Em Casa Também se Viaja: Ecoturismo em Sergipe

0
Ilha da Sogra, no Litoral Sul de Sergipe, o contato com a natureza é quase uma exclusividade

Com proteção, sem aglomeração e de acordo com as medidas necessárias que a pandemia requer, os roteiros ao ar livre e que envolvem pouca aglomeração são apontados como a bola da vez no pós-covid. Os estados do Norte e Nordeste são promissores no setor do Ecoturismo, mas além de requerer cuidados especiais por envolver ambientes naturais, o Eco requer mais planejamento que outros atrativos.

A série Em Casa Também de Viaja repagina alguns atrativos turísticos de Sergipe voltados para turismo em contanto com a natureza, verdadeiros parques de diversões para quem gosta de aventura. Banho em águas cristalinas, trilhas, ecoaventuras, tranquilidade e relaxamento entre praias fluviais em braços de manguezais, cânions com águas esverdeadas, paredões em meio a poções propícios aos esportes radicais e lagoas.

Croa do Viral, no Mosqueiro, Zona de Expansão de Aracaju, faz parte de um roteiro entre ilhotas, manguezais e meio ambiente

Sergipe é o menor estado brasileiro em superfície, mas que curiosamente registra em seu continente nada menos que cinco consideráveis rios, proporcionando áreas balneáveis e de interesse turístico, são eles: Piauí-Real, Vaza-Barris, Sergipe-Poxim, Japaratuba e São Francisco. Também é um estado que se consolida com uma vasta opção de produtos turísticos que interligam a capital localizada no litoral ao sertão às margens do rio São Francisco, em curto espaço de tempo.

A dica é procurar uma agência especializada em ecoturismo no Estado, verificar se há guias credenciados, se a região pode receber visitantes, e só submeter a passeios com segurança, pois o meio ambiente não combina com estresses. Aqui estão listados passeios que podem ser feitos com os cuidados devidos.

Poções da Ribeira

Poços naturais entre paredões aptos ao banho e ao esporte radical , próximo da Serra de Itabaiana

Faz-se um verdadeiro rally ecológico para se chegar até lá entre povoados e restinga de Mata Atlântica. Localizado do lado esquerdo da BR 235, no sentido Norte, mais precisamente no povoado Rocheira, município de Itabaiana (SE), os Poços, ou como é conhecido Poço da Ribeira, é um local para contato com a natureza, além de tranquilidade e momentos de diversão.

Os primeiros poços aptos para o banho

A estrada de acesso não é tão atrativa e percorre-se cerca de 13km de estrada de piçarra, mas compensa com a observação da Serra de Itabaiana, que fica para trás, dando espaço a uma sequência de morros ao longe. As fazendas de gado dão um tom rural à paisagem, mas é na contemplação de craibeiras, sucupiras, araçazeiros, ingazeiros, entre outras espécies nativas, que o passeio fica completo.

Ao chegar na localidade, passa-se por um paredão. Quem não gosta de altura não deve ariscar. Um poção de águas escuras encrustado entre paredões de mais de 70m de altura, fazem da localidade um parque de diversões para os aventureiros. É possível praticar escaladas, rapel, tirolesa, nadar e praticar caminhada.

http://www.infonet.com.br/silviooliveira/ler.asp?id=179294&titulo=silviooliveira

Complexo turístico de Xingó

O quinto maior cânion navegável do mundo é obra humana em contato com a natureza

O cânion do São Francisco é um dos atrativos de um complexo turístico que compreende a Hidrelétrica de Xingó, a Fazenda Mundo Novo, a feira livre de Canindé do São Francisco, o Vale dos Mestres, o Monumento Natural da Grota do Angico e o Eco Parque do Cangaço, entre outros. Consolidado como o principal produto turístico do interior de Sergipe não somente na seara natural, o passeio pelo Cânion é um dos atrativos e adentrar na cultura são-franciscana das águas do Velho Chico entre paredões, atraindo cada vez mais os olhares de aventureiros do mundo todo. No seu entorno há diversas localidades propícias ao rapel, a tirolesa, ao sup, a canoagem, trilhas de bike, além de avistagem de animais silvestres e mirantes de contemplação do pôr do sol.

Por ser uma região de bioma de caatinga, a diversidade da fauna e da flora chama atenção, além de ser uma região de vasto potencial gastronômico e recheado de sergipanidades dos sertanejos que vivenciaram o cangaceirismo.

http://www.infonet.com.br/silviooliveira/ler.asp?id=112722&titulo=silviooliveira

Vale dos Mestres

Vestígios de civilizações antigas entre trilhas e paredões no Velho Chico

O vale é um dos atrativos que compõem a região turística de Xingó. Entre trilhas e formações rupestres e inscritos históricos, a região é propícia para o trilheiro que gosta de se aventurar no bioma de caatinga até chegar a um braço do rio São Francisco e ser compensado com um bom SPA natural. Vale lembrar que a região faz parte de um sítio arqueológico e necessita de cuidados redobrados.

Monumento Natural da Grota Angico

Centro de Convivência e Conservação é o ponto de apoio
Trilheiros a postos para mais de 2km

Unir a diversidade do bioma de caatinga com um refrescante banho no rio são Francisco é uma aventura que cada vez mais atrai turistas, ávidos por trilharem a Rota do Cangaço no sertão de Sergipe. O Monumento Natural da Grota do Angico pode ser o ponto de partida para a ecoaventura, localizado entre os municípios de Canindé do São Francisco e Poço Redondo, no Alto Sertão de Sergipe. São mais de 2.400 hectares de bioma protegido, compreendendo cactáceos, pequenos arbustos, flor de mandacaru, répteis e muita história para contar. E de presente, a natureza foi generosa refrescando o final da trilha com o caudaloso banho de rio no São Francisco.

Bioma de Caatinga no Alto Sertão
Rio São Francisco ao final da trilha

A principal trilha é do Centro de Convivência até a Grota do Angico propriamente dita, cenário da morte do maior ícone do movimento do Cangaço, Virgulino Ferreira, o Lampião, além de sua companheira, Maria Bonita, com nove cangaceiros. Há uma cruz em cima de uma pedra datando o fato, ocorrido em 28 de julho de 1938, ou seja, 82 anos atrás. Logo após, tem mais 1,5km para se chegar à beira do rio São Francisco.

Rota do Imperador

Parada do catamarã para o banho no rio São Francisco

A bordo de um catamarã dotado de infraestrutura, os turistas percorrem os caminhos trilhados por D. Pedro II entre os municípios de Neópolis, Santa do São Francisco e o alagoano Penedo. As aventuras entre paradas em ilhotas, observação de construções históricas e degustação da culinária são-franciscana fazem parte do roteiro. O passeio termina em um mercado na Capital Sergipano do Artesanato em Barro.

O atracadouro fica a poucos 121 km da capital sergipana e de 164km de Maceió e assegura os que lá embarcam um passeio de agradável beleza paisagística e recheado de histórias.

Entre braços do rio São Francisco, a vegetação fluvial, os povoados, as plantações dos perímetros irrigados garantem horas de lazer com a máxima de deixar o tempo sem ter pressa.

https://infonet.com.br/blogs/ilhota-rio-belo-se-pelas-historias-do-imperador/

https://infonet.com.br/blogs/prive-rio-belo-se-ecologicamente-atrativo/

Ilhas fluviais de Aracaju

Croa do Gore é uma das ilhotas do passeio

Um roteiro que tem agradado aos que visitam a capital sergipana, e que pode ser chamado de genuinamente aracajuano por abarcar os rios Poxim, Sergipe e Vaza-Barris são os passeios realizados n zona de expansão da capital, Aracaju, com embarque na paradisíaca orla Pôr do Sol. A Crôa do Gore, a Ilha dos Namorados e o Viral comandam o passeio de um turno por braços de mangues no rio Vaza-Barris.

Na Crôa do Gore, nome dado por conta de um pequeno caranguejo que habita a região, a maré comanda o passeio e os turistas podem desfrutas de um bar flutuante dentro no leito do rio. Redes para relaxamento, práticas de esportes náuticos e sup dão o tom da aventura na região.

Na Crôa do Viral o banco de areia clara e de água verde-escura atrai cada vez mais adeptos do binômio “sol e água fresca”. Na Ilha dos Namorados a dica é relaxar em um dos sombreiros confeccionados com palha rústica e se banhar nas águas salobras, em meio aos manguezais. O barulho que se ouve é somente da natureza.

Já na capital, uma embarcação, tipo catamarã, leva turistas a terem uma vista panorâmica da capital Aracaju, dentro da denominada Rota dos Manguezais. O traçado da cidade e o pôr do sol são coadjuvantes.

https://infonet.com.br/blogs/turismo-ilhas-fluviais-sao-atracoes-em-sergipe/

https://infonet.com.br/blogs/aracaju-se-vista-do-rio-sergipe/

Cachoeira de Macambira

Cachoeira de Macambira ou de São Francisco fica em propriedade particular com acesso a 80km de Aracaju

Não se sabe ao certo qual o tamanho do paredão que forma a cachoeira de Macambira. Alguns falam de 120m, outros 156m, mas segundo dados pesquisados pela ONG Centro da Terra, o paredão mede cerca de 20m da base ao topo. O que se sabe é que a queda d´água é formado pela corredeira do rio Salgado, afluente do Vaza-Barris, e está entre as mais belas de Sergipe. Tudo isso a poucos 80km de Aracaju (SE), com acesso pela BR 235 e segundo em direção a Macambira.

A cachoeira foi denominada de São Francisco, mas popularmente ficou conhecida como Macambira. Ela fica em propriedade particular, e tem acesso irrestrito para o público. O local ainda não recebeu um projeto turístico ou sustentável. Apenas uma estrutura de madeira e palha conforta os que lá chegam. A falta de estrutura é compensada ao primeiro olhar do balneário e, com toda certeza, ao contato com a bela paisagem.

http://www.infonet.com.br/silviooliveira/ler.asp?id=178718&titulo=silviooliveira

Trilhas na Serra de Itabaiana

Várias trilhas no Parque Nacional da Serra de Itabaiana levam à cachoeiras, poços e corredeiras

Trilha da Via Sacra, da Piçarra, do Caldeirão, dos Carros e do Paredão são alguns dos vários caminhos para percorrer um dos roteiros de turismo de aventura mais apreciado em Sergipe: o Parque Nacional da Serra de Itabaiana, situado entre os municípios de Itabaiana, Areia Branca e Laranjeiras, Itaporanga e Campo do Britto, mais em Areia Branca, a 36km de Aracaju.

O parque fica nas imediações da BR 235. Há uma porteira de acesso margeando a rodovia e um guarda do Ibama lhe dará as boas-vindas, porém, existem outras dezenas de acesso. São trilhas, poços, cachoeiras propícias ao banho, paredões com possibilidade de escaladas e esportes radicais.

http://www.infonet.com.br/silviooliveira/ler.asp?id=91059&titulo=silviooliveira

Poço das Moças (SE): Parque Nacional Serra de Itabaiana

Corredeiras formam poções aptos ao banho no Parque Nacional da Serra de Itabaiana

Em temporada de chuva, a cachoeiras começam a “sangrar” disponibilizando aos que lá procuram um show da natureza. Cachoeiras, corredeiras entre paredões e riachos são algumas das atrações do Parque Nacional da Serra de Itabaiana, localizado no município de Areia Branca, a poucos 36km de Aracaju. Um dos locais mais visitados do parque é o Poço das Moças, um poção de águas escuras propício ao banho, em meio a uma grande corredeira.

Uma estrada de piçarra conduz o visitante até o Poço das Moças. Localizado no lado leste da Serra de Itabaiana, sem dúvidas, o poço é um dos locais mais procurado para o relaxamento e contato com a natureza do Parque.

Como o Poço das Moças é a primeira parada para o banho de quem adentra o parque pelo portão principal, muitos visitantes escolhem passar o dia se banhando nas suas águas sem fazer caminhada ou outro tipo de ecoesporte. A dica do Tô no Mundo é sempre visitá-lo em grupo por questão de segurança.

http://www.infonet.com.br/silviooliveira/ler.asp?id=175280&titulo=silviooliveira

Trilhas da Lagoa Redonda

Dunas e lagoas são atrações entre os municípios de Pirambu e Pacatuba

Quem pensa que Pirambu é apenas uma praia do litoral Norte de Sergipe está completamente enganado. Na região do povoado Lagoa Redonda, a paisagem revela uma praia de Pirambu pouco explorada turisticamente, mas de encher os olhos, com sequências de dunas e muito banho de cachoeira, rios e lagoas.

Cachoeira do Rocandor no povoado de Lagoa Redonda

Distante pouco mais de 50km de Aracaju, a Cachoeira do Roncador é uma das atrações e está situada no povoado Lagoa Redonda, na Reserva Biológica de Santa Izabel. Conhecer a pequena queda d´água requer pouco mais de meia hora de caminhada e aptidão física, mas o esforço é compensado com tamanha beleza da região. A região está na denominada Costa dos Manguezais de Sergipe, que abrange também a Ponta dos Mangues e o Pantanal de Pacatuba, além da Reserva Biológica Santa izabel.

http://www.infonet.com.br/silviooliveira/ler.asp?id=90755&titulo=silviooliveira

Lagoa dos Tambaquis e dunas do Abais

Turistas mantém contato com os tambaquis

Você já imaginou dar comida a peixes enquanto um cardume de outros menores o circula? Na Lagoa Azul, também denominada de Lagoa dos Tambaquis, é possível. O balneário localizado no litoral Sul de Sergipe, no município de Estância, a cerca de 32 km de Aracaju, atrai cada vez mais visitantes em busca de lazer e do contato com a natureza.

Não é totalmente um roteiro de ecoturismo, mas é garantido o contato com a natureza. A infraestrutura se profissionalizou, dispondo de uma série de bares com sombreiros ao longo da lagoa e há boas opções drinks e petiscos servidos ali mesmo, no leito da lagoa, configurando-se num verdadeiro SPA natural. Banhar-se nas águas claras é um convite ao relaxamento em contato com a natureza, mais a frente, as dunas da praia do Abais é o destaque para os aventureiros que curtem passeios de bugre.

http://www.infonet.com.br/silviooliveira/ler.asp?id=177518&titulo=silviooliveira

Foz do São Francisco

Entre Sergipe e Alagoas, praias de água doce aptas para o banho

À primeira vista de quem se depara com a magnitude do rio é entrar em contato com personagens seculares do dia a dia da população ribeirinha: as lavadeiras à beira-rio, que, diariamente, enchem de cor às margens do rio.

O município de Brejo Grande (SE), distante 137km de Aracaju, é o ponto de partida para embarcar em um dos passeios mais significativos de Sergipe: conhecer, contemplar e aproveitar a foz do São Francisco.

Pôr do sol no povoado Saramém, na foz do São Francisco

A parada para o banho, o surfe nas dunas e a compra de artesanato em barraquinhas móveis incrustadas num banco de areia são inerentes a programação do passeio.  O rio mostra sua magnitude ao possibilitar, ao longe, o antigo farol do Cabeço, símbolo de resistência da região. Em alguns passeios o farol não é mais visto por conta do avanço das águas do oceano, que cada vez mais transforma parte do leito do rio de água doce em água salgado do mar. O farol fica dentro da água e possui apenas uma ponta descoberta.

As praias fluviais e dunas, além de restingas de mangue, também são atrações da localidade, como as do povoado Terra Vermelha e Saramém, além de Ponta dos Mangues.

https://infonet.com.br/blogs/brejo-grande-se-potencial-turistico-ainda-preservado/

Siga nossas redes sociais: Insta      Facebook Silvio Oliveira       Tô no Mundo
Comentários