MUSIQUALIDADE

0

R E S E N H A     1

 

Cantores: VÁRIOS

CD: “100 ANOS DO FREVO – É DE PERDER O SAPATO…”

Gravadora: BISCOITO FINO

 

Surgido no século dezenove com células rítmicas de polca e dobrado que se ajustaram às coreografias dos foliões pernambucanos, o frevo teve, como data oficial de nascimento, o dia 9 de fevereiro de 1907. Para comemorar o seu centenário, a gravadora Biscoito Fino lançou, poucos dias antes dos festejos de momo deste ano e em parceria com a Prefeitura Municipal de Recife, o CD duplo intitulado “100 Anos do Frevo – É de Perder o Sapato…”, o qual levou a assinatura do compositor Carlos Fernando na produção.

 

O CD 1 traz quatorze faixas, todas elas instrumentais, executadas pela Spokfrevo Orquestra, nova sensação das noites recifenses. Capitaneada por Inaldo Cavalcanti, o conhecido maestro Spok (que recebeu tal alcunha em referência às suas orelhas de lóbulos pontudos como as do doutor Spock, do seriado de TV), a citada orquestra chegou trazendo uma nova concepção de arranjos, tocando frevo para ser também ouvido, não apenas dançado. O resultado – excelente – pode ser constatado em diversas das faixas escolhidas, mas não dá para deixar de destacar “Aninha no Frevo” (de Clóvis Pereira), “Frevo da Meia-Noite” (de Carnera), “Último Dia” (de Levino Ferreira) e “Nilinho no Passo” (de Duda). Há, ainda, uma ousada abordagem sinfônica do maior clássico do gênero (“Vassourinhas”, de Matias da Rocha e Joana Batista) através da peça erudita intitulada “Fantasia Carnavalesca”.

 

No CD 2, alguns dos maiores nomes da nossa música se fazem presentes, a maioria deles mostrando-se perfeitamente à vontade ainda que em praia não freqüente em suas carreiras. É o caso de Maria Bethânia, Maria Rita, Vanessa da Mata e Ney Matogrosso, por exemplo, perfeitos em suas versões de “Frevo nº 1” (de Antônio Maria), “Valores do Passado” (de Edgard Moraes), “De Chapéu-de-Sol Aberto” (de Capiba) e “Me Segura Senão Eu Caio” (de J. Michiles), respectivamente. Outros comprovam a familiaridade já conhecida para com o ritmo: é o caso de Elba Ramalho (“Frevo Rasgado”, de Gilberto Gil e Bruno Ferreira), Alceu Valença (“Homem da Meia-Noite”, parceria dele com Carlos Fernando), Claudionor Germano (“Madeira Que Cupim Não Rói”, outra de Capiba) e Antônio Nóbrega (“Evocação nº 1”, de Nelson Ferreira). Além deles, também estão no projeto Lenine, Gilberto Gil, Geraldo Azevedo, Luiz Melodia, Nena Queiroga, Silvério Pessoa, Geraldo Maia e Edu Lobo.

 

Um lançamento de peso que vem coroar com merecimento a alegria do frevo pernambucano!

 

 

R E S E N H A     2

 

Cantora: TARYN SZPILMAN

CD: “TARYN”

Gravadora: INDEPENDENTE

 

Ainda pouco conhecida pelo público de uma forma em geral, a cantora Taryn Szpilman é uma das grandes vozes femininas da nossa música.

 

De maneira independente, ela acaba de lançar um CD que leva somente o seu prenome no título e no qual, através de nove canções, consegue trazer a lume toda a sua expressividade em interpretações viscerais que vêm sendo elogiadas por críticos e formadores de opinião conceituados.

 

Além da carreira solo, a loira de olhos azuis é vocalista da Big Band “Rio Jazz Orquestra” e já fez parte da band cult carioca “Rio Sound Machine” e da banda eletrônica “Eletrofluminas”, ao lado dos músicos Márcio Lomiranda e Paulo Rafael. A sua voz também foi ouvida na música “Coração de Papel”, que serviu como tema de abertura do programa global “Os Aspones”, e ela já trabalhou com nomes como George Israel (da Banda Kid Abelha) e o baterista Cláudio Infante, com quem se apresentou em uma turnê unindo música instrumental a um repertório repleto de standarts de blues e jazz.

 

Dona de uma voz extensa, potente e rascante, Taryn pode muito bem vir a preencher a lacuna deixada por Cássia Eller. Assim como a brasiliense, sua forma de cantar engloba elementos vários, embora a predominância recaia sobre o bom e velho rock’n roll, como se comprova, por exemplo, através de “Sempre Que o Amor Desaba” (de Dé Palmeira e Sérgio Serra) e “Sexo e Raiva” (esta assinada somente por Sérgio Serra).

 

Mas a mistura do rock com jazz, blues, soul e MPB também se mostra nítida em vários momentos, deixando, por outro lado, bastante claro que os arranjos foram elaborados especialmente para mostrar a que Taryn veio. A produção musical do trabalho ficou a cargo de Nani Dias que assina as faixas “Votos Partidos” (com Sérgio Serra) e “Longo Adeus” (ao lado de Frejat e Mauro Santa Cecília). Frejat participa dos vocais desta faixa e também é o autor, ao lado de Mauro e de Ezequiel Neves, de outro bom momento do CD, a canção “O Céu Não Acaba”.

 

O registro de Taryn para “Fine & Mellow” (de Billie Holiday) é fantástica, mas não fica atrás a releitura bluesy dada a “Pisca” (inspirada parceria de Zeca Baleiro e Suely Mesquita). Outros destaques ficam por conta dos registros de “Balada da Arrasada” (esquecida obra-prima de Ângela Ro Ro, lançada em seu disco de estréia) e “Pactocombaco” (bela criação de Eugênio Dale, já gravada por ele para a trilha do filme “Sexo, Amor e Traição”, e também pela cantora Paula Lima em seu segundo CD). Conheça e curta!  

 

 

N O V I D A D E S

 

·               Depois de um tempo afastado da carreira por motivos pessoais, o baiano Netinho (ídolo maior do axé music quando do seu estouro nacional) resolveu investir no pop quando retornou ao meio artístico. Sentindo, todavia, que o caminho não iria levá-lo muito longe, voltou rapidinho à música baiana, a qual de fato domina. É o que se pode constatar através do CD que chegou recentemente ao mercado intitulado “Por Inteiro” (disponível também no formato DVD). Lançado pela gravadora Universal, o trabalho foi gravado ao vivo durante show realizado na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, em Salvador (BA). É claro que os grandes sucessos estão todos lá (“Capricho dos Deuses”, “Preciso de Você”, “Beijo na Boca”, “O Fim de Semana”, “Menina”, “Total”, “Jeito Diferente” e “Milla”) para o delírio dos fãs de sempre. Mas o bom mesmo é ver Netinho de novo levantando a galera com sua interpretação sempre correta e suingada em boas canções como “Abra Sua Cabeça”, “Barracos”, “Tudo Bem” e o hit “Sandra”. Há, ainda, as participações especiais de Ivete Sangalo (em “Onde Você Se Esconde”) e do Ilê Ayê (em “Xodó”).

 

·               O repertório do novo CD de Mônica Salmaso, que será focado na obra de Chico Buarque, já está praticamente definido. Dentre as canções escolhidas pela irretocável cantora estão “Ciranda da Bailarina”, “Bom Tempo”, “Construção” e “O Velho Francisco”. Nas lojas ainda neste primeiro semestre.

 

·               Completando a trilogia em homenagem ao seu pai, o compositor Dorival Caymmi, a cantora Nana Caymmi vai lançar em breve, através da gravadora Som Livre, um álbum cuja base serão os sambas-canções compostos pelo famoso artista baiano.

 

·               A banda Capital Inicial estará lançando no próximo mês de março, através da gravadora Sony & BMG, o seu novo álbum que leva a assinatura de Marcelo Sussekind na produção e reúne treze faixas inéditas no repertório. “Eu Nunca Disse Adeus”, de Dinho Ouro Preto e Alvin L., será a primeira música a ser trabalhada.

 

·               Deverá ser lançado ainda este ano o novo CD de inéditas de Luiz Melodia. O artista já está compondo novas obras para o esperado trabalho (a exemplo da bonita canção “Dama Ideal” que já vem sendo por ele cantada em alguns shows), o qual chegará ao mercado através da gravadora Indie Records.

 

·               O primeiro DVD da Velha Guarda da Mangueira conta com a participação mais que especial da cantora Leila Pinheiro que interpreta a canção “Piano na Mangueira” (parceria de Tom Jobim e Chico Buarque). Belo registro!

 

·               Jorge Ben Jor estará nas lojas, este ano, com dois trabalhos inéditos. Um é o chamado novo CD de carreira e o outro resulta de uma matriz encontrada pela gravadora Som Livre, contendo um disco que o artista gravou no começo da década de oitenta, mas que não chegou a ser lançado.

 

·               O paraibano Zé Ramalho já se encontra em estúdio, sob a produção de Robertinho de Recife, gravando o seu novo CD de inéditas que contará com a participação especial da roqueira Pitty na canção “A Nave Interior”, uma parceira de Zé com Chico César. Também fará parte do disco a música “Você e o Seu Amor”, composta pelo artista especialmente para a trilha sonora do filme “Fica Comigo Esta Noite”.

 

 

RUBENS LISBOA é compositor e cantor


Quaisquer críticas e/ou sugestões serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail: rubens@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais