Manifestação pelo endurecimento das providencias

0

Depois de três meses de comércio fechado e todas as atividades econômicas paralisadas, várias entidades ligadas à esquerda, foram ontem à porta da Prefeitura de Aracaju para uma manifestação em favor da continuidade da paralisação do comércio. Militantes da Frente Brasil Popular, Frente Povo Sem Medo, Central Única dos Trabalhadores (CUT), UGT, CTB e Conlutas fizeram a manifestação com palavras de ordem, pelas quais Prefeitura e Governo do Estado não se podem render à sanha dos lucros dos comerciantes.  Cobraram então a introdução do lockdown em Aracaju com vistas a reduzir o número de infectados e mortos pela Covid 19. Exigiram medidas mais rígidas para que seja possível reduzir o número de infectados e mortos pela Covid. A contaminação pela Covid 19 já atinge todas as categorias de trabalhadores. Na rede privada de saúde, cem por cento das UTIs estão ocupadas e na rede pública, o índice de ocupação alcança 65%. Pelo crescimento do contágio em Aracaju e interior de Sergipe o que significa dizer que estamos bem perto do colapso da rede, segundo informação que circulava entre os manifestantes. ”Edvaldo e Belivaldo não podem ceder, diziam os organizadores das manifestações. O crescimento da contaminação pela Covid 19 é a motivação para sair de casa e lutar pela continuidade da luta pela vida. A manifestação ocorreu junto a uma fila de ônibus novos que estavam sendo entregues à comunidade naquele  momento. Essas  manifestações foram batizadas pela CUT como ‘banho de sangue” para dizer que se tudo voltar a funcionar normalmente, vai ocorrer exatamente um ”banho de sangue” na capital sergipana.

As eleições em debate
As eleições municipais estão marcadas em dois turnos, nos dias 4 de outubro e 25 de outubro próximos. Todavia, não apostem nestas datas para a realização desse encontro do povo com as urnas. É que, nas altas esferas da República, discute-se o seu adiamento para os meses de novembro ou dezembro. Até agora, só há um consenso: as eleições devem se realizar ainda este ano. Espera-se uma definição para a data no correr deste mês de julho que hoje se inicia. Restariam então dois meses – agosto e setembro – para a campanha propriamente dita. O que parece razoável, embora muitos políticos achem o tempo exíguo. Para eles, o ideal seriam três meses de campanha. Os candidatos trabalham hoje com a hipótese de uma campanha menor e sem a realização de comícios. A campanha ficaria restrita ao horário eleitoral gratuito. O adiamento do pleito está sendo discutido abertamente no Congresso Nacional, e no Tribunal Superior Eleitoral. Aqui em Aracaju o tema ainda é motivo de discussão velada, isto é, nada de levar o tema ao público em geral.

Prefeitura explica as vagas que tem
A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa que a declaração do Presidente do Conselho Regional de Medicina de Sergipe, dr. Jilvan Pinto,  de que a gestão municipal estaria buscando a contratação de médicos sem Revalida  de forma desnecessária, haja vista que a entidade teria listado 115 profissionais interessados em atuar no Hospital de Campanha  Cleovansostenes Pereira de Aguiar, não condiz com a verdade. A Prefeitura de Aracaju possui dois chamamentos públicos vigentes, lançado em janeiro de 2019 para Pessoas Jurídicas e em abril deste ano para Pessoas Físicas, disponibilizados no wife oficial da Prefeitura e amplamente divulgados em diversos veículos de comunicação e por meio das plataformas oficiais de comunicação do município. Apesar de seguirem abertos para contratação, os editais não atingiram o número necessários de profissionais para atuarem em 152 leitos do Hospital de Campanha, o que limitou a estão a abrir   somente 60 leitos. Dos 115 profissionais listados pelo Cremese, apenas 8, de fato, demonstraram interesse pela atuação no HC Camp e já fazem parte da equipe desde a ativação da unidade hospitalar. Os demais 107 listados não apresentaram nenhuma documentação descrita nos editais publicados pelo município.

Falecimento
Registramos com pesar o falecimento odo músico Edgar do Acordeon. Ele é mais uma vítima do coronavírus. Deixa uma legião de admiradores de sua arte de músico competente. Um até breve ao notável Edgar do Acordeon.

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários