Mídia, verbas e publicidade

0

    Quem acompanha esta coluna desde seu nascimento na Infonet – em 15 de maio do ano passado – sabe que este espaço vem cobrando uma maior transparência no relacionamento entre o governo estadual e os meios de comunicação. Por conta desta cobrança este jornalista foi (e continua) alvo de alguns poucos colegas que fazem o jogo de dois empresários que têm a mente pequena e usam dos meios de comunicação apenas como objetivos políticos e totalmente dependentes das verbas publicitárias governamentais. Estão desesperados também porque este espaço não mudou e continua sendo a caixa de ressonância dos mais variados segmentos da sociedade sergipana.

    No último sábado, o governo estadual, tendo à frente o governador Marcelo Déda e a secretária de Comunicação Social, Eloísa Galdino deram um passo decisivo para um novo relacionamento entre o governo estadual e os meios de comunicação. Sem perseguições, sem revanchismo, mas com transparência e ética. Por isso este espaço não poderia deixar de parabenizar a medida tomada, já que era uma reivindicação de diversos profissionais que realmente pensam no futuro e na consolidação dos bons meios de comunicação e não no papel “marrom” como alguns deles atuam, principalmente no período eleitoral.

   A postura do novo governo, de ouvir o segmento empresarial é mais do que louvável, representa a mudança no relacionamento com a mídia tão propalada e cobrada por parcela significativa da sociedade sergipana. O governo anunciou que vai realizar um mapeamento em todo estado para ter um diagnostico preciso de toda a mídia e sua penetração na comunidade sergipana. Para ter essa radiografia o governo pretende contratar o Ibope Mídia que é hoje referência na América do Sul, ajudando os empresários de comunicação a montar suas estratégias de mídia, através de dados com a segmentação da população, hábitos de consumo e audiência.

   Os empresários que têm preocupação com seus meios de comunicação e têm os meios apenas como objetos de barganha política com certeza ficaram satisfeitos com o fim das chamadas cotas como vinha ocorrendo em vários governos. Não dá para se admitir que, por exemplo, uma rádio do interior, porque o dono é aliado político do governo, receba uma média de R$ 50 mil mensais, mesmo sem audiência nenhuma. O mesmo ocorre com os jornais e emissoras de tv. Após o diagnóstico realizado pelo Ibope Mídia cada um vai ganhar de acordo com sua fatia do mercado. É a regra normal de todo cliente: comprar o que precisa e usar o que deve. Sem mais, nem menos.

 Cabe alguns empresários da comunicação de Sergipe colocarem os pés no chão e entenderem que o momento é outro – não apenas em Sergipe – mas na mídia brasileira. Existe um mercado que deve ser disputado como em qualquer outra área e não apenas ficar dependendo das faturas mensais do governo estadual. Com a mensuração que será feita não haverá espaço para os ruins. Ficarão apenas os bons, os que têm a consciência que é preciso amadurecer e crescer, tendo as verbas governamentais apenas como mais uma fatia da receita da empresa, mas não como fator principal da manutenção dos meios de comunicação em troca do alinhamento político-eleitoral.

 

Fim de contrato dará economia de R$ 276 mil mensais I

O governo estadual continua agindo fortemente no combate (uma palavra mais amena), a alguns desperdícios. Desde fevereiro deixou de pagar R$ 290 mil mensais a uma empresa integradora de serviços de telefonia que tinha a missão de fiscalizar e procurar meios para reduzir custos com pagamentos a uma outra empresa da mesma área. Detalhe: o contrato, de cinco anos, assinado em março de 2006, geraria uma despesa de R$ 18 milhões durante todo o período.

 

Fim de contrato dará economia de R$ 276 mil mensais II

A empresa tinha como a missão reduzir os gastos com telefones em, no máximo 20%. Detalhe: se conseguisse chegar à meta, não haveria redução de custos pelo governo, já que a empresa receberia nos cinco anos o equivalente a todo percentual que está no contrato. Agora, a Agência de Tecnologia da Informação de Sergipe – Agetis, fará a mesma fiscalização cobrando a bagatela de R$ 14 mil mensais. Ou seja, de R$ 290 mil mensais passou para R$ 14 mil.

 

Nova licitação para publicidade

O novo governo vai realizar uma nova licitação para a contratação de agências de publicidade para cuidar das campanhas governamentais. A promessa é que essa será bem transparente para que todos possam participar. O objetivo também é realizar licitação para a publicidade do Banese, hoje um dos principais anunciantes do governo.

 

CPI da Comunicação

Alguns segmentos estão desesperados com a possibilidade de uma CPI da Comunicação. Quem não deve não teme. Aliás, os contratos realizados no governo passado começaram a chegar nas mãos deste colunista. Tem alguns interessantes, como uma empresa pequena que produz um informativo dirigido para alguns assinantes, mas no bolo total mensal recebia como “gente grande”.

 

 

Mais transparência na Deso I

A atual diretoria da Deso precisa ter mais transparência mostrando a real situação da empresa para os servidores. Só assim poderá negociar um acordo coletivo que possa ser aceito pelos servidores. Aliás, o acordo precisa também levar em conta que uma parte dos servidores é bastante beneficiada, enquanto outra, a dos concursados recentemente está sendo prejudicada financeiramente. Não existe justificativa para que a mesma categoria tenha salários diferentes. A Deso foi sucateada nos últimos quatro anos está na hora da sociedade sergipana saber da real situação da empresa.

 

Mais transparência na Deso II

Enquanto os servidores concursados vêm passando por dificuldades algumas aberrações ocorrem dentro da empresa. Algumas atitudes que para muitos seriam consideradas imorais, lá são vistas como normais. Um exemplo disso é o que aconteceu com o ex-presidente da empresa, Victor Mandarino, com o ex-diretor financeiro Antonio Lima e com o seu antecessor, Fernando Dora, que mesmo sendo requisitados de outros órgãos receberam da Deso – e não dos seus órgãos de origem – férias dobradas com valores de R$ 12.042,78 e de R$ 41.466,18 respectivamente. Um deles, Antônio Lima, só trabalhou três meses na empresa.

 

Lei dos privilégios vai ser modificada

O governador Marcelo Déda enviou a Assembléia Legislativa ontem um projeto de lei retornando a lei dos ex-governadores para a situação anterior, com o privilégio apenas de seguranças e com valores dos cargos bem menores. Com isso acabará com alguns privilégios que existem hoje. Um exemplo: o ex-secretário da Fazenda, Gilmar Mendes, à disposição do ex-governador João Alves, recebe um salário de R$ 33 mil, como servidor da Deso mais o cargo comissionado. Tudo à disposição da Casa Civil. E o pior, além do salário no valor de R$ 33 mil o governo tem que pagar os encargos no lugar da Deso que chegam a quase R$ 22 mil. No último mês, ainda teve férias, que chegou no total a bagatela de R$ 79.447,18. E o competente Luiz Eduardo Costa pensava que todas despesas chegavam a R$ 150 mil mensais. Pode ter certeza, é muito mais.

 

Reforma administrativa chega a AL

O governo estadual enviou para a Assembléia Legislativa a reforma administrativa com a adequação de novos nomes de algumas secretarias e algumas mudanças de atribuições. Por exemplo, no DER, acaba a diretoria de transportes que passa para a nova Secretaria de Transportes.  Já a nova Secretaria da Promoção Social, no lugar do Combate a Pobreza, terá uma série de ações atreladas ao Governo Federal.

 

Posse no Tribunal Regional Eleitoral

Os novos dirigentes do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe, para o biênio 2007/2009, vão ser empossados nesta quarta-feira,07, às 17 horas, a Desembargadora Madeleine Alves de Souza Gouveia e o Desembargador José Alves Neto.De acordo com a norma regimental, o Tribunal Pleno, composto pelos 07 juizes que integram a Corte, se reúnem em Sessão Solene, para empossar os novos dirigentes, sob a presidência do juiz mais antigo. Os novos dirigentes serão empossados nos cargos, de Presidente e vice como também corregedor eleitoral. Após a eleição, os desembargadores a serem empossados serão convidados a prestar o compromisso de desempenhar com lealdade e honradez as funções do cargo que vão ocupar e a cumprir e defender a Constituições do Brasil. Após o compromisso, será assinado o termo de posse.

 

 

Lula dirá ‘não’ a reivindicações de governadores

Deu no blog do Josias Souza, da Folha Online: “Em reunião marcada para esta terça-feira (6), no Palácio do Planalto, Lula dirá aos governadores estaduais que não tem repartir com eles as receitas de impostos e contribuições federais. Sob pena de comprometer os investimentos previstos no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). A posição do governo federal foi antecipada pelos ministros Tarso Genro (Relações Institucionais) e Dilma Rousseff (Casa Civil), nesta segunda (5), em reunião prévia que realizaram com seis governadores que apóiam Lula. Participaram do encontro: Cid Gomes (CE), Eduardo Campos (PE), Jaques Wagner (BA), Wellington Dias (PI), Ana Júlia Carepa (PA) e Marcelo Déda (SE)”.

 

E-mails dos leitores

Este colunista pede desculpa aos leitores porque nos últimos dias não vem respondendo todos os e-mails, mas esta semana  tudo será colocado em ordem.

 

 

Frase do Dia

“Os cães ladram e a caravana passa”. Ibraim Sued.

 

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários