Formação de um bloco

0

Quando o empresário Júlio Prado Vasconcelos era vivo e já não freqüentava mais os seus armazéns, o domingo pela manhã era um ponto de encontro de várias personalidades da indústria, comercio e da política. O assunto era variado, sempre acompanhado de cerveja bem gelada, uísque e uma mesa farta, onde predominava o queijo do reino como tira-gosto. Muita coisa da classe e algumas decisões políticas saíram exatamente da casa do conhecido comerciante e depois eram concretizadas e legalizadas pelos meios competentes. Para se ter uma idéia, a candidatura de João Augusto Gama (PTB) foi gerada numa dessas reuniões e tomou corpo com o apoio do deputado federal Jackson Barreto, à época sem mandato. Assim, Gama teve o apoio dos lojistas e fazia suas reuniões e encontro políticos usando gabinetes da CDL.

 

Isso apenas demonstra que a classe dos empresários do setor comercial tem representatividade suficiente, para escolher um nome que represente a sociedade e que administre uma cidade ou Estado. Inclusive, isso ninguém pode negar, João Augusto Gama foi uma escolha de boa qualidade, porque executou uma administração avançada, corajosa e completamente à frente de outros prefeitos ditos vanguardistas que estiveram no comando da Prefeitura de Aracaju. Com certeza, João Gama só não foi reeleito porque recusou à candidatura e apoiou o então deputado federal Marcelo Déda (PT), para sucedê-lo, sendo um dos responsáveis pela sua vitória no primeiro turno em Aracaju. A administração de Gama colaborou muito para isso, embora hoje ele esteja um pouco desvinculado da vida pública. Não se pode imaginar o que tenha acontecido, mas é verdade que houve um distanciamento do ex-prefeito com a classe dos lojistas.

 

Hoje os empresários do comércio voltaram a imaginar um bloco coeso para influenciar nas decisões políticas e administrativas da capital e do estado, pela força que representam na economia sergipana. Esse movimento existia de forma mais tímidas, mas vinha em um visível crescente, até colocar o bloco na rua. O senador José Almeida Lima (PDT), em uma de suas constantes conversas com o empresário Max Andrade, sugeriu que ele deveria ampliar o grupo e se politizar, sendo mais abrangente do que um movimento classista. Em 2000, Max Andrade deveria ter sido candidato a vice-prefeito de Almeida Lima, mas o momento político não foi propício. Hoje, ele é o primeiro suplente de Almeida e os dois se dão bem, conversam sobre os problemas políticos do estado. É difícil não se encontrarem algumas vezes por semana e um pode substituir o outro a qualquer momento, desde que haja uma necessidade premente.

 

Há uma curiosidade: em 2002 o governador João Alves Filho sugeriu mudar o primeiro suplente de Almeida Lima, mas o então candidato a senador não aceitou.

O senador José Almeida Lima tem negado, com certa firmeza, que deixou de lado a possibilidade de trocar o PDT pelo PSDB. Entretanto, é voz corrente entre aliados de Almeida Lima e até mesmo membros do ninho tucano, de que ele se transfere para a nova sigla logo depois do segundo turno. O deputado federal Bosco Costa (PSDB), um sujeito aberto ao diálogo, confidenciou que conversou com três senadores da cúpula do seu partido, que anunciaram a filiação de Almeida. Mesmo assim ele nega e garante que há mais de 30 dias não conversa com ninguém do tucanato. Adianta, entretanto, que quarta-feira próxima tem sessão deliberativa no Senado e se houver alguma convocação ou convite para ele ingressar no PSDB, é possível que aceite.

 

Evidente que a política dos dirigentes lojistas não é para fazer oposição ao governador João Alves Filho, mas para ir formando uma posição que visa as eleições estaduais de 2006 e a criação de uma perspectiva partidária, que saia de um segmento forte, capaz de eleger deputados estaduais e federais. Dentro desse movimento há um grande número de pessoas que pensa em oferecer alternativa diferente à sociedade, porque passou a desacreditar na polarização. Alguns deles opinam que é difícil se conviver em um estado que define dois lados políticos para disputar o Governo do Estado, sem oferecer outra alternativa em condições de competir. E é exatamente aí que o pessoal pretende que o senador Almeida Lima, tendo ao lado lideranças classistas como Max Andrade e José Guimarães, atue politicamente na disputa por um espaço nesse limitado mundo da política sergipana.

 

Já está certo que José Guimarães (PSDB) será candidato a deputado federal e um outro nome é citado como disputante a uma vaga na Assembléia Legislativa, que é Gilson Figueiredo, lembrando que já há um parlamentar em atuação, Walker Carvalho, presidente da Federação do Comércio.

 

O que se comenta nos meios políticos desse setor, é que Almeida Lima será candidato ao Governo e Max Andrade a vice. Vão enfrentar pesos pesados do eleitorado, mas se perder com certeza farão dois deputados estaduais e um federal, além de manter o senador, o que já é um bom início pra um grupo político em formação. As eleições de 2006 trarão grandes surpresas, entre elas a criação de uma nova tendência política e o fim da polarização, que se arrasta desde 1982.

 

TRANSPOSIÇÃO

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) disse ao ministro Ciro Gomes (PPS) que levar água para uma região mais alta, como o Nordeste Setentrional, não é financeiramente viável.

Disse que os gastos para levar um rio acima são excessivos, principalmente quando é para fim de irrigação e criatório de peixes e camarões.

 

SUGESTÃO

José Carlos Machado diz que seria mais racional irrigar terras que estão na bacia do São Francisco, que são tão pobres quanto as do Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Depois de irrigar terras da bacia do rio, se poderia ceder 7% dos 60 metros cúbicos que o ministro pretende transpor, apenas para uso humano e “dessedentação” animal.

 

ABASTECIMENTO

Várias viaturas de polícia do interior abastecem em postos de Aracaju. De Carira, o carro da polícia sai de lá todos os dias para botar gasolina na capital.

Ninguém explica a razão disso, porque sai excessivamente mais caro do que abastecendo na própria cidade ou em municípios vizinhos.

 

CASO FLORO

O promotor de justiça Augusto Lobão vai denunciar os autores principais da fuga de Floro Calheiros da Primeira Delegacia Metropolitana de Aracaju.

Serão denunciadas a escrivã Lico, a delegada Meire Mansueto e Petrúcio, por facilitação de fuga e prevaricação. Os três planejaram tudo para Floro sair da cadeia.

 

ROTA

No novo levantamento, se constatou que Floro fugiu pelos fundos, em uma Santana branco, que pode ter sido um dos utilizados pela polícia.

A rota de fuga foi a BR-101 e houve troca continuada de carros. Floro Calheiros mudou de veículo pelo menos três vezes.

 

MUDANÇAS

No curso das novas diligências se percebeu que o rumo das investigações do caso Floro foi alterado, quando Luiz Mendonça deixou a Secretaria para ser nomeado procurador.

O objetivo dessa mudança seria prejudicar Mendonça, para que ele não retornasse à Secretaria de Segurança. Não há indícios de quem mudou esse rumo de investigação.

 

ALMEIDA

O senador Almeida Lima (PDT) disse, ontem, que não tem conhecimento de reunião com os senadores do PSDB para a próxima semana.

Disse que desde quando deixou de falar da transferência de partido, não tratou mais do assunto com ninguém.

 

SATISFEITO

Almeida Lima acrescentou que gostou muito de tudo que aconteceu nas eleições municipais deste ano. “Foi tudo muito bom”, disse.

O senador ainda diz que considera tudo que vem acontecendo politicamente em Sergipe está lhe agradando: “acho que está tudo bem”, disse.

 

FRANCISCO

Sem a volumosa barba que apareceu quando foi preso, o ex-deputado Antônio Francisco, acusado de participar do assassinato do ex-deputado Joaldo Barbosa, está satisfeito.

A razão de sua euforia foi a vitória da filha, Maria das Graças (Gracinha) para a Prefeitura de Itaporanga D’Ajuda.

 

JUNIOR

O filho, Antônio Francisco Júnior, preso sob a mesma acusação, compartilha da euforia do pai e indica a receita para o sucesso da irmã: “são 25 anos de trabalho social que ela desenvolve”.

Acrescenta que eles não tinham dinheiro nem apoio político e afirmou que o “apoio do ex-governador Albano Franco só veio nos momentos finais da campanha”.

 

CORAGEM

Sobre as eleições de Fortaleza, Marcelo Déda, reconheceu que o PT errou no caso da eleição para prefeito na capital cearense.

“Devemos desculpas a Luizianne e temos de ter a coragem de dizer que erramos”, disse Déda, referindo-se a candidata do PT, Luizianne Lins.

 

DESCENDO

O prefeito Marcelo Déda agora está descendo e ontem participou da campanha do PT, para o segundo turno, em Natal.

Hoje ele chega em Maceió, onde também atua na campanha eleitoral e retorna a Aracaju entre sexta e sábado.

 

FM SERGIPE

A informação é de fonte confiável: o radialista Gilmar Carvalho está de malas prontas para se hospedar, com o seu programa, na FM Sergipe.

Leva a equipe que trabalha com ele, mas mantém o pessoal que já está fazendo o programa matinal da nova emissora.

 

SAMARONE

O vereador Antônio Samarone (PDT) diz que está aguardando uma definição de quem vai ficar ou sair do partido, para tomar uma posição.

Ele diz que só tomará qualquer decisão depois de conversar com Almeida Lima (PDT) e deve seguir o rumo que ele tomar.

 

FONTES

Antônio Samarone acha que o deputado federal João Fontes não deve se precipitar, porque pode até inviabilizar sua reeleição. João Fontes quer ir para o PDT.

Samarone admite que Almeida Lima ingresse no PSDB depois do segundo turno, mas adianta que tem conversado pouco com ele.

 

Notas

 

ASSÉDIO

O projeto apresentado pelo deputado estadual Francisco Gualberto (PT) na Assembléia Legislativa, que dispõe sobre o assédio moral no âmbito da administração pública estadual direta, indireta e fundações públicas, agora é lei. Ele foi sancionado pelo governador no dia 31 de agosto e publicado no Diário Oficial no dia 2 de setembro.

A lei, que ganhou o número 5.419, passa a ser poderosa arma na luta contra a submissão, a situações de constrangimentos e humilhações repetitivas e prolongadas no ambiente de trabalho do servidor público estadual.

 

SERVIDOR

O secretário da Administração, Mendonça Prado (PFL), explicou ontem que o Governo tem feito esforço para reduzir, substancialmente, o déficit público e enxugar as finanças do estado. No momento vai verificar o que se gasta com o servidor e o percentual estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

Segundo Mendonça Prado, depois dessa análise é que o Governo dará para fazer uma análise da possibilidade de aumento do servidor público estadual. Mendonça permanece na Administração pelo tempo que o governador quiser.

 

COMITÊ

Pela reunião de ontem do Comitê em Defesa da Bacia do Rio São Francisco, realizada em Salvador, predominou a decisão de se permitir a transposição para consumo humano e dessedentação dos animais e não para a criação de peixes. O deputado José Carlos Machado acha que o resultado final de hoje será esse.

Segundo o deputado federal José Carlos Machado, o ministério do Desenvolvimento Nacional diz que o Comitê não influencia na decisão do Governo Federal, mas os deputados se dispõe a ir às últimas conseqüências.

 

É fogo

 

O pessoal de Sergipe foi quem utilizou os microfones com maior freqüência e fez duras críticas ao Governo Federal.

 

Alguns políticos analisam que o ex-governador Albano Franco saiu muito fortalecido das ultimas eleições municipais.

 

A campanha em Nossa Senhora de Lourdes está esquentando e os candidatos já baixaram o nível da campanha.

 

O governador João Alves Filho e a senadora Maria do Carmo Alves só retornam a Sergipe neste final de semana.

 

Todo o pessoal de apoio que acompanhou o governador na viagem à Europa já retornou a Sergipe na segunda-feira.

 

O senador Almeida Lima (PDT) diz que gosta do estilo em que Bosco Costa (PSDB) conversa sobre filiação partidária.

 

O pessoal da Secretaria de Comunicação comemorou, ontem, o aniversário do jornalista Carlos Batalha.

 

O prefeito eleito de Areia Branca, Ascendino Souza, que renovar em termos de administração municipal, inclusive com um secretariado técnico.

 

O deputado federal João Fontes também fez um pronunciamento ríspido, ontem, contra a transposição e o Governo Lula.

 

Os deputados da Bahia, Pernambuco, Minas, Sergipe e Alagoas podem levar a questão do São Francisco para a Câmara Federal.

 

A prestação da casa própria vai subir até 5,27% em novembro, segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança.

 

O banco Itaú conseguiu suspender no Supremo a determinação que o obrigava a manter seguranças armados 24 horas por dia em seus caixas eletrônicos de Salvador.

brayner@infonet.com.br

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais