Déda e o Planalto

0

O nome do prefeito Marcelo Déda volta a aparecer, com insistência, como cotado para assumir um Ministério em Brasília. Inclusive o mais importante, o da Casa Civil, substituindo ao poderoso José Dirceu, hoje experimentando a metralhadora giratória da imprensa sulista, que a cada dia mostra a impossibilidade dele continuar no Poder. Há quem diga até que Marcelo Déda ficaria melhor na coordenação política do Governo, substituindo ao deputado federal Aldo Rabelo (PCdoB), pelo seu bom entrosamento junto aos parlamentares que formam todos os blocos na Câmara Federal. Paralelamente, a imprensa nacional também incendeia o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT-SE), de uma forma sistemática. Semana passada, o combativo jornalista Hélio Fernandes, em sua coluna na Tribuna da Imprensa, fez críticas fortes ao presidente Dutra. Disse que ele não gostava do trabalho na Estatal, que não comparecia lá e até que sua ausência era comemorada pelos funcionários. No início desta semana, a Folha de São Paulo insistiu na tecla e o colocou como um dos primeiros a ser substituído numa reforma na direção das estatais. Segundo a Folha, José Eduardo sente muita saudade do movimento no plenário do Senado. O presidente da Petrobrás avisa que não vai deixar o cargo tão cedo, não será candidato a prefeito de Aracaju. Mas, na medida do possível, vai ajudar na campanha de reeleição do prefeito Marcelo Déda. A Folha de São Paulo, utilizando três tópicos da coluna Painel, publicado na segunda-feira, diz que haverá uma reforma em todas as empresas do Governo e o primeiro a sair seria José Eduardo Dutra. A mesma coluna diz que José Eduardo sequer se empolgou com as belezas naturais do Rio de Janeiro, onde fica a sede da Petrobrás, porque vive sonhando com o movimento do Congresso e com as discussões no Senado. O seu maior desejo seria eleger-se senador mais uma vez. O prefeito Marcelo Déda, aqui em Aracaju, revela que nunca recebeu qualquer sinalização do Planalto para assumir qualquer Ministério em Brasília. Admite que se trata de um trabalho para enfraquecer José Dirceu, e lamenta porque o considera uma das peças mais importantes do Governo Lula. Déda, inclusive, já chegou a afirmar que seu ministério é a Prefeitura de Aracaju, mas ficou satisfeito em ser lembrado pela imprensa, mesmo estando fora do eixo das decisões em Brasília, embora participe das discussões sobre problemas no Planalto. Déda tem mantido contatos diretos com Brasília e, evidente, não pensaria duas vezes em ajudar mais diretamente ao presidente Lula, mesmo que mantenha sua posição de que José Dirceu vem sendo vítima de um movimento para o seu afastamento do Planalto. Diante dessa possibilidade de Marcelo Déda retornar a Brasília como ministro e de José Eduardo Dutra retornar a Aracaju sem a Presidência da Petrobrás, hipóteses que estão apenas nas páginas dos jornais, pode acontecer uma candidatura do ex-senador à Prefeitura de Aracaju. Na opinião de lideranças políticas vinculadas a Déda, é mais fácil ele tentar o Governo via Brasília, do que através da Prefeitura da Capital. Mas há um problema: será que os aliados do PT ficariam conformados em votar em Dutra para a Prefeitura? Ou gostariam de indicar um nome para assumir a Capital, já que há um compromisso fechado no apoio a Déda ao Governo do Estado? São hipóteses que precisam ser levadas em consideração, porque com as mudanças na cúpula do PT, os demais partidos também querem uma posição política importante na Capital. A reeleição de Déda seria uma coisa, mas a eleição de José Eduardo Dutra teria um outro tipo de entendimento junto aos demais partidos que formam a oposição. SUCESSÃO A fonte é do Palácio dos Despachos, há um esfriamento na candidatura do secretário de Turismo, Pedrinho Valadares, à Prefeitura de Aracaju. Entretanto, há um crescente no movimento em torno do nome do empresário Gilson Figueiredo, para disputar a Prefeitura. COMÉRCIO Presidente da Câmara dos Diretores Lojistas, Gilson Figueiredo conta com o apoio da classe e tem a simpatia de lideranças do município. O ex-prefeito João Augusto Gama, hoje no PTB, saiu de movimento no comércio e conseguiu eleger-se. O pessoal imagina que o mesmo pode acontecer com Gilson. AFASTA-SE Gilson Figueiredo, que ocupa o cargo de secretário adjunto da Indústria e Comércio, deve se desincompatibilizar até sexta-feira. Evidente que ficará na espera dos acontecimentos e pode até tentar a Câmara Municipal, mas o seu nome é muito bem visto como candidato a prefeito. PEDRINHO Até o momento o candidato do PFL é o secretário de Turismo, Pedrinho Valadares, que deixa sexta-feira a pasta, para poder disputar a Prefeitura. Pedrinho estacionou nas pesquisas e até junho, se não crescer, pode ser substituído. Além disso, há algumas insatisfações com ele dentro do PFL. DETALHE Ontem, durante uma conversa com dois ou três secretários, ficou constatado que o nome de Pedrinho Valadares não pegou entre a equipe de Governo. Evidente que isso ainda será posto em discussão, porque é possível que os secretários sigam orientação do chefe do Executivo. SUZANA O PPS vai lançar o nome da deputada estadual Susana Azevedo para a Prefeitura da capital, mesmo que o PFL tenha candidato. Susana Azevedo já está trabalhando sua candidatura e o PPS espera ter alguma atenção do Governo, mesmo com o apoio a Pedrinho Valadares. MAIS NOMES Um influente nome que atua no Governo declarou que o grupo aliado terá três candidatos disputando a Prefeitura de Aracaju. Mandou avisar isso a Susana Azevedo. O mesmo personagem disse que vai estimular a candidatura do deputado Gilmar Carvalho (PV), para que esteja garantido o segundo turno. GILMAR A mesma fonte palaciana disse que na conversa que teve com o governador João Alves Filho, o deputado Gilmar Carvalho avisou que não seria mais candidato a prefeito. Alegou que atendia a um pedido dos seus familiares. João Alves pegou no braço de Gilmar e pediu: “não desista, o amigo deve ser candidato”. TELEFONEMA No dia seguinte, Gilmar Carvalho recebeu um telefonema de pessoa ligada a João Alves, que falou em nome dele: “O governador quer que você leve adiante a candidatura”. Consultado sobre o assunto, o deputado estadual Gilmar Carvalho disse que não costuma revelar conversas mantidas entre quatro paredes. NILSON Comentário sério feito por alguns membros que apóiam a reeleição de Marcelo Déda: “se o secretário das Finanças, Nilson Lima se desincompatibilizar, será o candidato à vice”. Nilson não deixará as Finanças para disputar a Câmara e a possibilidade de uma chapa puro sangue atormenta aos demais partidos, que querem indicar um nome para vice. DIFÍCIL Segundo um dos mais fortes aliados do prefeito Marcelo Déda, nenhum dos partidos aceitará chapa puro sangue para disputar a reeleição. Garantiu que esse é o pensamento de Jackson Barreto (PTB), do senador Valadares (PSB) e de Heleno Silva (PL). DÉDA O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), passou todo o dia de ontem conversando sobre as mudanças que fará em sua equipe de auxiliares. Com a saída de cinco deles para disputar as eleições, o objetivo de Marcelo Déda é mesclar o secretariado com membros dos partidos aliados. FUNCAJU Durante o encontro que teve com Jackson Barreto (PTB), o deputado Fabiano Oliveira pediu que o partido visse a posição do Funcaju. Fabiano colocou o seu nome à disposição do PTB para ser o vice, mas disse que não criaria dificuldades, embora queira fixar uma posição política dentro do Município. EDVALDO Jackson Barreto revelou que a indicação do nome de Fabiano Oliveira para vice agrada a vereadores e ao próprio PTB. Entretanto, sugeriu que, para evitar que os outros partidos também indiquem candidatos, seria melhor defender a reeleição de Marcelo Déda e Edvaldo Nogueira. Notas DITADURA A Assembléia Legislativa vai realizar sessão solene, hoje pela manhã, para prestar uma justa homenagem a alguns nomes de Sergipe que foram vítimas do golpe militar de 1964, um dos períodos mais tristes da história brasileira. O golpe faz 40 anos de péssima lembrança para o Brasil. Nomes importantes serão homenageados, como é o caso de Wellington Mangueira e a mulher Laura, Marcélio Bomfim, Milton Coelho, Antônio Góes, Agonaldo Pacheco, Lídio dos Santos, José Carlos Teixeira e outros. PROPRIÁ Mesmo diante de algumas pressões de vários aliados, o prefeito de Propriá, Renato Bandão (PTB), vai indicar o nome do médico Paulo Brito como o candidato que terá seu apoio à Prefeitura daquela cidade. Paulo é irmão do ministro do STF Carlos Ayres Brito e participa há muitos anos da vida política de Propriá. Agora será esperar que o PFL se defina, pra saber quem o grupo liderado por Renato Brandão vai enfrentar naquela cidade. Tem quem aposte que a ex-prefeita Maria das Graças do Nascimento será a candidata. EMPOLGAÇÃO O presidente da Câmara Municipal, Sérgio Góes (PL) ficou empolgado no discurso que fez durante a inauguração da colina de Santo Antônio. Enalteceu o prefeito Marcelo Déda, disse que ele pode ser ministro do presidente Lula e, num crescente, foi gritando: “Déda pode ser até presidente da República”. O deputado federal Jackson Barreto (PTB) pisou no freio do vereador Sérgio Góes para dizer que o projeto do grupo não chega a tanto, porque antes de passar pela Presidência tem o Governo do Estado. É fogo A deputada Susana Azevedo (PPS) está animada com a sua candidatura à Prefeitura de Aracaju e está conversando com vários segmentos da política sergipana. O candidato a prefeito pelo PFL, Pedrinho Valadares, dará entrevista hoje, às 7:30, no café da manhã no beiju da orla de Atalaia. Sexta-feira próxima será a data limite para que os candidatos nas próximas eleições se desincompatibilizem dos cargos. Áurea Ribeiro, nora do ex-deputado Rosendo Ribeiro, continua firme em sua campanha à Prefeitura de Lagarto. Pela forma como as coisas vêm acontecendo, o Partido dos Trabalhadores terá uma chapa puro sangue em outubro. O vereador Elber Batalha (PSB) vai continua sua luta para regularização das pousadas e motéis em Aracaju, mesmo com o veto do prefeito. As micro e pequenas empresas vão desaparecer, porque o Governo Federal insiste em não querer fortalece-las. O deputado Gilmar Carvalho (PV) revela que não tem escola da rede estadual que esteja funcionando normalmente. Os problemas são inúmeros e os estudantes sofrem com isso. “Ditadura nunca mais” é o tema do debate que o PT promove hoje para discutir o Golpe Militar. Será no Diretório da DRT. José Ribeiro Silva, o popular Rola, ainda não se convenceu que deve disputar uma das 21 cagas da Câmara de Aracaju. A conjuntura econômica foi o principal fator na forte queda da avaliação do Governo do presidente Lula. Os dados é de pesquisa do Instituto Sensus. A crise de energia na Argentina ainda não afetou as operações da Petrobrás naquele país e pode favorece-la na venda de óleo combustível para o Chile, diz José Eduardo Dutra. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais