Navalha: 90 dias de agonia

0

 

  Há exatamente 90 dias, Sergipe parou literalmente com a Operação Navalha, desencadeada pela Polícia Federal, em seis Estados e no Distrito Federal, com a prisão de  46 pessoas, entre elas três de Sergipe: o empresário João Alves Neto, filho do ex-governador João Alves e da senadora Maria do Carmo, o ex-deputado federal Ivan Paixão e o recém empossado conselheiro do Tribunal de Contas, Flávio Conceição. João Alves Filho e Flávio Conceição foram conduzidos algemados para Brasília onde ficaram presos por alguns dias.

 A acusação segundo decisão da ministra do STJ, Eliana Calmon, através do trabalho realizado pelo MPF: “Temos apenas o início da provas que foram colhidas com grandes esforços, diante das técnicas de atuação própria de organizações criminosas. Infiltradas no aparelho estatal e atuando na penumbra, facilmente apagam os vestígios da atuação delitiva, destruindo documentos, apagando arquivos eletrônicos, coagindo e comprando testemunhas… é preciso paralisar a atuação da organização criminosa que, sem freio e sem medo, continua em plena atividade, avança sobre o erário e despudoramente, corrói um dos pilares de sustentação do Estado: a credibilidade e moralidade de instituições estatais e a força econômica de implementação dos objetivos do poder político”.

 Sobre os três sergipanos a ministra relata: “Flávio Conceição, de Chefe da Casa Civil do governador João Alves Filho, passou a conselheiro do TC, participando da organização criminosa como elo de ligação entre Governo do Estado e Zuleido Veras – dono da Gautama, do qual recebeu, diversas vezes, em recompensa pelos serviços prestados, vantagens indevidas. Mesmo no cargo de conselheiro, não se afastou do grupo, ao contrário intensificou sua atuação de auxilio ao grupo; João Alves Neto, apesar de não exercer cargo público efetivamente comandava a área financeira do Estado. Recebeu vantagens indevidas da organização criminosa para autorizar liberação de recursos e a viabilização de empréstimos; Ivan Paixão, por seu intermédio a Gautama obteve a liberação de recursos de um convênio no valor de R$ 6, 8 milhões, recebendo, em contrapartida, a quantia de R$ 50 mil pagos por Zuleido Veras”.

  Depois da liberação das gravações feitas pela PF, apareceram muito mais coisas. Descobriu-se que Flávio Conceição agiu entre alguns colegas para impedir a auditoria na Deso, além do trafico de influência e indícios fortes de improbidade administrativa envolvendo outros sergipanos. É por isso, que o processo ainda não acabou. Vários fatos revelados pelas ligações telefônicas se transformaram em outros processos que vem sendo investigados separadamente. É algo surpreendente e anotem: não apenas os três sergipanos presos serão indiciados. Tem muito mais gente. Como tramitam em sigilo os processos estão andando e várias autoridades envolvidas tiveram que depor em Brasília, no STJ.

 São 90 dias de desnudamento de algo rasteiro e podre que mandava e desmandava em alguns setores da administração pública. Era uma verdadeira máfia com funções definidas com o único intuito: retirar o que pudesse dos recursos públicos. Porém, nestes 90 dias muitos deles dormem a base de remédios controlados. Alguns chegam a desfilar nos restaurantes e eventos sociais, torcendo pelo esquecimento da população. Mas a sociedade está mudando e mais: a Operação Navalha não acabou. Está mais viva do que nunca. Eles sabem disso e morrem de medo.

Na semana passada a ministra do STJ, Eliana Calmon, esteve em Sergipe  e explicou que todo o processo está sendo feito de maneira minuciosa, para não deixar brechas para os grandes escritórios de advocacia que foram contratados pela maioria dos envolvidos. Aliás, a PF também está investigando como serão pagos estes “honorários advocatícios”. A ministra está chamando os envolvidos para apresentarem suas defesas. Tudo está sendo feito dentro da lei. A verdade é que a Operação Navalha iniciou com um objetivo, mas no decorrer do processo foram necessárias criar várias ramificações. Era uma máfia que sugava o dinheiro público em vários Estados. Em Sergipe estava enraizada há vários anos no Poder Executivo e estava dando frutos no órgão auxiliar do Legislativo que se comporta como um poder: o Tribunal de Contas.

Navalha: 90 dias de agonia. Essa agonia do título deste artigo não é sua leitor, nem de parte  imprensa que não fugiu de sua responsabilidade, apesar de todas as pressões possíveis. Essa agonia do título é de quem está envolvido. É de quem foi preso. É de Flávio Conceição, que já devia ter sido afastado definitivamente do TC, mas continua recebendo seus vencimentos, mesmo sem trabalhar. É do empresário João Alves Neto que se esforça para passar que tudo está bem e só depois do episódio encontrou Deus no seu coração andando com um terço para todo o lado. É do ex-deputado Ivan Paixão que deixa a política definitivamente. A agonia é também de muitos outros que aparecem em gravações com conversas comprometedoras e podem também ser indiciados. Flávio Conceição, João Alves Neto e Ivan Paixão serão denunciados pelos crimes de corrupção ativa, passiva, formação de quadrilha, entre outros.

 

Ramificações deixam muitos sem sono

As ramificações da Operação Navalha, por conta das gravações da PF, abriram vários outros processos paralelos. Tem gente que não dorme. Para quem torce pelo esquecimento e pela impunidade desta vez algo mudou. É só aguardar…

 

Pirambu complica supermercado

Uma rede de supermercados conhecida dos sergipanos está com sérios problemas para mostrar no Ministério Público Federal e no Ministério Público Estadual como conseguiu ganhar todas as licitações para a venda de produtos a Prefeitura de Pirambu nas últimas duas administrações. E tem funcionário que abriu tudo, como funcionava o esquema e as contas que foram abertas no supermercado para entrega de mercadorias em nome de pessoas.

 

Editais apenas publicados em jornal alternativo

Os editais de Licitações da Prefeitura de Pirambu eram publicadas apenas em um jornal alternativo, ou melhor, daqueles que circulam “devezenquandario”. Muito estranho, quando o correto é publicar num jornal diário.

 

“Aperreio” de alguns que gostam de utilizar a máquina

Mesmo faltando um ano e dois meses para as eleições municipais, algumas lideranças e prefeitos do interior estão “aperriados” com o novo estilo de fazer política implantado no Governo do Estado, onde a máquina estatal não será usada para beneficiar candidaturas e também para não realizar ações em algumas localidades onde a oposição está no comando. O estilo coronelista e ultrapassado deixou saudades em muitos que insistem que o atual governador comece a colocar a máquina estatal para beneficiar algumas candidaturas. A eleição de Graccho Cardoso, onde o PT foi massacrado nas urnas, serviu para mostrar que a máquina não será usada. Marcelo Déda tem interesses políticos em alguns municípios estratégicos, mas isso não quer dizer que vai mapear o Estado – como faziam outros governantes – para usar a máquina estatal de forma a comprometer a administração pública.

 

 

Solidariedade e boicote

O governador Marcelo Déda ligou para o colega governador do Piauí, Wellington Dias, para solidarizar-se com relação às afirmações feitas pelo presidente da Phillips, Paulo Zottolo. Segundo Déda, as palavras do executivo refletem preconceito e desrespeito ao Estado e ao povo piauiense. “Se as afirmações fossem relacionadas a Sergipe, eu abriria um boicote aos produtos da Philips”, sentenciou.

 

Capitalismo afasta o homem do ser humano

“Tenho certeza de que o capitalismo afasta o homem do ser humano. Que Deus dê a ele a oportunidade de conhecer o Piauí e os homens e mulheres que aqui vivem. Para se ter uma idéia, o Piauí tem 80% de suas florestas nativas preservadas e produz oxigênio para o Brasil e para o mundo. O Piauí, segundo estudos em andamento, tem uma das maiores bacias de gás e petróleo do país. É do Piauí a melhor escola do Brasil, eleita dois anos consecutivos pelo Enem. O Piauí tem a melhor produtividade de soja, mel e algodão do país. Por coincidência, um piauiense, José Horácio de Freitas, foi diretor financeiro da Philips. Por ele e por todos os cidadãos piauienses deveríamos ter respeito. E faço a ele o convite para vir conhecer o Piauí.” Resposta do governador do Piauí, Wellington Dias, ao presidente da Philips, Paulo Zottolo, que disse que “se o Piauí deixar de existir ninguém vai ficar chateado”.

 

 

 

Secretário explica ações na Barra dos Coqueiros

Do secretário da Infra-Estrutura, Oswaldo Nascimento sobre as notas publicadas ontem, 16, da reunião realizada na Barra dos Coqueiros: “Fiquei extremamente honrado com o convite feito pelo múltiplo Montalvão, hoje presidente do Rotary Club da cidade da Barra dos Coqueiros.Esclareço, apenas, que há mais de 60 dias, o Prefeito Airton Martins nos alertou para futuros problemas que poderiam ocorrer em relação as duas obras que serão realizadas na cidade: a ampliação da rodovia que liga a sede da cidade à Atalaia Nova e a construção da Orla nessa localidade. Além de várias solicitações encaminhadas ao governo visando a melhoria da qualidade de vida dos seus munícipes.Na reunião com o Rotary apenas explicitei as obras já demandadas pelo Prefeito e acolhidas pelo Governador Marcelo Déda. Obviamente que as observações colhidas na reunião com os companheiros do Rotary se somam às do Prefeito no sentido de a SEINFRA aprofundar os estudos necessários para a correta aplicação dos recursos alocados.Agradeço a sua atenção”.

 

MPF ouve ex-deputados e assessores sobre o caso sanguessuga

 Os ex-deputados federais Cleonâncio Fonseca, Heleno Silva e os assessores Adonias Gomes Lima Júnior e José Augusto Magalhães Carneiro, foram ouvidos hoje, 16, pelo procurador da República Bruno Calabrich no Ministério Público Federal (MPF) em Sergipe. Eles prestaram informações para o processo administrativo que apura os fatos revelados pela Operação Sanguessuga em Sergipe. O conteúdo das ouvidas não será divulgado pelo MPF. “Vou analisar todas essas informações e, em não mais que um mês, darei o meu parecer”, esclarece Calabrich. O procurador tem três opções: pedir o arquivamento do processo por improbidade administrativa; ouvi-los novamente, o que, segundo ele, não irá acontecer; ou deflagrar um processo de improbidade.Caso seja deflagrado o processo, ele seguirá para a Justiça Federal em Aracaju. Lá, um juiz irá ouvir novamente os envolvidos e decidirá se aceita a ação por ato de improbidade administrativa. Se condenados, eles podem perder os direitos políticos de 3 a 10 anos, pagar multa ou ressarcir o valor do dano causado. (Da Infonet).

 

 

Albano registra morte de Joel Silveira

O falecimento do jornalista sergipano Joel Silveira, ocorrido na última quarta-feira, no Rio de Janeiro, foi registrado na sessão desta quinta-feira, 16, da Câmara, pelo deputado federal Albano Franco (PSDB). Ao expressar que Sergipe e o Brasil estão de luto, ele destacou que Joel Silveira como jornalista ensinou o Brasil a fazer reportagens e ressaltou a cobertura das operações da Força Expedicionária Brasileira na Segunda Guerra Mundial nos campos da Europa e as polêmicas reportagens sobre a sociedade paulistana. Albano destacou ainda a grande produção literária de Joel Silveira, sergipano de Lagarto que morreu 88 anos.  O senador Eduardo Suplicy também registrou o falecimento.

 

Eleição direta confirmada pelos conselheiros da OAB I

Durante quatro horas, os conselheiros debateram os critérios e, ao final, foi assegurada a eleição direta e garantidos os princípios da legitimidade e moralidade das eleições. Depois de cerca de quatro horas de debates, o Conselho Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/SE) aprovou Resolução, que estabelece os critérios para o processo de escolha dos nomes dos advogados que comporão a lista sêxtupla, da qual será escolhido o novo desembargador. A Resolução foi aprovada com algumas modificações feitas à proposta relatada pelo secretário-geral da entidade, José Rivadálvio Lima, resultantes do amadurecimento das discussões.

 

Eleição direta confirmada pelos conselheiros da OAB II

Participaram ativamente dos debates, com direito a voz e voto, 25 conselheiros seccionais e três ex-presidentes, que são conselheiros natos da Seccional de Sergipe da OAB: Edson Ulisses de Melo, Lizes Campos e João Moreira, que durante a apreciação da Resolução apresentaram destaques de emendas à proposta original. A Resolução mantém o processo de escolha por meio de eleições diretas e estabelece regras, que garantirão o princípio da legitimidade e moralidade nas eleições. Posteriormente, a diretoria da OAB/SE divulgará edital detalhando todos os procedimentos.

 

 Aniversário e despedida do TJ

Quem faz aniversário nesta sexta-feira é o Desembargador Pascoal Nabuco D’Ávila, que também hoje está se despedindo do Tribunal de Justiça. Ele fez carreira no Ministério Público Estadual, onde ingressou em 1980, assumindo, sucessivamente, as Comarcas de Neópolis, Boquim, Tobias Barreto, Propriá e Estância. Esteve à frente da Procuradoria Geral de Justiça por sete anos, até que, em 1995, foi nomeado Procurador Geral do Estado e no ano seguinte Desembargador.

 

Procuradoria avalia decisão sobre delegacias

Sobre a determinação do juiz Diógenes Barreto, que manda fechar as delegacias devido à superlotação de presos, o governador Marcelo Déda informou que a decisão está sendo avaliada pela Procuradoria Geral do Estado. “Essa é uma decisão que deve ser examinada com todo respeito e consideração. Temos um grave problema, mas sabemos que não foi em sete meses que as delegacias superlotam. Essa é uma situação que afeta o país todo. O nosso sistema penitenciário tem menos vagas do que presos. Só resolveremos esse problema com a construção de novas penitenciárias. Estamos construindo uma e vamos buscar recursos para a construção de um presídio feminino e de mais dois cadeiões. O Judiciário tem todo o direito de interditar, mas precisamos pensar onde vamos colocar os presos. Fechar as delegacias não resolve o problema”, alega Marcelo Déda.

 

Técnicos administrativos da UFS dialogam com a população

 Conforme deliberação da assembléia geral da categoria, servidores técnico-administrativos da UFS realizaram uma manifestação pública nesta quinta, 16, no Calçadão da João Pessoa, com o apoio de carro de som e a distribuição de carta aberta à população. O manifesto teve o objetivo de propiciar um diálogo direto do segmento com a população sergipana a respeito do atual estágio da greve, enfatizando a negociação com o governo federal e a defesa dos hospitais universitários. Por sinal, em bancas instaladas estrategicamente em frente à Caixa Econômica Federal, foram colhidas assinaturas do povo contra a transformação dos hospitais universitários em fundação estatal, o que resultou num grande êxito, inclusive com a intervenção de diversos transeuntes, usando o carro de som, que testemunharam a importância da assistência prestada pelo HU/UFS para os sergipanos, baianos e alagoanos, através do SUS.Na próxima terça, 21, os técnicos administrativos da UFS realizam assembléia geral para avaliar a resposta do governo federal à contra-proposta da categoria, ocorrida nesta quinta, 16, em Brasília.

 

Uso indevido de carro da SMTT de Socorro

De um leitor: “Sobre carros oficiais tem um fato muito triste em relação a matéria veiculada nesta coluna sobre uso indevido de veículo público do município de N. Sra. do Socorro, mais precisamente da SMTT, um furgão de nº 11, placa policial IAB-2973, este usuário só pode ser chefe ou tem agora a complacência de seu superior, digo isto, pois o mesmo na noite de quarta-feira dia 15do corrente, encontrava-se no mesmo local estacionado em um espaço próximo a UNIT, na verdade vizinho ao DCE.Chefe é chefe e o resto se …… vire. Alguém pode explicar o que este carro faz fora do seu município no período das 18:50 até às 22:05? Já existe fotos inclusive”.

 

Frase do Dia

“Nós queremos um regime que não seja apenas da raposa, queremos um regime da raposa e da galinha, onde existam espaços para os dois”. Leonel Brizola.

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários