Impostos em excesso

0

O cidadão vai trabalhar em média 147 dias, reservando cerca de 40% da sua renda, somente para pagar tributos. É o que aponta estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). Como se vê, o número é um indicativo de que a carga tributária é excessiva, penalizando os trabalhadores e o setor produtivo. Além dos valores pagos, que significam quase 37% do PIB, o modelo de tributação também é problemático. De acordo o estudo, como a maior parte dos impostos e contribuições incidem sobre a renda e o consumo, o setor produtivo e as pessoas de menor renda são os mais prejudicados. Segundo o IBPT, quem ganha entre R$ 3 mil a R$ 10 mil paga a maior carga de impostos, 42,62% da renda. Isso faz lembrar aquele velho adágio: Plante e coma, senão o governo toma.

 

Ibope a Floro

 

E o foragido Floro Calheiros gosta mesmo de deixar a nossa Polícia agoniada. Agora, ele alega que querem vê-lo morto em vez de preso e faz ameaças veladas aos policiais. Interessante que a Secretaria da Segurança Pública valoriza o papo furado de Floro e convoca entrevistas coletivas para negar que deseja matá-lo. Ora, enquanto a nossa Polícia ficar dando ibope ao foragido, este vai continuar gozando da cada de todo mundo, enquanto curte a vida em liberdade. Não seria melhor agir em silêncio e prender o homem?

 

Mel na merenda

 

Ainda este mês, a Cooperativa Apícola de Sergipe vai entregar à Secretaria Estadual da Educação (Seed) o primeiro lote de mel de abelha que será utilizado na merenda escolar dos alunos da rede pública estadual. Segundo José Ivanilson Tavares Santos, presidente da Federação Apícola de Sergipe (Fapise) nos próximos 90 dias os apicultores vão entregar à Seed 13,2 toneladas de mel de abelha produzidas no interior sergipano. Legal!

 

Nota eletrônica

 

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PC do B) lançou ontem a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e). O serviço vai facilitar e dinamizar o processo de geração de notas fiscais no município. Pelo novo sistema disponibilizado pela Prefeitura, o contribuinte pode acessar a nota fiscal através de qualquer computador conectado à internet, podendo gerenciar a nota quando for necessário.

 

Pequenas cobram

 

A Associação Comercial de Sergipe, em parceria com o Sebrae, promoveu ontem um encontro com parlamentares federais sergipanos.  O evento visou despertar a atenção dos congressistas para a necessidade de aprovação do Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 591/10, que prevê melhorias na Lei Geral da Micro e Pequena Empresa. Uma das principais mudanças desejadas pelo setor é a elevação dos valores para enquadramento das empresas dentro do Simples, congelados há quase cinco anos.

 

Na Câmara

 

O superintendente da SMTT, Antônio Samarone, vai hoje à Câmara Municipal de Aracaju explicar aos vereadores sobre as lombadas eletrônicas e ‘pardais’ espalhados na cidade para multar motoristas. Encontrará um clima meio hostil, pois o vereador Josenito Vitali (DEM) quer a abertura de uma CPI para investigar a contratação da empresa que instalou os equipamentos nas ruas e avenidas de Aracaju e Jailton Santana (PSC) defende a suspensão das multas. Samarone precisará de toda a paciência do mundo para não chutar o balde.

 

Premiadas

 

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) e a empresa sergipana Constâncio Vieira foram as vencedoras na etapa estadual da 14ª edição do Prêmio

Sesi de Qualidade no Trabalho (PSQT). A solenidade de premiação está marcada para as 12h do próximo dia 23, durante um almoço na sede da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (Fies). O PSQT é um reconhecimento público às empresas industriais por suas práticas de gestão e valorização de seus colaboradores.

 

Sabatina

 

Uma Comissão Especial da Assembléia sabatinou ontem, o auditor do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Luiz Augusto Ribeiro. Ele foi indicado pelo governador Marcelo Déda (PT), levando em conta o critério antiguidade, para ocupar a vaga de conselheiro daquela Corte aberta com a aposentadoria de Heráclito Rollemberg. A pergunta que não quer calar é a seguinte: Por que gastar uma fortuna com um novo conselheiro se já existem sete no TCE, inclusive um, Flávio Conceição, que ganha sem trabalhar?

Contra trotes

O deputado estadual Gilmar Carvalho (PR) apresentou um projeto de Lei que pune com multas os proprietários de telefones de onde partem ligações indevidas (trotes) para os serviços públicos. De acordo com o parlamentar, a medida pode reduzir o número de ligações com informações falsas aos serviços de emergência. Carvalho decidiu apresentar a propositura depois da prisão do jovem José Uilson Santos, apontado como autor de 200 mil trotes para o Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp). Sujeitinho desocupado este Uilson, não?

Do baú político

Os famosos cabarés de Aracaju surgiram por com a derrubada do Morro do Bomfim para a construção da antiga estação rodoviária. Como no local existiam as casas de prostituição, o governador Leandro Maciel (UDN) permitiu que fossem abertas outras no centro da capital, nas imediações dos mercados. Logo surgiram, entre outros, o Xangai, La Bamba, Bossa Dois, Bela Vista e o Mira-Mar, este último tido como o cabaré mais importante da cidade. Tinha as melhores mulheres, realizava grandes shows musicais e era frequentado por políticos, empresários, fazendeiros e os filhos da burguesia sergipana. “Um prefeito do interior mandava com frequência seu motorista, com o carro oficial, apanhar uma das minhas meninas e levá-la para a sua fazenda”, conta Tonho do Mira no livro “Oxente! Essa é a nossa gente”, de Osmário Santos. E o que provocou a derrocada dos grandes cabarés aracajuanos? Segundo Tonho, foi o golpe militar de 1964: “Os homens alegaram que aquilo ia de encontro aos bons costumes da população e que os cabarés eram um obstáculo às moças donzelas que precisam se casar. Pressionado, o governo mandou fechar as casas finas e acabou a alegria das noites aracajuanas”, queixou-se Tonho do Mira.

 

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários