Divergências Petistas

0

PLENÁRIO não incentiva a discussão interpartidária e nem torce para que o circo pegue fogo. Mas, como qualquer coluna política, sente-se bem em publicar opiniões e posições divergentes em qualquer conglomerado político. Elas existem com naturalidade e não pode ser diferente, porque qualquer legenda registra uma ou outra voz dissonante e discordante, principalmente quando uma das facções está no comando das ações. Ultimamente este espaço tem servido para desabafos de sentimentos contrariados, mas estão resvalando para o lado mais pessoal das pessoas que se manifestaram, o que se torna prejudicial ao debate sadio e democrático, em busca de posições e compromissos ideológicos. Para isso a coluna negará espaço. Entretanto, continuará aberta ao diálogo, mesmo que seja áspero, entre integrantes de qualquer partido, desde que não tenha o ranço do insulto, do deboche e dos problemas de ordem pessoal.

Em nenhum momento PLENÁRIO procurou abrir a polêmica, nem a provocou. Entretanto, cumpriu a obrigação de divulgar fatos que acontecem no dia a dia das legendas partidárias o que, normalmente, provoca réplicas e tréplicas. Mas a coluna não servirá para que seja a arena das disputas internas do Partido dos Trabalhadores, que sempre tiveram presentes na vida da entidade, através das diversas tendências que integram uma sigla que precisa adquirir maturidade para saber estar no poder. Mas, de qualquer forma, é bom que a discussão aflore, porque deixa passar a exata noção de que o PT chegou ao poder, mas suas bases ainda têm o direito de gritar, pelo menos nos Diretórios Estaduais e a cúpula nem sempre é cúmplice, entre si, de uma certa ascensão conquistada por uma das facções que divide o partido. Aliás, é esse o PT que sempre se viu nos embates e não aquele que expulsa quem não concordar com o que agride o próprio pensamento de alguns setores petistas.

As mensagens que estão chegando a esta coluna são um demonstrativo das insatisfações que vão tomando corpo nos segmentos que não se sentem no Poder. Não se está falando de poder como instrumento de força e privilégios, mas daquele em que o sujeito se sente responsável pelas mudanças que a sociedade reclama. Aquele em que o militante quer ver resultados da filosofia partidária e quer ver fazer cumprir o que fora traçado para modificar os rumos de um país, de uma cidade, de um Estado. Evidente que o grupo Articulação está no pódio e decide pelo partido, mas as mensagens sinalizam que há insatisfação em excesso, principalmente porque está havendo o favorecimento de uma coligação em que os aliados se saem bem, mas os correligionários nem tanto. No entender dessa base excluída, o pensamento de alguns integrantes do grupo que dá sustentação política ao prefeito Marcelo Déda, não casa com os compromissos do Partido dos Trabalhadores, quando ele ainda não havia ultrapassado a barreira do legislativo. O primeiro e-mail enviado a Plenário dizia isso nas entrelinhas, mas foi imediatamente bombardeado por respostas que tinham origem no lado protegido por quem hoje tem a força política.

PLENÁRIO não conhece as profundezas dos bastidores do Partido dos Trabalhadores e recebe informações exatamente pelo correio eletrônico, com o cuidado de ir buscar a verdade da fonte. Mas pressente que, se o caldeirão ainda não está em ebulição, pelo menos já foi posto no fogo. A convenção que o partido deve realizar até o final de fevereiro, não será um mar de risos e afagos. Terá ondas de altitudes consideráveis e os peixes grandes vão ouvir a revolta das piabas. É isso que aparenta, porque a hierarquização do Partido dos Trabalhadores é coisa nova na legenda, mesmo que uma ou outra tendência esteja com a força e empine o nariz para o que esta vindo de baixo. Como hoje já não se trabalha com um PT que está fora do poder, evidente que será muito mais complicado para esse pessoal que grita, mas não foi testado nas urnas, conseguir algum êxito, mesmo que conclame o que dita os estatutos.

Hoje o PT, como os outros partidos, tem liderança solo e, com o potencial eleitoral que demonstra, com certeza não vai descer à discussões de reuniões de base. Decidirá do alto os rumos do partido. E é aí que o caldeirão ferve…

E-MAIL 1

Um novo e-mail é enviado sobre o Partido dos Trabalhadores e diz que “o petista Gilson Costa jogou sua história no lixo”. Lembrou que “ele dirigiu com maestria o Sindicato dos Bancários”. Acrescenta que hoje Gilson “vive acomodado com sua esposa em dois cargos em comissão na Prefeitura de Aracaju. O mais estranho: recebem sem trabalhar”.

E-MAIL 2

O mesmo e-mail diz que “Rosineide Messias, que se auto-intitulou de assessora de imprensa do PT é apenas secretária de imprensa do partido”. Lembra que “ela exerce o cargo sem formatura em jornalismo ou radialismo”. E brada “acorda Cristian Góis, presidente do Sindijor! O exemplo deve começar de casa”.

E-MAIL 3

A mensagem continua: “esclarecidos alguns pontos, vamos apenas levantar um pouco da lona do caminhão de problemas que hoje vive o PT em Sergipe”. E relaciona: “o telefone da sede do partido, à rua Itabaiana, foi batizado de pai de santo porque só recebe ligações e não liga pra ninguém”.

E-MAIL 4

E tem mais: “A Telemar vai manter esta situação por seis meses. Depois, se não houver pagamento, o tesourão entra em cena”. E conclui: “Aguarde os próximos capítulos da novela intitulada Um Caminhão de Problemas. Se faltar freios vai ser um salve-se quem puder”.

CÂMARA

O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), ao dar posse aos seus auxiliares, disse que manterá uma relação pacífica e respeitosa com a Câmara de Vereadores. As palavras foram dirigidas ao vice-presidente da Câmara, vereador Vinícios Porto, que estava na solenidade representando o legislativo.

VISITA

Marcelo Déda pediu a Vinícios Porto que transmitisse ao presidente da Casa, Zeca da Silva (PSB), que fará uma visita protocolar a Casa. O prefeito pretende levar à Câmara a sua intenção de manter o melhor relacionamento com os vereadores, como aconteceu na legislação passada.

BATALHA

O secretário de Comunicação, Carlos Batalha, reúne-se com o governador João Alves Filho (PFL) e a nova equipe de marketing, para traçar as metas para 2005. Batalha despachou normalmente do seu gabinete e continua merecendo a mesma confiança do governador na permanência à frente do cargo.

CAFÉ

Um presidente da Câmara, Zeca da Silva (PSB) tomou café da manhã com o governador João Alves Filho. Disse que não conversaram política, apenas de forma genérica. Disse que o governador João Alves Filho se colocou à disposição de todos os vereadores e que manterá o melhor relacionamento com a Câmara.

SUCESSÃO

João Alves Filho acha muito cedo para abrir a discussão sobre a sucessão estadual, apesar de reconhecer que alguns segmentos políticos estão tentando antecipar o debate. O governador não vai reduzir o ritmo de trabalho ou se desviar da missão de promover o desenvolvimento do estado, por causa das próximas eleições governamentais.

FONTES

O deputado federal João Fontes (PDT) disse ontem que o “PT não tem condições de falar em fidelidade partidária neste país”. Lembrou o caso de Fortaleza, onde Luiziane era candidata homologada pelo PT, enquanto Lula, José Genoino e José Dirceu foram lá fazer campanha para Inácio Arruda, do PCdoB.

CAPELA

O prefeito de Capela, Manoel Messias, o Sukita, (PSB) teria nomeado a sua mulher para a Secretaria de Finanças e o irmão para a Secretaria de Obras. A assessoria do prefeito não desmentiu, mas disse que o decreto de nomeação ainda não havia sido assinado e Sukita estava analisando se o faria.

DIFICULDADE

A maioria dos prefeitos está com problemas de dívidas deixadas pelos seus antecessores e têm dificuldade em iniciar a administração. Se o Ministério Público não investigar esses casos e denunciar os culpados, a Lei de Responsabilidade Fiscal tem que ser rasgada.

PRÉ-CAJU

O Banco do Brasil também vai entrar como um dos patrocinadores do Pré-Caju. A confirmação do BB foi dada ontem a ASBT. Durante o Pré-Caju, o Ministério do Turismo vai exibir a campanha publicitária para alertar contra a prostituição de menores.

DISCUSSÃO

As discussões para as eleições da Mesa da Assembléia Legislativa ainda estão lentas e devem esquentar logo depois do Pré-Caju, quando todos os deputados estarão no Estado. Ontem, o deputado Fabiano Oliveira disse que é simpático à reeleição do presidente Antônio Passos (PFL) e do primeiro secretário Marcos Franco (PMDB).

NOTAS

COORDENAÇÃO

O prefeito de Aquidabã, Eurico de Souza Filho (PPS), diz abertamente que “o homem capaz de coordenar a política do Governo em Sergipe, é o deputado federal José Carlos Machado (PFL)”. Segundo Eurico: “essa é a unanimidade dos prefeitos do estado, vinculada ao governo de João Alves”. Ao ser consultado, sobre essa posição do prefeito Eurico Souza, o deputado José Carlos Machado considerou que “o trabalho de coordenação política só pode ser feito pelo governador e mais ninguém”.

LUPPI

O presidente nacional do PDT, Carlos Luppi, virá a Sergipe, no próximo dia 25, para permanecer por dois dias. O objetivo da visita é acompanhar o processo de reorganização do partido, que vem sendo feita pelo deputado federal João Fontes, que vem procurando os históricos do partido no início do trabalho. João Fontes disse, ontem, que tem viajado quase todos os dias para contatos com lideranças do interior e admitiu que “não é fácil fazer uma legenda no Estado” e disse que fará um PDT aberto aos homens de bem.

BENEDITO

No aniversário do ex-deputado Gilton Garcia, na praia do Saco, o presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, sentou-se entre o senador Valadares e o ex-governador Albano Franco, coincidentemente Benedito foi vice-governador dos dois e pela primeira vez este junto a ambos, sem ter vínculo. Benedito Figueiredo acenou para que Albano Franco se filiasse ao PMDB e se candidatasse em 2006, junto ao senador Valadares, o que pintava uma nova via. Albano já foi do PMDB e tem um sobrinho na legenda.

É FOGO

Os ministros Carlos Alberto Paiva e Luciano Breda, do Tribunal Superior do Trabalho (TST) estão na praia do Saco. São hospedes do colega Simpliciano Fontes.

Luiza Brunet, acompanhada do marido, estará presente no Pré-Caju deste ano. É a segunda vez que ela participa.

O secretário de Comunicação, Carlos Batalha, está trabalhando normalmente, sem qualquer alteração em seu comando.

O governador João Alves Filho considerou um “processo natural” a oposição ter elegido a Mesa Diretora da Câmara.

Durante a posse dos novos secretários, o prefeito Marcelo Deda deixou bem claro que 2005 é um ano de muito trabalho.

O senador José Almeida Lima (PSDB) está viajando a Brasília para participar da posse de um novo senador no tucanato.

Na próxima terça-feira estará circulando o Jornal do Dia, que integrará o dia a dia da imprensa sergipana. Trás bons profissionais e o comando editorial de Gilvan Manoel.

O diretor presidente do Jornal do Dia é o jornalista e empresa Elenilton Pereira, um cidadão que sempre militou no setor gráfico com competência e seriedade.

O prefeito de Areia Branca, Ascendino Souza (PSB), diz que encontro o município em verdadeiro caos.

As cadernetas de poupança registraram captação líquida no valor de R$ 3,542 bilhões em dezembro, resultado recorde para o mês e o melhor do ano passado.

A Caixa Econômica Federal vai lança, na segunda-feira, uma nova linha de financiamento habitacional, voltado para quem tem renda mensal de R$ 1.560.

Os preços administrados ou monitorados pelo governo foram os principais vilões da inflação no ano passado, segundo o pesquisador da Fipe, Paulo Picchetti. 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais