento de empresas em Sergipe será facilitado com a abertura da Central Fácil. O órgão vai funcionar na rua Siriri, 751, no Centro e compreende uma área de cerca de 750 m², incluindo estacionamento. No local, diversos órgãos estaduais e municipais, além da Receita Federal, estarão reunidos para facilitar a vida de quem precisa abrir uma empresa, fazer alterações nas já abertas e utilizar serviços que hoje estão disponíveis na Junta Comercial de Sergipe e em outras instituições espalhadas pela cidade. A Central de Atendimento Empresarial será inaugurada às 11h30.

 

DO LEITOR

 

As incertezas políticas

Do leitor Narcizo Machado Filho: “Nesse período eleitoral, a mais nova invenção futebolística a jabulani é usada de várias formas, seguindo varias direções. Quem aprendeu a chutar esta tirando proveitos, passando para as oitava de final e quem sabe para as quartas, chegando à fase final da copa. O PPS através de Nilson Lima não aprendeu a chutar a jabulani, amarelou, fez gol contra e foi eliminado logo na primeira fase, tem muito que aprender em política. Nunca foi político, não conhece os meandros da política, aprova é que, deixou o governo Marcelo Deda e perdeu a chance de ser Deputado Federal, agora era a sua vez, e não de Macio Macedo.Filia-se ao PPS dizendo que tem posição, é pré-candidato a governo, PPS terá candidatura própria, não tem a menor chance do PPS não ter candidatura própria. Chutou, chutou e o gol foi contra. Como explicar ao eleitor, explica mais não vai convence. É como o Brasil, ganha mais não convence. Manuel Cacho foi para onde sempre esteve ao lado de João. Chutou certo, ao lado de João sua candidatura poderá ter outra densidade, o grande perdedor será Nilson Lima. É Lima, política tem dessas coisas, digo que sou mais não sou, digo que vou mais não vou, no final quem vai é o outro. Puxaram seu tapete, ou melhor, você se deixou levar”.

 

Há um barco perdido na praia…

Comentário de Adeval Marques: “Observo que Albano Franco é um homem de posição firme e ética, todavia ao comporta-se de tal maneira, sem definir, como diz uma frase da música “com roupa eu vou para o samba que você mim convidou…”, ele coloca em cheque, para os que acompanham o andar do quadro político atual de Sergipe, sua reputação política e personalidade como assim já o fazem e comentam na mídia e outros meios. Assim diz uma certa frase que não mim lembro a autoria: “Nenhum vento ajuda à um barco que não sabe onde quer chegar” e complemento com uma frase do Padre Zezinho: “Há um barco perdido na praia… la, la, la,..”

 

E Albano “Simancou”

Do leitor Edson Junior: “Certa vez o deputado federal, pelo DEM, Mendonça Prado, genro de João Alves e Maria do Carmo Alves, recomendou a Albano que tomasse um “simancol” e caísse fora da coligação com o DEM. Foi seguido por Augusto Bezerra; José Carlos Machado; Pedrinho Valadares e Nitinho, vereador por Aracaju, todos do DEM. Houve uma nota na imprensa em que, quando os Amorim fecharam a aliança com Déda, João teria reclamado para Maria do Carmo, sua esposa e correligionária de DEM, dizendo “olha aí o que seu genrinho fez”, numa alusão ao pontapé que Mendonça Prado havia desferido contra Edvan Amorim, sugerindo que a Receita Federal era quem deveria conversar com ele. E depois que Maria disse que o que pensa sobre Albano, em entrevista a Jozailto Lima, do Cinform, seria “impublicável”, mais uma vez mostrou que na família a coisa, do ponto de vista político, não anda bem. O curioso, agora, é o desafio feito por Albano, sugerindo que o DEM apóie Marina Silva, pois ele vai continuar apoiando Serra e MANTÉM SUA CANDIDATURA AO SENADO, mesmo que tenha que disputar com João. Albano, com toda sua cordialidade e paciência sabática, “subiu nas tamancas”. Estranho, não? Pois é, mas, como é que fica o PPS se houver essa guinada? Nilson vai apoiar Marina? E o compromisso com Serra?  O desenho mostra que Nilson está num labirinto pior que o de Perseu (da mitologia grega), pois esse, pelo menos, tinha um novelo nas mãos. No plano nacional, Álvaro Dias (PSDB/PR), como vice de Serra, arrebentou mais ainda com Aécio, que queria Pimenta da Veiga, tucano de Minas. Leitura disso: o PSDB não confia no PSDB. Nem Serra confia no PSDB mineiro, nem o mineiro confia em Serra. Casa totalmente bagunçada. Por outro lado, Dilma segue avançando em todas as regiões e deve subir mais, por conta de sua rejeição ser menor em relação a Serra, que aumentou segundo a última pesquisa IBOPE, tendência de que não tem mais fôlego. CHEGOU ONDE TINHA QUE CHEGAR, COM PERSPECTIVA DE QUEDA. Dia 30/06 é a Convenção Nacional do DEM. Terá candidato à vice ou já aceitou Álvaro Dias? Nada! PSDB e DEM se bicam em vários Estados. Muitas, muitas confusões intestinas. Aqui é só mais uma, onde Albano é que foi a figura escorraçada, humilhada. Nem o PSDB nacional, nem o DEM, devem cobrar de Albano uma composição humilhante à sua historia, à do seu pai, Dr. Augusto Franco, seu irmão, Antônio Carlos Franco, seu outro irmão Walter Franco e o outro irmão, César Franco. Vários expoentes do DEM estão em pé de guerra com o Sérgio Guerra e seu PSDB. Ronaldo Caiado (DEM/GO); Jorge Bornhausen (DEM/SC); Rodrigo Maia (DEM/RJ), apenas citando três, não aceitam essa indicação de Álvaro Dias para vice de Serra. Ronaldo Caiado, UDR convicto, foi mais eloqüente em sua página no twiter e abriu o verbo: “Isso é uma agressão completa aos Democratas”.  E disse mais: “Com um aliado desse, o Democratas não precisa de inimigo. Vou defender dentro da executiva o fim da aliança com o PSDB”. Albano está errado? Ora, ora, quem não quiser pular essa fogueira de vaidades do DEM, não será por ignorância; miopia ou fragilidade, talvez.

 

 

Cartão Postal de Aracaju: Violência no Forró Caju!

Da leitora ALdinha: “Na madrugada fria do dia 24 de junho de 2010, um jovem universitário foi assassinado por fugir de um grupo de delinqüentes que “trabalhavam” para manterem seus vícios, suas “vidas”…Yuri de Souza Guimarães nem sequer pode gritar pelo nome daquela cuja vida também se acabou, sua mãe! Seus sonhos se perderam no vácuo de um mundo estranho e ilusório. Quando se emprega a palavra trabalho, lembramos da CLT, das lutas dos obreiros, dos direitos e deveres que acompanham os “cidadãos”, escravos da civilização. Quando se emprega a palavra vida, lembramos das Garantias e Direitos Fundamentais enfeitando as páginas da Constituição Federal; lembramos da Bíblia que enfeita e se amarela nas casas dos mortais, “imagem e semelhança de Deus”.A imprensa não revela o que não sabe, mas também não revela tudo o que sabe. Pois, nesta mesma madrugada muitas pessoas tiveram suas vidas ceifadas no País, e muitas vidas ficaram marcadas na doce e pacata Aracaju que espalha o seu cartão postal: Forró Caju! Os imperadores em seus camarotes uivam com o delírio de um povo esfomeado de esperanças, sonhos… Lamentavelmente vivemos numa sociedade de órfãos analfabetos, que aprendem a escrever, e não sabem ler o que se esconde nas entrelinhas de “graciosos discursos”. Entregamos ao Estado Democrático de Direito o nosso organismo com todos os seus órgãos funcionando, entretanto quando um órgão padece, todo o corpo sofre as conseqüências. E esse Estado, que mascara e se mascara para mais uma quadrilha de São João, amputa pernas, braços; corta línguas; come o fígado de suas “criancinhas”. Conto uma historinha real que aconteceu na mesma madrugada: Dois jovens irmãos, estudantes de direito foram motivados pela magnífica mídia a comparecerem na Festa mais animada da cidade, o Forró Caju. Seus pais levam seus filhos, e marcam o horário de buscá-los, pensando que de algum modo estão protegendo-os. Enquanto os dois irmãos esperavam seus pais para retornarem aos seus aposentos, um desses meninos que trabalha para manter o Poderoso Sistema arranca do pescoço de um deles uma corrente. Num momento de impulso os dois irmãos saíram correndo atrás do menino, e para surpresa dos dois, vários outros surgiram como passe de mágica e bateram nos dois irmãos. Um deles pedia socorro às pessoas que passavam e elas diziam: “Corra e deixe o seu irmão aí…”. A poucos metros de distância a policia fazia a “segurança” da festa. Por sorte, descuido ou merecimento os dois irmãos machucados pelos murros, pontapés, chutes de mais de trinta “indivíduos”, conseguiram escapar “vivos”. E minutos depois, bem pertinho dali, o Jovem Yuri não tivera a mesma sorte. O que tem de comum e incomum entre os nossos filhos e os filhos da rua? Nossos filhos não conhecem a liberdade de dormir num banco de praça para contemplar as estrelas; os filhos da rua têm o banco da praça, mas não contemplam o céu, pois suas vidas é um inferno. Os nossos filhos sonham com o futuro mesmo inexistente; os filhos da rua vivem o momento com tormento. Os nossos filhos e os filhos da rua são vítimas dos três grandiosos poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. Salvando-se algumas exceções que pouco podem fazer…A história de Yuri continuará se repetindo pelas ruas que nos tiraram, e o seu verdadeiro assassino continuará sentando no trono, e não sentará no banco dos réus.  Será que os dois jovens irmãos aprenderão a não enfrentar quem furta ou rouba? Conseguirão ler o que se encontra nas entrelinhas dos discursos políticos, ou continuarão analfabetos? Assimilarão a lição do silêncio, do medo, da renúncia e da anulação em pós do bem mais precioso que existe: A Vida! QUE VIDA?! Vida que sufoca até mesmo o grito de dor que ninguém pôde ouvir! Yuri calou. E muitos outros se calam, não porque se foram, mas porque temem…” Aldinha é bacharel em direito, poetisa por excelência e os dois irmãos são os filhos dela!

 

Nota de Repúdio ao Correio de Sergipe e de solidariedade a Cleomar Brandi

 

O Sindicato dos Jornalistas do Estado de Sergipe vem, de forma veemente, repudiar a charge “encomendada” em seu conceito e publicada no jornal Correio de Sergipe, edição 2.826, de quarta-feira, 23 de junho, página 2.

 

A charge, de forma agressiva e até mesmo estúpida, usa da referência aos problemas de saúde de um profissional jornalista dos mais queridos e respeitados da imprensa sergipana, o companheiro Cleomar Brandi, num flagrante ataque à sua dignidade humana, para fazer política rasteira na tentativa de atingir o governador Marcelo Déda e seu governo, no tocante à sua política de gestão para a Fundação Aperipê de Sergipe, que congrega as Rádio e TV Aperipê, e da qual Cleomar é um dos seus funcionários efetivos mais antigos e pela qual tem dado o seu sangue, o seu suor, o seu profissionalismo e competência, e até mesmo a sua vida em prol daquela emissora pública. 

 

 Na charge, de forma grosseira, Déda carrega Brandi, em sua cadeira de rodas, para fora da fundação Aperipê, dizendo que é bom que este “deixe” a fundação para ir “descansar”, antes que “algo de mal (sic)” aconteça.

 

É do conhecimento de toda a sociedade sergipana a luta que o companheiro jornalista Cleomar Brandi trava pela vida há décadas, mas sem jamais se desestimular ou se “encostar”, como fazem muitos, por conta das conseqüências dos tratamentos e das internações hospitalares que por vezes precisa submeter-se.

 

Como também é sabido de todos que, mesmo fazendo um tratamento severo, como é a quimioterapia, Brandi não se deixa abalar jamais e, assim que deixa o tratamento, segue para a sua rotina de trabalho na fundação Aperipê e em outros meios de comunicação aos quais presta relevantes serviços. Brandi é um exemplo de obstinação, de força interior, de luta pela vida e, para, além disso, um exemplo de profissional íntegro, correto e trabalhador.

 

Portanto, soa torpe a charge do Correio de Sergipe e a mensagem que busca passar. Somos, enquanto Sindicato de profissionais de Comunicação, intransigentemente defensores da liberdade de expressão e de imprensa, mas há que se condenar o abuso desses direitos inalienáveis. Neste sentido, nos solidarizamos integralmente com o companheiro jornalista Cleomar Brandi.

 

E sendo o Correio de Sergipe dirigido por pessoas que tenham mesmo compromisso com a liberdade de expressão e de imprensa e que sejam respeitadores da dignidade da pessoa humana, deveriam, em sua próxima edição, estampar em letras garrafais, na primeira página do jornal: CLEOMAR BRANDI, NOSSOS SINCEROS PEDIDOS DE DESCULPA. Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Sergipe – Aracaju (SE), 25 de junho de 2010.

 

Solidariedade do blog

O titular deste espaço assina embaixo a nota do Sindicato dos Jornalistas e lamenta que o jornalista Cleomar Brandi tenha sido atacado na sua dignidade pelos próprios “colegas” de profissão. Cleomar é um exemplo de coragem e determinação para uma geração de jornalistas. É uma pena que na sede de atacar o governo estadual neste período eleitoral o jornal da família do ex-governador não tenha respeito algum pelos profissionais de imprensa.

 

 

Participe ou indique este blog para um amigo:

claudionunes@infonet.com.br

 

Frase do Dia

“A glória é como o círculo na água; nunca cessa de se dilatar até que, à força de se expandir, se perde no nada”. William Shakespeare.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários