Musiqualidade

0

L A N Ç A M E N T O    1

 

Cantora: SIMONE

CD: “AO VIVO”

Gravadora: EMI

Já há um certo tempo que Simone vem tentando pôr a sua carreira de volta nos trilhos. Uma das maiores vendedoras de discos no Brasil na década de oitenta, nos anos noventa a cantora derrapou quando incursionou no universo brega-romântico e, por isso, pena até hoje para recuperar o prestígio arranhado.

 

Dona de uma voz potente e de uma fantástica presença de palco, a baiana tem tudo para conseguir o seu intento: é dotada de uma personalidade arrebatadora e sabe arrebanhar para perto de si nomes que lhe garantem credibilidade.

 

No novo disco, gravado ao vivo, que acaba de chegar às lojas, Simone conta com um time de convidados de peso: Zélia Duncan (olha ela aí de novo, gente!), Ivan Lins e Milton Nascimento (estes dois comprovando, infelizmente, o que a passagem do tempo faz com as pessoas: estão com as vozes irremediavelmente comprometidas). Inobstante o brilho especial que a presença do trio de famosos confere ao trabalho, o maior destaque é ela mesma, a própria Simone. A artista sabe colocar, em cada uma das canções, o peso certo e dosá-las com a emoção adequada. Com uma pronúncia impecável, quase que mastigando cada sílaba das palavras, passa para o ouvinte uma cumplicidade que poucos artistas conseguem.

 

Assim, ela passeia com destreza por canções mais intimistas (perfeita a sua releitura para “Dia Branco”, de Geraldo Azevedo), pisa com decisão em terreno pop (apropriada em “Não Vá Ainda”, de Zélia Duncan) e arrebata a platéia com interpretações de sambas (pulsante em “Sarava, Sarava” e “Parei Contigo”, ambas de autoria de Ivan Lins, a primeira em parceira com Martinho da Vila e a segunda com Paulo César Pinheiro).

 

Os melhores momentos do álbum, todavia, se concentram nas releituras de “O Que Será”, de Chico Buarque, canção já conhecida de Simone, mas que, como ela própria adverte no final da faixa, não envelhece, e de “Nós”, pinçada do repertório de Cássia Eller, a qual, emoldurada por um arranjo dos mais felizes dos últimos tempos, ganha cores particulares.

 

Como garantia de visibilidade para o novo trabalho, a gravadora EMI conseguiu incluir a canção “Então Me Diz” (versão de Zélia Duncan para “The Blower’s Daughter”, de Damien Rice) na trilha sonora de “Belíssima”. É a música-tema dos protagonistas da novela interpretados por Glória Pires e Marcelo Anthony. Um baita de um empurrão para ajudar a cantora a retomar o lugar que merece no cenário musical brasileiro!

 

 

L A N Ç A M E N T O    2

 

Cantor: BiD

CD: “BAMBAS & BIRITAS vol. 1”

Gravadora: MCD

O arranjador e produtor musical BiD também é multi-instrumentista, compositor e DJ. Muito pouca gente deve conhecê-lo pelo nome, mas provavelmente muitos já ouviram várias canções que foram por ele lapidadas.

 

Na ativa desde 1985, BiD produziu vários discos brasileiros, dentre os quais os cultuados “Afrociberdelia” e “CSNZ” (ambos de Chico Science & Nação Zumbi), além de ter sido um dos co-fundadores e guitarristas da banda Funk Como Le Gusta que, além de lançar a excelente cantora Paula Lima, atingiu destaque internacional, participando de festivais como o Free Jazz e o concorrido Rec Beat.

 

BiD também morou seis anos em Los Angeles, onde chegou a tocar em diferentes bandas e a trabalhar por um período considerável na gravadora Capitol Records.

 

Quando regressou ao Brasil, passou a freqüentar os discos de vários artistas, tais como: Marcelo D2, Mundo Livre S/A, Marina Lima, Fernanda Abreu, Planet Hemp, Jorge Benjor, Daúde e Otto, entre outros.

 

Toda esta introdução é só para chegar ao fato de que esse mesmo Bid acaba de lançar o seu primeiro disco solo, o ótimo “Bambas & Biritas – Vol. 1”, o qual contém 11 músicas inéditas e conta com as participações especiais de, entre outros, Seu Jorge, Elza Soares e Marku Ribas nas excelentes músicas “E Depois…”, “Mandingueira” e “Fora do Horário Comercial”, respectivamente, além de parcerias com Arnaldo Antunes, Iara Rennó e a dupla Caju & Castanha.

 

Trata-se de um belo álbum que vem embalado em primorosa produção na qual a mistura de funk, samba, rap, jazz, balada e eletrônica é muito bem feita.

 

Entre os destaques, estão as faixas “Não Pára”, uma das poucas canções que é interpretada pelo próprio BiD e que homenageia o amigo Herbert Vianna, e “Roda Rodete Rodeano”, que traz a participação póstuma e inédita de Chico Science. De quebra, há um arranjo de cordas de arrepiar elaborado pelo polivalente André Abujamra em “Estou Bem Longe (Do Que Me Faz Mal)”. Um CD que realmente vale a pena ser conhecido!

 

N O V I D A D E S

 

·               E na próxima sexta-feira, no Projeto Assaim de Música que está a se realizar no Município de Pirambu, ocuparão o palco os cantores sergipanos Nino Karva e Luiz Fontineli. Você não pode perder, viu?

 

·               No período compreendido entre os dias 20/11 e 20/12, todas as faixas do ótimo CD de Alex Sant’anna intitulado “Aplausos Mudos, Vaias Amplificadas” estarão disponíveis para download no site www.mp3magazine.com.br. Lá vai se poder encontrar ainda uma entrevista super legal com o artista que mais vem se destacando ultimamente em terras sergipanas. O site também sai publicado de maneira impressa e na próxima edição da correspondente revista, que estará em breve nas bancas, cinco músicas do disco também poderão ser encontradas gratuitamente. Já em um outro site, o www.senhorf.com.br, a música “O Que Não É” se encontra em um dos primeiros lugares no ranking das mais ouvidas. Salve Alex!

 

·               A cantora niteroiense Ithamara Koorax novamente foi incluída entre as 10 maiores cantoras de jazz do mundo em 2005, de acordo com os leitores da Down Beat, espécie de bíblia do gênero. Única brasileira presente em tal lista, a fenomenal La Koorax (que vem freqüentando a importante relação há cinco anos) viu o seu novo CD “Autumn in New York” constar à frente dos mais recentes trabalhos de Norah Jones e Nancy Wilson, por exemplo, cantoras estrangeiras de grande conceito no mercado mundial.

 

·               A gravadora Trama está colocando nas lojas o CD “The New Brazilian Music: Pernambuco”. Trata-se de uma compilação de faixas de trabalhos de vários artistas pernambucanos e que visa primordialmente ao mercado externo. Há desde grupos oriundos do mangue beat até artistas ligados à MPB convencional, passando por sons experimentais e pelas mais genuínas tradições. Dentre os presentes: Selma do Côco, Mestre Ambrósio, Otto, Caju & Castanha, Cordel do Fogo Encantado, Cascabulho, Nação Zumbi e Lenine.

 

·               O rapper Cabal foi recentemente contratado pela gravadora Universal e já se encontra em estúdio preparando o seu CD de estréia pela multinacional. Dentre as faixas estará “Viver Bem” que utiliza sample da canção “O Bofe”, composta em 1972 por Roberto e Erasmo Carlos. A surpresa foi a liberação do Rei porque se sabe que ele é muito reticente com relação a esse tipo de coisa…

 

·               No comecinho de dezembro, estará chegando às lojas o CD “Falando de Amor – Famílias Caymmi e Jobim cantam Antônio Carlos Jobim”. Nele, os irmãos Danilo, Dori e Nana Caymmi se uniram ao filho de Tom (Paulo Jobim) e ao seu neto (Daniel) para reverenciar o maestro soberano em um disco que remete a um título clássico da discografia do selo Elenco: “Caymmi visita Tom (e leva seus filhos, Nana, Dori e Danilo)”, editado em 1964. Entre músicas menos conhecidas da obra de Tom (como “Esperança Perdida”, “Esquecendo Você” e “Foi a Noite”), Ronaldo Bastos pôs letra na melodia de “Chanson pour Michelle”, tema composto por Tom para a trilha da minissérie “O Tempo e o Vento”, exibida pela Rede Globo em 1985, transformando-a literalmente em “Canção para Michelle”. Outra letra inédita foi a feita por Vinicius de Moraes para “Bonita”, até agora conhecida somente com os versos em inglês feitos por Gene Lees e Ray Gilbert. A letra em português de Vinicius, “Bonita Demais”, é cantada por Daniel Jobim e foi incluída na trilha da novela “Belíssima”.

 

·               Também em dezembro, mais um DVD de Maria Bethânia será posto no mercado. Trata-se do registro integral do show “Tempo Tempo Tempo Tempo”, o qual, em sua grande parte, contém canções de autoria de Vinicius de Moraes. Mas a sábia cantora adicionou ao roteiro músicas inéditas em sua voz, tais como: “Nos Combates desta Vida” (Ivone Lara e Délcio Carvalho), “Você Vai Ficar na Saudade” (Benito Di Paula), “Céu de Santo Amaro” (Flávio Venturini sobre melodia de Bach), “Foguete” (Roque Ferreira e J. Velloso), “Um Dia pra Vadiar” (Totonho Villeroy) e “Estranho Rapaz” (Roberto Mendes e Capinam). Nos extras, o DVD incluirá imagens da cantora em Santo Amaro da Purificação (BA), sua terra natal.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais