Busca pelo PDT

0

O presidente regional do PSDB em Sergipe, deputado federal Bosco Costa, acompanhado dos deputados Luiz Piauhilino (PDT-PE) e do líder do PST na Câmara Federal, Doutor Helio (PDT-SP), esteve semana passada com o presidente do PDT, Carlos Luppi, para solicitar o comando do partido em Sergipe. Garantiu a filiação, no partido, de lideranças como o ex-governador Albano Franco, mais três deputados estaduais, vários prefeitos do interior, além dele próprio, que engrossaria a bancada federal no Congresso Nacional. Luppi foi sincero: “os senhores devem procurar o deputado federal João Fontes, lá em Segipe, porque é ele que está comandando o partido neste Estado”. Antes que a notícia se espalhasse com um tom completamente diferente, Carlos Luppi teve o cuidado de ligar para o deputado federal João Fontes e lhe comunicar o que estava ocorrendo.

 

João Fontes estava em Belo Horizonte, onde foi passar o Natal com a família de sua mulher e ontem esteve rapidamente em Brasília para tratar de assuntos relacionados com a organização do PDT em Sergipe. A sua resposta a Carlos Luppi foi de que não tinha interesse na filiação do grupo do ex-governador Albano Franco no partido, porque ele estava formando uma legenda de esquerda, que iria de encontro ao Governo do presidente Lula da Silva: “Albano pode procurar outro partido, como o dos Trabalhadores, que já tem uma ala que defende sua filiação e de seu pessoal”, disse Fontes. O deputado disse que o ex-governador “não tem apenas que ficar com o Partido dos Trabalhadores, mas assumir o noivado e marcar o casamento”.

 

O deputado federal João Fontes garantiu que o ex-governador Albano Franco, com todo o seu grupo, está querendo ir para o PT, onde será bem recebido e alfinetou: “O PT de hoje está bem mais à direita do que o PT que Albano Franco apoiava indiretamente há dois anos”. De qualquer forma, João Fontes acha que o grupo não cabe no PDT que ele está formando, porque será um partido de vanguarda, com posições definidas de oposição ao presidente Lula da Silva, o que não faz o estilo do ex-governador. O objetivo de Fontes é formar uma legenda que não seja radical, mas que cumpra as funções sociais que o PT defendia antes e que defenda reformas estruturais para um país que mantém as diferenças regionais, a má distribuição de renda e que privilegia uma elite que hoje está sendo beneficiada pelo Governo do presidente Lula.

 

Uma das perguntas que se faz nos bastidores da política, é a razão que bloqueia a ida do ex-governador Albano Franco para o Partido Liberal, que é uma legenda aberta a ele, inclusive com tapete vermelho estendido, onde se acomodam pessoas que seguem o seu pensamento político, e que integra o bloco de oposição ao Governo de Sergipe. A Direção Regional do Partido, que tem à frente o deputado federal Heleno Silva, já esteve com Albano Franco para formalizar o convite de filiação. O senador não aceitou e declarou que iria permanecer no PSDB, porque havia recebido telefonemas de membros da Executiva Nacional garantindo que não haveria intervenção para a transferência de comando. Nisso existe uma grande incógnita, porque o senador José Almeida Lima já anuncia que assumirá o partido a partir de março, depois que houver a solenidade de filiação do seu grupo no PSDB. Será impossível um ou outro comandar, sem que haja uma posição declarada da Direção Nacional.

 

Evidente que o ex-governador Albano Franco vai esperar pelos acontecimentos e não antecipará uma posição, embora a informação de que o presidente regional do PSDB em Sergipe, deputado Bosco Costa, tenha procurado o presidente do PDT, Carlos Luppi, para assumir o partido, seja absolutamente verdadeira. De qualquer forma, se está acontecendo essa tentativa de outra sigla, é uma sinalização de que o grupo liderado pelo ex-governador Albano Franco, já está procurando outro caminho.

 

COMUNICAÇÃO

A retirada do Darf da Secretaria de Comunicação criou um clima de tensão para o secretário Carlos Batalha e o adjunto Francisco Ferreira.

A partir de agora, todo o pagamento de setores da imprensa será feito através do secretário de Articulação Política, José Alves Neto, que teve essa mesma tarefa no segundo Governo de João.

 

ORÇAMENTO

A Secretaria de Comunicação teve aprovado um orçamento de R$ 1,3 milhão e o secretário adjunto Francisco Ferreira vai verificar se esse dinheiro está na rubrica da Secom.

“Se tiver na outra Secretaria, a situação fica muito mais grave do que estou pensando”, disse. Chiquinho assumiu ontem a Secretaria, porque Batalha viajou para a Europa.

 

ENTREVISTA

Em entrevista à imprensa, o governador João Alves Filho disse que a questão do Darf não é direcionada a Carlos Batalha, que continua merecendo sua confiança à frente da Pasta.

O projeto é reduzir os 45 Darfs para apenas cinco e depois para apenas um, que vai centralizar todos os pagamentos do Governo.

 

SEPLANTEC

O economista Sérgio Fontes, que hoje dirige a Dehop, será o novo secretário do Planejamento, substituindo Antônio Carlos Borges.

Só ontem pela manhã Sérgio foi comunicado para onde iria, embora já soubesse que deixaria o Dehop. A mudança se insere no projeto de reforma da equipe de Governo.

 

DESBANCAR

Conversando com amigos, a bordo de um vôo doméstico, o governador João Alves Filho declarou que nas mudanças que serão feitas ele vai desbancar dois setores do Governo que nem a Bolsa de Londres ganharia essa aposta.

O pessoal que o acompanhava começou a analisar esses setores por eliminação.

 

CONCLUSÃO

Quais as duas secretarias que seriam desbancadas e que ninguém teria condições de acertar? Por eliminação, Fazenda e Educação não seriam porque já foram mudadas.

Agricultura é importante, mas não causaria tanto furor. Sobraram as Secretarias da Saúde, Eduardo Amorim, e da Segurança, Luiz Mendonça.

 

INAUGUROU

O governador João Alves Filho inaugurou, ontem, o estádio de futebol de Pirambu, que leva o nome de “André Moura”.

Na preliminar aconteceu o jogo entre Confiança e a Seleção de Pirambu e na principal o Sergipe jogou contra uma equipe formada pelos amigos do conselheiro Reinaldo Moura.

 

BATISTA

O governador João Alves Filho disse ao prefeito eleito de Pirambu, Juarez Batista, que os “Batistas” têm muita sorte na política sergipana.

O último deles, Lourival, passou 32 anos no Senado: “Quem sabe se o amigo não será o próximo” disse ele ao futuro prefeito.

 

REFLEXÃO

O deputado estadual, pastor Mardoqueu Bodano, PL, aproveitou o período natalino, para chamar a atenção da população e fazer uma reflexão sobre a fome e a miséria no Brasil e principalmente em Sergipe.

O parlamentar afirmou que a fome vivida por mais de 35 milhões no País não é por falta de comida e sim por má distribuição de renda. 


CONVITE

O governador João Alves Filho convidou o prefeito de Pirambu, André Moura, para assumir a Secretaria de Esportes.

André recusou. Disse ao governador que preferia fazer um trabalho políticos, nestes dois anos, para disputar um mandato proporcional em 2006.

 

GILMAR

Um promotor de justiça disse ao deputado Gilmar Carvalho (PV) que ouviu de uma pessoa ligada à SSP, de que ele não passaria de janeiro.

Gilmar diz que sua morte foi planejada em Itabaiana. Numa reunião, um ex-presidiário ofereceu-se para fazer o “serviço”, mas um empresário sugeriu que fosse forjado um acidente, desde que não passasse de janeiro.

 

RETIRADA

O líder do Governo, Venâncio Fonseca, retirou, ontem, da pauta para votação, o projeto que taxava imposto referente a doações.

Os deputados consideraram que não poderiam votar, porque não tiveram acesso ao projeto. A convocação extraordinária foi encerrada ontem.

 

ELEIÇÃO

O deputado estadual Venâncio Fonseca (PP) disse ontem que ainda é cedo para discutir sobre a Mesa Diretora da Assembléia Legislativa.

Acrescentou que não será um elemento desagregador e que uma candidatura sua só poderia acontecer se não causasse constrangimentos dentro do grupo.

 

Notas

 

ALMOÇO

O prefeito Marcelo Déda (PT) anunciou, ontem, durante almoço com jornalistas em um restaurante da orla, que a lista com os nomes do novo secretariado deve ser divulgada amanhã, porque ainda falta manter contatos com alguns nomes dos partidos aliados para definir a equipe para o próximo mandato.

Marcelo Déda adiantou que o secretário das Finanças, Nilson Lima, e a secretária do Planejamento, Lúcia Falcon, permanecem. Os secretários de Governo, Oliveira Júnior, e da Saúde, Rogério Carvalho, também não saem.

 

ORÇAMENTO

O deputado federal Jorge Alberto (PMDB) revelou, ontem, que dos 110 milhões de reais, do orçamento de 2004, derivados das emendas coletivas, até a semana passada o Governo Federal só havia liberado pouco mais de 18 milhões de reais, numa demonstração de que há um desrespeito com as emendas orçamentárias.

Jorge Alberto disse que este ano já está tudo concluído e vai ser aprovado por acordo, entretanto os deputados lutam para aprovar as emendas de bancada, mas o Governo Lula geralmente paga o que lhe convier.

 

MACHADO

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) disse ontem que estava esperando a presença de político nas pastas chaves do Governo João Alves Filho, já que ele tem declarado que a partir do próximo ano vai começar a fazer política e refazer a imagem de um Governo essencialmente técnico.

Machado revelou que tinha uma expectativa de uma mudança em que os políticos fossem prestigiados, para que a Administração mantivesse o seu lado técnico, mas com um tempero que desse sabor à política que o Governo anuncia.

 

 

É fogo

 

Gilmar Carvalho foi aprovado para o curso de Direito e os seus colegas queriam raspar-lhe a cabeça. Gilmar esperneou! É que ele fez implante recente de cabelos.

 

Sérgio Fontes estava de passagem marcada, amanhã, para a Europa. Cancelou porque vai assumir a Seplantec. Resultado: perdeu R$ 8.500 do pacote para viagem…

 

O economista Antônio Carlos Borges praticamente soube que perderia a Pasta alguns dias antes do Natal.

 

Alguns deputados estaduais aproveitam o período de recesso para uma esticada até a Europa. O dólar está convidativo…

 

Na Câmara Municipal prosseguem os contatos para as eleições da nova Diretoria. Os vereadores eleitos são os mais procurados.

 

O deputado estadual Belivaldo Chagas (PSB) votou contra o projeto da Parceria Pública Privada (PPP) do Governo do Estado.

 

O deputado Augusto Bezerra (sem partido) estranhou a atitude de Belivaldo, porque o PPP foi aprovado pelo Governo Lula.

 

O deputado federal João Fontes viajou a Brasília para participar de reunião do seu novo partido, o PDT.

 

O senador José Almeida Lima (PSDB) vem conversando com lideranças políticas sobre o fortalecimento da legenda.

 

O preço dos combustíveis não deve subir em 2005 e há até a possibilidade de uma redução ao longo do ano, segundo avaliação de ata do Comitê de Política Monetária – Copom.

 

A partir do ano que vem, existe a possibilidade do salário-maternidade ser concedido também a mulheres que recebem seguro desemprego.

 

O deputado Antônio dos Santos acha que as parcerias públicas privadas são a alternativa para que o país supere suas dificuldades.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários