Aniversário de Noel

0

Você sabe o que se comemora no Natal? Isso mesmo, o aniversário de Papai Noel, o bom velhinho que encheu o mundo de presentes para o povo gastar o 13º salário e o comércio faturar a rodo. Para muita gente, essa é a verdade verdadeira, porém a história é outra. No Natal se festeja o nascimento de Jesus. Essa tradição de presentes começa com os três Reis Magos que teriam visitado Jesus de Nazaré logo após o seu nascimento, levando-lhe presentes. O bom velhinho nunca existiu, mas é comemorado em todo o mundo graças à forte campanha de marckting para impulsionar as vendas no comércio. A força da propaganda é tão grande que até mesmo nas mais humildes casas do Nordeste, região castigada pela seca, a árvore de Natal é um pinheiro coberto de neve. Diante de tanta confusão, você não está de todo errado se, na ceia de amanhã à noite, cantar parabéns para Papai Noel. 

Lenha na fogueira 

E o senador Almeida Lima (PMDB) não perdeu a oportunidade para fustigar os ‘aliados’ Zé Eduardo Dutra e Marcelo Déda – ambos do PT. Segundo ele, Sergipe não foi brindado com nenhum ministério por desavenças entre os dois petistas. Pelo que insinuou Almeidinha, como Dutra e Déda não chegaram a um consenso em torno dos prováveis ministros, a presidente Dilma (PT) resolveu deixar o Estado a ver navios. Será? 

Último dia 

O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Heráclito Rollemberg vai se aposentar. Ele participou ontem de sua última sessão plenária, pois ao completar 70 anos terá que deixar o cargo. Passadas as festas de final de ano, a classe política começa a se mobilizar para indicar o novo conselheiro do TCE. Está interessado? Pois comece a plantar notinhas na imprensa e bajular o governador Marcelo Déda, os deputados e os caciques políticos com força para interferir na escolha do novo conselheiro.

De olho na Câmara 

Derrotado na disputa para o Senado, o deputado federal José Carlos Machado (DEM) não afasta a hipótese de concorrer a uma cadeira de vereador por Aracaju. Entrevistado pelo colega Chico Freire, do Jornal do Dia, Machadão admitiu que pode participar das eleições de 2012 na capital sergipana. O objetivo é formar uma chapa forte para o Legislativo e, com isso, beneficiar o candidato a prefeito da oposição. Então, tá!

Tal pai… 

Tendo passado boa parte da vida fora de Sergipe, o futuro ministro-chefe do Gabinete da Segurança Institucional, general Elito Siqueira, é muito pouco conhecido dos conterrâneos. Ele foi escolhido para o cargo graças aos seus próprios méritos. Puxou ao pai, José Siqueira (seu Siqueirinha), um cidadão honrado, que trabalhou durante anos como contador da firma Constâncio Vieira, fábrica de tecidos de Estância que tinha escritório na rua São Cristóvão, em Aracaju. A presidente Dilma não poderia ter feito melhor escolha. 

Pernas pro ar 

Servidores do governo de Sergipe e da Prefeitura de Aracaju não trabalham nesta quinta-feira, véspera de Natal. Por conta do ponto facultativo nas repartições, a galera vai aproveitar o dia para terminar de fazer as compras e começar a preparar a ceia de Natal. Os bancos também só abrem hoje no período da manhã.  

Prefeito cigarra

O prefeito de Itabaiana, Luciano Bispo (PMDB), assemelha-se à cigarra, que passa o verão cantando e esquece de guardar mantimentos para o inverno. O peemedebista ficou o ano todo envolvido com a campanha eleitoral do ex-governador João Alves Filho (DEM) e esqueceu de arrumar a Prefeitura, que está cheia de dívidas e sem as certidões negativas para receber recursos federais. O resultado é que parte dos servidores da Prefeitura vai passar o Natal a pão e água, pois o prefeito não conseguiu dinheiro para pagar o 13º salário da galera. Que horror! 

Quer dinheiro? 

Por que a tristeza? Tá “Durango Kid”, sem um tostão furado no bolso? Pois seus problemas ‘se acabaram-se’: Corra à casa loteria e faça um jogo na Mega-Sena, que vai pagar, sábado próximo, um prêmio de R$ 24 milhões a quem certar as seis dezenas sorteadas. É grana suficiente para comprar 1360 carros populares ou ainda uma frota de 6800 motos de 125cc. Caso o vencedor decida investir na poupança, garantirá uma aposentadoria de R$ 197 mil por mês. 

Cuidado na estrada 

Vai viajar neste Natal? Pois tome cuidado porque a Polícia Rodoviária Federal está pronta para tirar de circulação quem tentar cometer infrações no trânsito. Radares fotográficos serão utilizados durante todos os dias de fiscalização, para reduzir o número de acidentes. Os policiais estarão equipados com palmtops (pequenos computadores) e farão consultas em tempo real sobre as condições dos veículos em circulação e dos ocupantes. No mais, boa viagem e feliz Natal. 

Do baú político 

Como você está de pernas pro ar nesta véspera de Natal, o Baú Político aproveita para homenagear a literatura de cordel, transcrevendo o trabalho do cordelista Mundim do Vale, intitulado ‘Quando acaba a apuração’.

Assim que fecha a contagem
Tem candidato que diz:
– O filho de Zé Luiz
Não tá na minha listagem.
Como é que teve a coragem

De apertar minha mão,
Pedir chuteira e calção
E o voto não aparece.
Só comigo isso acontece
QUANDO ACABA A APURAÇÃO.

Aquele que se elegeu
Bota o som em toda altura
Abalando a estrutura
Daquele que não venceu.
E o infeliz que perdeu
Fica na decepção
Sofrendo do coração
Com cara de estressado.
E ainda fica quebrado
QUANDO ACABA A APURAÇÃO.

O candidato arrasado
Um gozador lhe aborda
Vai logo falando em corda
Em casa de enforcado.
O infeliz derrotado
Com a listagem na mão
Soma seção por seção
Pra confirmar o tormento.
É esse o pior momento
QUANDO ACABA A APURAÇÃO.

É o maior carnaval
Na casa do vencedor,
Na casa do perdedor
Uma tristeza total.
Chega um cabo eleitoral
Com uma conta na mão,
De bebida e refeição
Consumida pelo povo.
E não sobra nem um ovo
QUANDO ACABA A APURAÇÃO.

Até mesmo o doce lar
Que recebia eleitor
Parece que um trator
Passou lá pra derrubar.
Não há quem possa encontrar
O relógio do João,
A carteira de Antão
E o violão do Neto.
Se perde todo objeto
QUANDO ACABA A APURAÇÃO.

Aquele que foi eleito
Já vai logo viajando
E o povo procurando
Assim que termina o pleito.
Procuram de todo jeito
Mas ninguém acha o fujão
E assim vem a frustração
De cada um militante.
Mas isso é fato constante
QUANDO ACABA A APURAÇÃO.

As bombas num pipocado
Descendo e subindo morro
Incomodando cachorro
E prefeito derrotado.
Vereador mal votado
Tem subida de pressão,
Piadas de gozação
E a raiva da mulher.
Porque faltar o que ela quer
QUANDO ACABA A APURAÇÃO.

O eleito vai curtir
Na sua casa de praia
Tentando fugir da raia
Pra ninguém nada pedir.
Se um eleitor descobrir
Espalha no quarteirão
Gerando uma agitação
De revolta e de cobrança.
E eleitor é quem dança
QUANDO ACABA A APURAÇÃO.

Candidato que vivia
Dando saco de cimento,
Pagando medicamento
E conta de energia.
Vive agora na agonia
Atrasando a prestação
Das contas da convenção
E contratos de esquema.
Coisas que só traz problema
QUANDO ACABA A APURAÇÃO.

O candidato que sai
Fica meio constrangido
Mas um membro do partido
Diz: – na outra você vai!
Na outra vez voto cai
Como chuva em plantação,
Mas é só conversa em vão

Pra manter o candidato.

Coisa de estelionato

QUANDO ACABA A APURAÇÃO.

A mocinha que dançou
Com a bandeira na rua
Rodando feito perua
Também foi quem vacilou.
O candidato pagou
A primeira prestação
E a segunda em questão
Só depois de apossado.
Porque tudo é complicado
QUANDO ACABA A APURAÇÃO.

Chegando o verso ao final
Eu também quero explicar
Que não pude recusar
De ser cabo eleitoral.
Fui até imparcial
Quando havia uma questão,
Porque numa imposição
Precisa gente capaz,
Pra trazer de volta a paz
QUANDO ACABA A APURAÇÃO

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais