Derretimento das geleiras

0

O derretimento das geleiras no Ártico pode custar de US$ 2,4 trilhões a US$ 24 trilhões até 2050 em danos à agricultura global, aos imóveis e às seguradoras causados pelo aumento do nível dos oceanos, enchentes e ondas de calor.

 

Todos ao redor do mundo irão carregar esses custos.

 

0 Ártico é o ar-condicionado do planeta e ele está começando a entrar em colapso.

 

As perdas podem aumentar, pois um Ártico mais quente tende a soltar grandes quantidades de metano. 0 gás teria um impacto 21 vezes maior que o dióxido de carbono no aquecimento global.

 

Dois novos estudos sugerem que as águas mais quentes estão derretendo muitas das geleiras da Groenlândia que fluem para os fiordes. As geleiras da Groenlândia estão derretendo mais rápido do que costumam e isso contribui para que o nível do mar suba no mundo inteiro.

 

Embora as temperaturas atmosféricas mais elevadas estejam reduzindo as geleiras de cima, os cientistas também queriam determinar se o aquecimento na temperatura dos mares não estaria ajudando a derreter as geleiras localizadas em fiordes. Dois estudos publicados pela revista Nature Geoscience oferecem indícios de que esse é de fato o caso.

 

Em um deles, Fiammetta Straneo, do Instituto Oceanográfico de W oods Hole, e seus colegas estudaram as temperaturas e a circulação de águas em um fiorde do leste da Groenlândia, que serve como limite à geleira de Helheim. Constataram que o fiorde de mil metros de profundidade estava sendo continuamente reabastecido com água relativamente quente (ou seja, em temperatura da ordem de cinco a seis graus), vinda do mar e propelida pelos ventos.

 

Os pesquisadores dizem que a água fria derretida na porção submarina da geleira se combina à água mais quente e salgada que ascende das profundidades do fiorde. A água sobe ao longo da parede da geleira e causa maior derretimento. A nova mistura penetra na geleira. Os cientistas calcularam que o derretimento submarino tem ritmo duas vezes mais acelerado que o superficial.

 

Enquanto milhões de pessoas na costa leste dos EUA se escondem em suas casas cobertas de neve, os dois lados do debate climático usam as tempestades para reforçar suas visões.

 

Céticos do aquecimento estão usando a nevasca recorde para desdenhar de quem alerta para as mudanças climáticas perigosas causadas pelos seres humanos – está mais para resfriamento global, provocam.

 

A guerra em tomo das nevascas está acontecendo na esteira de uma série de controvérsias climáticas: nos últimos meses, críticos da idéia do aquecimento global atacaram o relatório de 2007 do IPCC (Painel Intergovemamental sobre Mudança Climática) e afirmaram que e-mails roubados de um centro de climatologia na Inglaterra levantam dúvidas sobre a integridade acadêmica de alguns cientistas do clima(Ambientebrasil.

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários