Decisão de Renan aprofunda a crise política

0

Ao fazer muitas manobras para se recusar a assinar a notificação do Supremo Tribunal Federal que determinava o seu afastamento da Presidência do Senado, o Senador Renan Calheiros certamente não mediu as consequências do seu gesto e jogou o país na vala de uma crise institucional sem precedentes. O gesto de Renan, até apoiado pela Mesa do Senado, nunca visto anteriormente na história da República, é o precedente para que se possa contestar decisões do Supremo daqui prá frente. É um gesto sobretudo irresponsável independente que se possa apoiar ou não a decisão do Ministro Marco Aurélio Mello que na sua decisão monocrática não levou em conta a grave crise política que ronda o país depois da decisão da Câmara de fatiar o tal projeto das medidas anticorrupção. Põe até em risco o governo do Presidente Temer. É aguardar o seu desenrolar, no dia de hoje, para ver o que de concreto vai acontecer. Uma coisa é certa: no rigor da lei, o Sr. Renan Calheiros está afastado da Presidência do Senado.

Orçamento para 2017 em discussão

A discussão na Assembleia em torno do Orçamento do Estado para 2017 começa a pegar fogo. Ana Lúcia levou toa sua plateia e professores e estudantes para ouvir seu discurso na quinta-feira, quando ela denunciou que o Estado está cortando algo em torno de 30 milhões e 508 mil das verbas da Educação, o que vai sacrificar diversos programas ora em desenvolvimento. Anunciou que não volta para a Assembleia em 1º de janeiro de 2019, o que significa dizer que não vai para as urnas no ano anterior, 2018. Disse pretender voltar às salas de aula e nesse caso vai se dedicar ao ensino para adultos, porque o analfabetismo anda crescendo muito neste segmento. Como daqui até lá estará com 70 anos de idade, difícil vai ser a Secretaria de Educação do Estado adotá-la como professora da rede estadual – ela já tem idade de serviço para se aposentar, mas nunca quis ir para a ociosidade remunerada. Na linha de frente nas lutas por uma educação melhor, ela defendeu que os professores precisam ter remuneração digna e que suas carreiras sejam intocáveis, “não destruídas como hoje”. Ao avistar uma faixa portada por estudantes – com os dizeres “Fora Jackson” – ela disse que “primeiramente, é o Fora Temer que deve prevaler”. Se com seu discurso conseguiu fazer a cabeça de algum deputado da situação, para votar contra o corte de verbas, isso não se sabe, mas, como sempre, ela foi brilhante em sua exposição. Especulava-se na bancada de Imprensa da Assembleia quem ela apontaria para ser sucessor na Casa. Pela proximidade com ela, os jornalistas apontaram o nome de Iran Barbosa, que recentemente foi reeleito vereador em Aracaju.

O líder do governo, Francisco Gualberto, do mesmo partido que o de Ana Lúcia, o PT, ouviu tudo com sinais de impaciência.

Comenda para um antigo comerciante

O comerciante Antônio de Melo Prudente foi o feliz contemplado com a Medalha do Mérito Parlamentar entregue pela Assembleia Legislativa ao final da manhã de terça-feira, em sessão especial. O plenário estava lotado de amigos e parentes que assistiram inclusive um vídeo preparado pela TV Alese sobre o homenageado. Nascido no dia 24 de novembro de 1917 – portanto, 90 anos – em Laranjeiras, o Sr. Prudente talvez seja dos comerciantes da cidade o mais antigo. Ele começou a trabalhar aos 9 anos de idade, ajudando  um irmão em casa de negócios. Aos s12 anos, passou a estudar a noite para, durante o dia, continuar no emprego. Em 1935 tornou-se sócio do irmão e quinze anos depois fundou a empresa Antônio Prudente &Irmão. . Em 1970 fundou o seu primeiro supermercado, na Rua José do Prado Franco. Atualmente comanda a empresa Prudente, Filhos & Cia. Ltda, no mesmo endereço. Entre 1972 e 1974 foi presidente da Associação Comercial de Sergipe, depois do que presidiu a Associação dos Supermercadistas de Sergipe. É casado até hoje, são mais de 70 anos, com D. Gilsa Prudente, uma senhora de uma simpatia extraordinária. Tem 5 filhos, alguns deles também encaminhados ao comércio.

Gasto com a Previdência

Revelação do deputado Georgeo Passos: o gasto com a Previdência vai chegar, este ano, a 1 bilhão e 700 milhões de reais. Já o orçamento do próximo ano, prevê um déficit de 500 milhões de reais, recorde absoluto.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais