Correu do pau

0

Depois de acusar o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Ulices Andrade, de usar o cargo para fazer chantagem política, o prefeito de Capela, Manoel Messias, o “Sukita” (PSB), pediu penico, correu do pau. Em nota veiculada nos jornais de ontem, o político falastrão desculpa-se com todos os conselheiros e até com os servidores do TCE “por declarações que podem ter sido compreendidas como ofensas”. Resta saber quem vai pagar pela veiculação da nota oficial, se o prefeito destemperado, ou o povo de Capela.

Velho problema

O verão ainda nem chegou e o governo já começa a contratar caminhões-pipa para abastecer a população do semi-árido. Também já está distribuindo cestas de alimentos com os flagelados. É a repetição de uma prática secular. Entra governo e sai governo sem que se invista em obras que permitam ao sertanejo conviver com a seca, em vez de esmolar água e comida ao poder público.

Greve assusta

As manifestações públicas e greves dos servidores da Justiça já surtiram os primeiros efeitos. Preocupada com a continuidade do movimento em vários Estados, a alta cúpula do judiciário brasileiro procurou representantes do Congresso para discutir o projeto que trata sobre o reajuste salarial da categoria. Teme-se que as greves causem desfalque de servidores da Justiça Eleitoral nos preparativos para as eleições municipais do ano que vem.

Rasga dinheiro

Carmópolis é citado em reportagem publicada hoje pela Folha de São Paulo sobre os municípios que recebem royalties pela extração de petróleo. Segundo o jornal, o Ministério Público investiga se a Prefeitura de Carmópolis cometeu irregularidade na construção de um teleférico, que custou R$ 3,5 milhões e só funcionou três dias. Os royalties rendem por ano ao município sergipano a bagatela de R$ 25,6 milhões. É, com tanto dinheiro, só rasgando um pouco.

Sem acordo

A Vale do Rio Doce mantém a negociação para explorar a mina de potássio em Sergipe. A informação foi dada pelo presidente da mineradora, Murilo Ferreira, ao jornal Brasil Econômico. Com a vida útil da mina de potássio Taquari-Vassouras, localizada em Rosário do Catete, prevista para terminar até 2017, a mineradora busca uma opção para seguir produzindo no país a matéria-prima da indústria de fertilizantes. Nos nove meses deste ano, a Taquari-Vassouras produziu 445 mil toneladas de potássio.

De olho na Copa

Sergipe vai começar a preparar as empresas que trabalham diretamente com os turistas, como hotéis, bares e restaurantes com vistas à Copa do Mundo de 2014. Na semana passada aconteceu a primeira reunião para discutir o treinamento que será promovido pelo Sebrae e a Confederação Nacional do Turismo para 20 empresas. Segundo o agente de viagem João de Souza Ávila, representante da Confederação, caso haja necessidade, outras empresas também passarão pelo treinamento.

Preocupado

Entrevistado pelo portal G1, o governador Marcelo Déda (PT) se disse preocupado com o compadre, ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), diagnosticado com câncer na laringe. “Conversei com o filho dele, o Sandro, e a primeira informação é que é de pouca gravidade (o tumor). Não avalio as conseqüências políticas disso, agora estou preocupado com a saúde de um amigo”, comentou Déda.

Aposta no Natal

A expectativa de que os preços dos produtos vendidos nos supermercados se mantenham estáveis até o fim deste ano contribuiu para que os empresários do setor ampliassem as suas encomendas à indústria num ritmo superior ao do Natal de 2010. No período natalino, as vendas devem crescer 15,6%, na comparação com o mesmo período de 2010. Esse resultado está acima das expectativas do setor feitas no ano passado, de 12,5%.

Incrédulo

O deputado federal André Moura (PSB) não aposta muito na promessa feita pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, de liberar R$ 18,6 para a construção do hospital do câncer em Sergipe. “Dinheiro de boca não vale. Quero ver na conta”, disse o incrédulo parlamentar. Segundo André, depois que o senador Eduardo Amorim (PSC) colocou a emenda de bancada e fez uma verdadeira peregrinação em favor do hospital, “agora é muito bom aparecer como pai para a criança”, numa indireta ao governador Marcelo Déda (PT).

Do baú político

O jornalista Luiz Eduardo Costa publicou ontem no Jornal do Dia uma história que se encaixa perfeitamente no Baú Político. Ele conta que “no segundo governo do engenheiro José Rolemberg Leite, um prefeito do interior muito conhecido e maneiroso, também cercado por fama nada recomendável, foi ao palácio para convidar o governador a comparecer à festa da padroeira do município. Insistiu muito. Disse que o povo ficaria ressentido se o governador não comparecesse. José Leite aquiesceu, prometeu-lhe que iria. No dia, convidou Carlos Britto, Procurador Geral do Estado, a acompanhá-lo. E lá se foram os dois.  Depois da procissão, da missa que se alongou até as oito da noite, o prefeito os convidou para que fossem para a sua casa jantar. Aceito o convite, casa cheia, centenas de pessoas, mesa farta e muita bebida rolando, o prefeito, que estava na mesma mesa do governador e do procurador, faz sinal para um homem que passava por perto. Ele chega e o prefeito sorridente, com certo ar de esperteza e cinismo, o apresenta: Governador, Dr. Carlos Britto, este aqui é o meu contador, homem muito competente, ele é quem faz essa arrumação com o dinheiro, para mostrar ao Tribunal de Contas, por isso, sempre sobra alguma coisa para fazer festas, um jantar como este, para tanta gente. José Leite, sem mudar o tom manso de voz que sempre tinha, disse: Me desculpe prefeito, lembrei-me de que tenho um compromisso agora em Aracaju e preciso voltar. Vamos, Dr. Carlos. No caminho de volta o governador apenas fez um comentário: Dr. Carlos, aquele jantar ia ser indigesto”.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários