Musiqualidade

0

L A N Ç A M E N T O    1

Banda: TITÃS
CD: “MTV AO VIVO”
Gravadora: SONY & BMG

A banda Titãs é atualmente composta por cinco cinqüentões. Já foram oito no início da carreira. Um faleceu precocemente (Marcelo Fromer, vítima de atropelamento), os outros dois saíram para desenvolver carreira solo (Arnaldo Antunes e Nando Reis). Mas o som continua arrojado e a pegada mais pulsante do que nunca. O tempo parece que não passou para os reminiscentes da banda mais roqueira do cenário nacional.

Branco Mello, Charves Gavin, Paulo Miklos, Sérgio Britto e Tony Belloto até desenvolvem trabalhos paralelos, porém a prioridade deles mesmo é a banda. Isso fica claro no recente CD (gravado em show realizado em Florianópolis) que acaba de chegar às lojas, em mais um lançamento que integra o projeto MTV ao vivo.

A massa sonora característica da banda se faz presente em faixas mais pesadas como “Lugar Nenhum”, “Mentiras” e “Vamos ao Trabalho”. Mas também há espaço para canções mais óbvias (“Cabeça Dinossauro”, “Bichos Escrotos” e “Polícia”) ao lado de outras que ficaram conhecidas do grande público por terem feito parte de trilhas sonoras de novelas da Rede Globo (é o caso de “Enquanto Houver Sol” e “Epitáfio”).

Inconformados com a não liberação de Roberto Carlos para que pudessem regravar “Quero Que Vá Tudo Para o Inferno”, os músicos arregimentaram uma outra canção do Rei e a transformaram em hit imediato. Trata-se de “O Portão”, devidamente atualizada com as novas tintas titânicas que lhe foram emprestadas. Há ainda uma releitura bastante apropriada de “Aluga-se”, um grande sucesso do repertório de Raul Seixas.

Demonstrando que não se acomodaram ao sucesso conquistado e que continuam produzindo, os Titãs incluíram neste trabalho três boas canções inéditas: “Anjo Exterminador”, “O Inferno São Os Outros”  e “Vossa Excelência”, esta última já maciçamente executada pelas rádios devido aos seus versos contundentes nos quais Deputados, Ministros e Magistrados são contemplados com adjetivos como “bandido”, “corrupto” e “ladrão”. É a crítica voraz de uma banda com relação a um país que ainda não aprendeu a ser honesto. Vale mesmo pela coragem por se mostrarem inconformados diante de tanta canalhice, diferentemente de outros vários artistas que, em meio à bandalheira que assola a atual política nacional, preferem silenciar ou tão somente se dizerem entristecidos.

O CD soa, assim, como uma bela amostra do trabalho dessa banda que contraria os próprios versos: “Eu não sei fazer música mas eu faço / Eu não sei cantar as músicas que eu faço mas eu canto”. Sabem, sim! E o fazem com eficiência e propriedade.

 

L A N Ç A M E N T O    2

Cantor: QUINTA
CD: “MOSAICO”
Gravadora: TRATORE

O cantor e compositor Quinta (que já assinou Marcelo Quintanilha) está lançando um novo CD intitulado “Mosaico”. E é ele próprio quem explica, no texto de apresentação, o porquê dessa escolha: “Não quero ser, nem sou, uma música só. Sou feito de contrários, de antagonismos. Assim, escolhi meu repertório. Sobre as canções, procurei a variedade. Tanto sonora quanto temática e poética.”

Depois de ter começado bem, colocando no mercado dois ótimos primeiros discos, Quinta derrapou no terceiro trabalho, mas se recupera agora, ao lançar um delicioso álbum de sonoridade bem bacana: definida, limpa e alegre.

Embora ritmos diversos percorram as quatorze faixas do repertório, as quais foram entregues a vários produtores, há uma concisão final muito interessante, resultante do reflexo da alma do seu criador que, como não poderia deixar de ser, faz-se ali inequivocamente presente, de forma que se torna até difícil explicitar destaques, mas sendo missão fazê-lo, vamos a eles!

Enquanto a divertida “Lote na Lua” denota a capacidade do artista em visitar temas inusitados, “Vaca Amarela” evoca uma nordestinidade inata que vai desde a sua construção melódica até a letra contagiante.

“Ímpar” (parceria com Tenisson DelRey) torna-se uma bem-vinda pausa para respiração. Simples mas precisa, romântica sem ser melosa, vem se juntar com “A Bela é a Fera”, ambas inteligentes na dose certa.

“Nada de Mais”, por sua vez, chega a lembrar passagens buarquianas e é bonita pra dedéu, mas é com “Encruzilhada” (que conta com a participação especial de Moska), uma obra-prima moderna emoldurada por um arranjo de arrepiar, que o CD atinge o seu ápice. Não poderia deixar de ser citada também a parceria de Quinta com a cunhada Daniela Mercury (sim, ele é casado com a cantora Vânia Abreu, irmã do furacão baiano), a exótica “Alma Colombina” que possui um refrão arrebatador e conta com Péri, como convidado, nos vocais.

Enfim, trata-se de um disco que coloca o talentoso Quinta um passo à frente em sua carreira.  É um trabalho que vale super à pena ser conhecido!

 

N O V I D A D E S

.  A trilha sonora da recém estreada novela “Belíssima” conta com um time de peso. Entre outros, estão presentes: Daniela Mercury (“Pensar em Você”, de Chico César), Caetano Veloso (“Você é Linda”, o tema de abertura), Simone (“Então Me Diz”, de Damien Rice, em versão de Zélia Duncan) e Ney Matogrosso (“Belíssima”, de Adriana Calcanhotto).

.  Sairá ainda este mês pela pequena gravadora CID o novo trabalho da paraibana Renata Arruda. Intitulado “Pegada”, o disco (que leva a assinatura de Robertinho de Recife na produção) conta com parceria inédita da cantora com Sandra de Sá (“Libera”), além de releituras para canções conhecidas (“Hoje Eu Quero Sair Só”, de Lenine, e “É Ouro Pra Mim”, de Peninha, por exemplo). Paralelamente, também vai chegar ao mercado um DVD que foi filmado em estúdio, documentando o processo de gravação do CD.

Já está nas lojas o novo CD da banda Capital Inicial que registra várias canções do grupo brasiliense Aborto Elétrico do qual Renato Russo participou. O trabalho registra as composições iniciais do irrequieto artista, mas aquela que é tida como a primeira música dele (“Benzina”, escrita em 1980) vem somente em versão instrumental. É que a gravadora Sony & BMG achou aconselhável a não inclusão da letra cantada, pois os versos da mesma fazem apologia ao consumo da droga ilegal que batiza a canção.

.  Em dezembro, será gravado na Bahia um show ao vivo do grupo Cidade Negra, o qual se transformará em CD e DVD. A obra da banda já havia sido revisitada em um Acústico MTV, mas a boa receptividade do público com relação ao último disco de estúdio (“Perto de Deus”) alavancou o novo projeto.

O Clube da Esquina, espécie de movimento musical fundado em Minas Gerais, no início dos anos 70, por compositores como Milton Nascimento e Lô Borges ganha caprichada coletânea do selo Dubas Música. O disco que se intitula “Clube Moderno – Esquina do Mundo” reúne belas canções interpretadas pelos dois artistas citados, além de outras nas vozes de Elis Regina, Nana Caymmi, Joyce e Alaíde Costa.

.  Com participações de Zeca Baleiro, Seu Jorge e Zélia Duncan, foi gravado na casa de shows Olimpo, no Rio de Janeiro, espetáculo que vai se transformar no primeiro DVD ao vivo do carioca Bebeto. Dentre as canções, alguns de seus hits da década de setenta, tais como: “A Beleza é Você, Menina”, “Praia e Sol” e “Menina Carolina”.

A segunda caixa contendo mais 3 DVD’s de Chico Buarque já está chegando às lojas. Resultante de programas dirigidos por Roberto de Oliveira para o canal DirecTV, a nova coleção inclui os programas “Anos Dourados” (sobre as parcerias do compositor com Tom Jobim), “Estação Derradeira” (sobre a relação afetiva do artista com a escola de samba carioca Mangueira) e “Bastidores” (sobre a obra teatral do artista). Em 2006, a EMI tenciona lançar uma terceira caixa com mais três DVD”s que trará os temas “Romance” (sobre a faceta amorosa da obra do compositor), “O Futebol” (sobre a paixão do artista pelo esporte) e “Uma Palavra” (sobre obra literária do compositor).

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais