Deso: concursados e terceirizados

0

O futuro governador vai encontrar sérios problemas na Deso. Alguns deles, referentes a obras, já foram relatados por esta coluna. Mais tem mais. Na área dos recursos humanos um grave problema: os servidores antigos com direitos adquiridos com toda razão; os novos servidores concursados sendo massacrados, inclusive pelos próprios colegas e os terceirizados cujos contratos fazem com que – pelo menos no papel – alguns deles ganhem mais do que os concursados.

   Há várias semanas este jornalista vem recebendo informações sobre a situação, mas resolveu checar com alguns servidores. A coluna analisou o contrato assinado recentemente, de número 366/06, com a empresa Valor Humano Serviços Gerais Ltda, que substitui a empresa Ravele. O que mais chama a atenção são os valores pagos aos atendentes comerciais e a carga horária deles: 44 horas semanais. Enquanto isso os funcionários da Deso, concursados e contratados há pouco tempo, travam uma batalha com a direção da empresa pela isonomia com os colegas antigos. A verdade é que a Deso paga no contrato para que os terceirizados trabalhem 8 horas diárias, mas na pratica eles trabalham apenas 6 horas, deixando seus postos no mesmo horário dos funcionários antigos.

    A reclamação dos concursados é justa. Enquanto eles entraram legalmente, suaram a camisa, perderam o tempo estudando e entraram pelos próprios méritos, os terceirizados, que na sua maioria é indicada por políticos, têm maiores privilégios. E para os concursados vale o edital do concurso que estabeleceu 8 horas, mas para os terceirizados não vale o contrato que também estabelece 8 horas diárias. O Sindisan precisa fazer alguma coisa. O sindicato que tem representantes que estão na linha de frente não pode neste momento discriminar os novos servidores concursados da Deso. Os novos servidores reclamam que não estão recebendo o apoio devido do sindicato.

    Alguns servidores concursados já denunciaram o problema ao Ministério Público, mas parece que o órgão também fechou os olhos. O pior de tudo é que existe uma discriminação dentro da empresa onde os concursados são chamados de “novatos” e “têm a obrigação de dar o sangue pela empresa, pois se estão chegando agora e tem que trabalhar por eles e pelos antigos”. Sem falar nas perseguições e ameaças quando alguns dizem não.

   Os dirigentes do Sindisan devem assumir a bandeira destes seus novos colegas. Não pode deixar que a direção da empresa trate eles com discriminação. Pelo jeito é mais uma bola que será passada para o próximo governo resolver. E haja gol contra…

 

Ampliação gera divergência em sistema de comunicação

Uma coluna social publicou no final de semana a possível cisão de uma sociedade empresarial. Trata-se da FM e TV Sergipe que tem como acionistas Lourdes Franco e Albano Franco. O motivo seria o desentendimento dos sócios visto que Albano – dono de grande visão empresarial – tem em projeto a ampliação do sistema de comunicação com o surgimento de um jornal e outras emissoras de rádio. Só que a iniciativa desagrada à sócia, que prefere não apostar em novos investimentos. Daqui a dois anos o poderoso grupo terá mais uma acionista: Carolina Franco, filha de dona Lourdes, ao completar 18 anos terá direitos sobre o patrimônio da empresa. 

 

 

Dois diretores manipulam o Prodeb/Seed I
Dois diretores da rede estadual de ensino estão sendo denunciados ao Ministério Público por tentar dificultar a participação de uma empresa na cotação de preços quando da aplicação dos recursos do Prodeb. O Prodeb é um recurso federal encaminhado diretamente para as escolas cuja aplicação fica sob a gestão dos diretores e presidentes de Comitê Escolar, como se trata de recurso público o empresário solicitou o cadastramento de sua empresa e o direito de apresentar uma proposta de preço para as aquisições que a Escola desejasse, acostumados a escolher os fornecedores a quem deseja comprar, de forma direta e pessoal, alguns diretores chegaram a
agredir verbalmente o representante da empresa.

 

Dois diretores manipulam o Prodeb/Seed II
Entendendo que os recursos devem obedecer as recomendações da Lei 8.666/93, o empresário recorreu ao Ministério Público para denunciar o procedimento e solicitar que seja assegurado o seu direito de apresentar orçamento. Embora pareça simples, a interferência do Ministério Público pode constatar a existência de improbidade administrativa se concluir que as aquisições são feitas sem uma real disputa de preços e que são criados obstáculos para a participação de outras empresas.

 

 

Lupi confirma reunião com Marcelo Deda I

Como a coluna noticiou ontem com exclusividade ontem – no programa Fala Sergipe, na rádio Atalaia, comandado por Fábio Henrique – o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, confirmou o convite feito pelo governador eleito, Déda, para que o partido participe do futuro governo. Lupi disse que ficou honrado com a visita de Déda e entende que João Fontes, presidente estadual, não vai se negar o diálogo, que faz parte do jogo democrático. “As forças reacionárias foram derrotadas em Sergipe e Fontes tem uma história de esquerda”, explicou.

 

Lupi confirma reunião com Marcelo Deda II

O presidente do PDT disse ainda que o partido não negocia cargos, mas debate princípios como vem ocorrendo nacionalmente. “Existe um sentimento majoritário do apoio ao PT tanto  nacionalmente, como em Sergipe”, revelou, afirmando que existe a necessidade de que o PDT saia do isolamento em Sergipe. “Tenho a certeza que Fontes terá a flexibilidade para entender este novo momento que estamos vivendo e que ele jamais ficará ao lado de torturadores”, frisou. Hoje à tarde, no plenário da Câmara, um grupo de pedetistas fará uma reunião para debater o assunto.

 

Indicação positiva para desenvolvimento econômico I

A indicação do empresário Jorge Santana para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia está repercutindo bem junto ao empresariado. Hugo Lima França, presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac em Sergipe entende que o governador eleito, Marcelo Déda escolheu para a área da indústria e comércio uma pessoa com livre acesso junto ao empresariado e que hoje é uma grande revelação à frente da Associação Comercial onde deixará um trabalho marcado por toda história da entidade.

 

Indicação positiva para desenvolvimento econômico II

Já Manoel Lisboa coordenador do Fórum Empresarial e membro do Convention Bureau, Déda não poderia ter escolha melhor para área já que Jorge Santana é um estudioso nas questões relacionadas ao desenvolvimento de Sergipe e ele deve dar uma grande contribuição para o próximo governo, principalmente porque tem um excelente trânsito junto ao empresariado sergipano.

 

 

 

PCdoB tem novo presidente em Sergipe

A Direção Estadual do PCdoB em Sergipe aprovou o então secretário estadual de Organização, Hallison Sousa, para substituir Bosco Rolemberg na presidência do partido. Com a posse de Edvaldo Nogueira (PCdoB) na Prefeitura de Aracaju, Bosco tinha se licenciado do cargo para ocupar a função de Chefe de Gabinete do prefeito. O novo presidente é formado em Direito pela Universidade Federal de Sergipe, e começou a militar no PCdoB através da UJS, no movimento estudantil. São 14 anos de militância no partido em Sergipe. Entre os novos desafios que serão encontrados por Hallison, está a continuidade da expansão partidária no Estado e o fortalecimento do partido perante a sociedade.

 

Leitor “esqueceu” de criticar atual governo

Sobre a critica de um leitor publicada nesta coluna referente à indicação de Paulo Viana para a área da agricultura, outro leitor lembrou: “o referido leitor esqueceu de informar que os técnicos da Deagro e Cohidro e passaram a gestão de João Alves com um único diretor-presidente, Roberto Alves, irmão do respectivo governador, comandando as duas  empresas com toda ineficácia que poderia existir no serviço público. E por  último na Secretaria da Agricultura um empresário do ramo de casas noturnas, o Sérgio Reis – outra coisa não sabe fazer. Portanto, esse leitor não conhece bem essas empresas para fazer críticas do próximo secretário”.

 

Agências da CEF desrespeitam os clientes

Alguém tem que tomar uma providência com a agência da CEF da Praça Fausto Cardoso. Clientes estão passando mais de uma hora para serem atendidos no local. Como se não bastasse à demora o sistema de climatização está quebrado. Um funcionário disse que a gerência já pediu providências para o setor responsável, mas nada foi feito. Ontem também, na agência da CEF do DIA (antiga Projel) um cliente tinha agendado para ser atendido às 13h15. Às 14h não tinha sido atendido e as pessoas agendadas para 13h não tinham nem sido chamadas. O cliente procurou um gerente e não encontrou ninguém no local. A pergunta é: a quem reclamar? O Procon que vem aparecendo tanto nos últimos dias fecha os olhos para os bancos? Será que cliente bancário não é consumidor?

 

“A Liberdade da Expressão” sem sair de casa

Os leitores que desejarem adquirir o livro deste jornalista sem sair de casa basta ligar 9991-4502 ou enviar por e-mail o endereço em Aracaju. O livro está sendo vendido ao preço de R$ 20,00. O livro encontra-se a venda nas bancas de revistas Amarelinha (próxima ao restaurante O Miguel); Waluvi I, na Avenida Hermes Fontes próximo ao posto de saúde Sinhazinha e Waluvi II, na Avenida Pedro Paes de Azevedo com Francisco Porto e na Banca Ponte do Imperador na Praça Fausto Cardoso. O livro está sendo vendido também nas livrarias Escariz e Nobel. 

 

 

Raymundo Luiz lançará livro

Será lançado nesta quinta-feira, logo após a sessão de encerramento do ano legislativo na Assembléia, o livro de memórias do jornalista Raymundo Luiz, hoje diretor de Imprensa da Casa. Batizado de “Falando Francamente” – nome do programa que ele apresentava na Rádio Cultura -, o trabalho foi escrito pela jornalista Mônica Pinto, residente agora em Curitiba, mas que chega a Aracaju na quarta, especialmente para prestigiar o evento.

 

Ana procurar sarna para se coçar

Eita deputada encrenqueira essa Ana Lúcia. Agora ela quer que o secretário da Indústria e Comércio, Décio Garcez explique na AL, como doou uma área de 90 hectares para a instalação de uma refinaria. Deputada, deixe os homens trabalharem. Depois vão culpar a senhora pela não instalação da refinaria de peroba, digo, de petróleo.

 

Rogério Carvalho lança livro sobre Saúde

O deputado estadual eleito Rogério Carvalho lança amanhã, às 19 hs, na Sociedade Semear o livro Saúde Todo Dia  – Uma Construção Coletiva. O livro editado pela Hucitec é a tese de doutorado de Carvalho, defendida na Unicamp ano passado. Segundo o próprio Rogério diz nos seus agradecimentos, ele fala da experiência de implantação do SUS – Sistema Único de Saúde em Aracaju, ou seja, de uma construção coletiva, da construção de uma grande geração de profissionais de saúde comprometidos com uma política que assegura aos brasileiros a saúde como um direito fundamental do cidadão.

 

Casa da Moeda no Memorial do Judiciário

Será aberta amanhã, no Memorial do Judiciário a exposição “Casa da Moeda do Brasil”. Será às 18h. O Memorial do Judiciário fica na Praça Olimpio Campos 417 e a exposição ficará aberta ao público das 8h às 18h até o dia 19 de janeiro.

 

Ministra “esqueceu” do deputado Augusto Bezerra

A Ministra do STJ, Eliana Calmon recebeu ontem o título de cidadania sergipana na AL. O autor da homenagem, Augusto Bezerra fez um belo discurso. Já a ministra “esqueceu” de agradecer a AL e ao deputado pela homenagem. Se limitou a agradecer o governador João Alves Filho. 

 

 

Cartilha da Boa Arbitragem lançada em São Paulo

O advogado José Carlos Góes Montalvão, Vice-Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe e consultor da Câmara de Mediação e Arbitragem de Sergipe, participa hoje, dia 12, terça feira, em São Paulo, do lançamento da Cartilha da Boa Arbitragem, numa iniciativa do Ministério da Justiça, através da Secretaria de Modernização Judiciária. O evento será na Faculdade de Direito da Fundação Getulio Vargas, a partir das 9 horas. A iniciativa do Ministério da Justiça de incentivar a utilização da Arbitragem como solução extrajudicial de conflitos é, na opinião do advogado sergipano, a efetivação da Lei 9.307/96. “O Judiciário vive sobre-carregado. A desjudicialização através da Arbitragem, é colocar o Brasil no mundo globalizado. Hoje qualquer bem patrimonial disponível pode ter um eventual litígio sendo resolvido através do instituto da

arbitragem. É moderno, rápido, barato e eficiente. A sentença arbitral tem o condão de ser um título executivo. Quem tem conflito e deseja breve solução, o caminho é a arbitragem”, afirma Montalvão.

 

Sobre o artigo da visita de Kércio a polícia civil I

Sobre o artigo publicado ontem da visita de Kércio a cúpula da polícia civil. De um leitor: “A SSP deve ser uma única instituição, e não a Militar e a Civil. É sabido quando unidades se juntam, formam uma equipe, e é muito mais difícil derrubar uma equipe, por isso a necessidade da união entre a Polícia Civil e a Militar, pois o povo, este é único, e é merecedor de uma bem equipada, técnica e satisfeita polícia sergipana. Chega, não podemos mais aturar esta diferenciação interna, não podemos mais ver e admitirmos, muitas vezes por omissão, por complacência ou mesmo por um corporativismo que todos nós enojamos determinadas atitudes lesivas ao patrimônio do Estado. A polícia de Sergipe não é, e nunca será apenas os delegados de polícia, bem como também não será apenas os comandantes da PM. Nesta instituição zelam pela segurança da população, diretamente, os agentes de polícia, os escrivães, os agentes auxiliares, os soldados, cabos, sargentos, mas infelizmente nenhum representante destas classes foram procuradas.

Infelizmente nos traz a aparência que a base da instituição não será mais uma vez ouvida, pois o topo da pirâmide continua sendo agraciado, como esta ocorrendo devido a imensa desproporção salarial existente entre os Delegados, escrivães e agentes de polícia. Todos nós que trabalhadores ou não da SSP, esperamos do futuro Secretário uma oportunidade de expormos nossas propostas para melhorar a segurança da população sergipana, pois sem dúvida, somos nós, os linha de frente que conhece na veia os percalços sofridos pelos aplicadores da Lei.A população urge pela segurança, mas que esta segurança não resuma-se à compra de carros, de helicópteros ou armas, mas a uma política correta, direta e eficaz, baseada na qualificação e na boa remuneração à Polícia de Sergipe”.

 

 

Sobre o artigo da visita de Kércio a polícia civil II

Análise de outro leitor: “tenho lido quase todos seus artigos e este realmente foi um dos melhores. Tudo que novo o povo acaba depositando uma enorme confiança e acredita na mudança foi assim com todos que foram indicados para aquela difícil pasta. Talvez o governador não tenha acertado muito quando nomeou para SSP/SE um delegado, pois como todos sabem o delegado de policia tem uma visão altamente repressiva e gosta de mostrar resultado com a exibição de delinqüentes presos. Sabemos que as prisões são necessárias e muito importantes no combate ao crime, mas o que precisamos é que o crime não aconteça e isto só é possível quando houver investimento no policiamento preventivo que feito pela policia militar. Você diz muito bem começa mal o novo secretário quando em reunião de cúpula deixa de fora o comando da policia militar. Enquanto o comandante da policia militar tem responsabilidade com 6.000 homens o superintendente tem um pouco menos de 1.000 homens.  Enquanto um Coronel de Policia ganha em torno de R$ 3.500,00 sem carga horária definida, ou seja, trabalha a qualquer dia a qualquer hora o delegado ganha três vezes mais com uma carga horária máxima de 40hs”.

 

Sobre o artigo da visita de Kércio a polícia civil III

Continua o leitor: “Como diz um político conhecido em Sergipe todos se conhecem e quem conhece a segurança publica em Sergipe sabe que no interior não há policia civil, há policiais militares fazendo os dois papeis. No interior do estado os conhecido assessores não recebem da SSP como tal, pois não há cargos de comissão para todos. É possível que dos municípios onde não tem delegados de carreira não conseguimos encontrar 10 assessores que recebam quaisquer gratificação do estado.  O que ocorre, e o novo secretário não vai resolver de imediato, é que alguns são mantidos pelos administradores municipais. Ou se investe numa policia preventiva forte ou continuaremos assistindo o lamento do povo de Sergipe pedindo segurança. E o que traz a tranqüilidade da população não é exibição de presos e sim o patrulhamento  dos nossos bairros é a presença constante da tropa fardada inibindo o crime”.

 

 

Sobre o artigo da visita de Kércio a polícia civil IV

Outro leitor: “Antes de mais nada parabenizo pela habilidade de tratar de um assunto sério e muito grave que é a condução da SSP, ao comentar a visita do senhor Kércio a cúpula da SSP. Assim, penso que o tratamento dado às diversas instituições que fazem aquela pasta passa por um momento de anomalia. Por que tal cultura prospera no Estado de Sergipe? A quem interessa criminalizar a segurança pública? Quais as instituições que ganham com isso? Infelizmente são instituições e não o cidadão. Nos países de tradição democrática a política de segurança tem como ênfase a polícia judiciária, mas nos países de tradição autoritária, nosso caso, a ênfase deve ser dada à prevenção do crime, ou seja, a policia ostensiva. Por que será que em Sergipe existe tanta relutância em colocar este axioma em vigor. Talvez Rousseau esteja certo quando afirma no livro “Emílio ou da Educação”, “tudo está bem quando sai das mãos do autor das coisas, tudo degenera entre as mãos do homem”.

 

Debate foi o objetivo principal do artigo

Este colunista gostou de ler e refletir que segmentos da segurança pública analisaram o artigo de ontem como uma contribuição para o debate e não para aumentar o enfrentamento entre as policias. A coluna entende que Kércio Pinto pode superar o episódio reunindo, antes da posse toda cúpula da SSP. O problema não são os salários dos delegados que estão com seus direitos garantidos quando são bem remunerados. O problema está no pagamento injusto para diversas outras categorias. Essa é a diferença. Não se pode fazer uma segurança pública com tanta disparidade salarial.

 

Frase do Dia

“Se meus inimigos pararem de dizer mentiras a meu respeito, eu paro de dizer verdades a respeito deles.” A. Stevenson.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários