O PMDB em ação

0

A declaração do deputado federal Jorge Alberto (PMDB), de que seria candidato à Prefeitura de Aracaju pelo seu partido, provocou surpresa dentro da própria legenda. É que Jorge jamais manifestou esse desejo e não tem base eleitoral na capital. É uma posição no mínimo estranha, para quem sempre fez a sua base eleitoral principalmente no sertão. Alguns correligionários desconfiam que se trata de uma estratégia, para satisfazer aos interesses da Executiva Nacional, que hoje apóia Lula da Silva, sem ferir o seu esquema em Sergipe, liderado pelo governador João Alves Filho. O presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, vibrou com a decisão do deputado federal Jorge Alberto. Há alguns dias ele vem batendo na tecla de que o PMDB não deve servir apenas de trampolim para outros partidos. Lembra que a legenda jamais deixou de participar de uma eleição municipal na Capital, apresentando candidatura a prefeito. Não poderia ficar fora este ano. Ele mesmo pretendia colocar o seu nome à disposição, mas já passou a concordar que o nome de Jorge Alberto é forte e tem condições de provocar uma reviravolta neste novo processo eleitoral. Na análise natural de qualquer pessoa que manja de política, Jorge Alberto está apenas procurando o seu espaço junto à Executiva. Não quer perder o esquema de João Alves Filho no Estado, mas também não pretende se expor ao Planalto, subindo nos palanques que não agrada ao presidente Lula. Há quem diga que criando um palanque para ele, será bem diferente do que comparecer ao dos outros e ficar em maus lençóis lá em Brasília, onde, inclusive, reivindica cargo federal, como o Dnocs. O lançamento da candidatura de Jorge Alberto parece oportunistica e sinaliza bem para uma outra opção nas eleições de 2006. O secretário geral do PMDB, deputado Augusto Bezerra, tem a maioria do Diretório Municipal e é quem vai indicar a posição do partido. Não esconde que acompanhará a candidatura indicada pelo governador João Alves Filho e revela uma simpatia pelo nome de sua colega Susana Azevedo (PPS). Augusto não pensa em largar o barco do Governo, mesmo para que algum dos seus companheiros queira agradar ao Planalto. O negócio dele, está claro, é com os Despachos, e pronto. De qualquer forma, haverá alguma discussão dentro do partido, que pode provocar uma nova e perigosa cisão. Aliás, com certeza isso acontecerá, caso o PMDB perca a Secretaria da Cultura, como está previsto. Na realidade, o deputado federal Jorge Alberto tem interesses maiores em Brasília, do que em Sergipe. Desde o Governo anterior, que ele trabalhou nos bastidores do Poder e conseguiu muita coisa, através de influência junto aos ministros. Como a Executiva Nacional do PMDB está apoiando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o parlamentar não pretende subir em um palanque contra o prefeito Marcelo Déda, candidato ainda não declarado à reeleição, porque isso poderá lhe custar desprestígio junto ao Governo Federal, coisa que o parlamentar já não imagina, desde que a cúpula esteja se beneficiando do bolo servido pelo Planalto. Lógico, como qualquer político, ele quer sua fatia. Evidente que a candidatura de Jorge Alberto ainda tem muito que se discutir. O grupo aliado ao governador João Alves Filho, no qual se inclui o próprio deputado, não vai abrir mão de ficar com o Estado, mas certamente o governo estadual não é a melhor praia para Jorge Alberto surfar. As ondas de Brasília trazem mais emoção e vantagens. Por enquanto ele é pré-candidato ou está apenas começando a criar um fato novo, talvez até não encaixe, mas a sua posição vale pontos junto à Executiva Nacional e ao próprio Marcelo Déda, com a divisão que se dará no partido. Podem apostar: caso não dispute a Prefeitura de Aracaju, o deputado federal Jorge Alberto cruzará os braços na capital e vai tentar manter os seus prefeitos no interior. LOCAÇÃO O secretário da Segurança, Luiz Mendonça, exagerou quando disse ao governador João Alves Filho que conseguiu um abatimento de 40% das locadoras. Na realidade a segurança não aceitou o reajuste de 19,2% na locação de veículos, mas continua pagando R$ 244.900,00 todos os meses de aluguel de carros. PREGÃO Na opinião da maioria dos empresários do setor de locação e concessionárias de veículos, o Pregão Eletrônico do Governo vai fechar as empresas deste setor. A grande maioria dos secretários tem conversado com esses empresários, para que se movimentem contra o pregão para compra de carros. MERCADO O Pregão Eletrônico vai acontecer no dia 17 de março e montadoras como Fiat, Volkswagen, Ford e outras, vão participar e oferecer seus preços. Nenhuma empresa em Sergipe terá condições de concorrer e o Governo acabando com as locadoras e esvaziando as concessionárias vai aumentar a taxa de desemprego. SURPRESA As secretarias de Estado foram surpreendidas, segunda-feira passada, com uma redução orçamentária, feita pelo governador João Alves Filho. Os recursos, destinados a outras atividades, será para a compra de veículos pelo pregão eletrônico. Desanimou os auxiliares. BRIGA Não convidem para o mesmo camarote o secretário de Turismo, Pedrinho Valadares, e o deputado estadual Fabiano Oliveira (PTB). Estão destilando veneno. A briga está sendo pública, pelas ondas do rádio. Fabiano se diz prejudicado por Pedrinho, este, por sua vez, se sentiu ofendido por declarações do parlamentar. ESCOLA A CNEC está vendendo um amplo colégio em Frei Paulo, a uma empresa particular, para ser destruído e construir uma empresa. O Ministério Público pode interferir nisso, porque Frei Paulo não pode perder um colégio com nove salas de aulas. EDUCAÇÃO A Secretaria da Educação diz que a situação está difícil e o CNEC não ofereceu a nenhum poder que continuasse com a escola. Há necessidade de providências urgentes para impedir que mais de 1.200 alunos fiquem sem escola em Frei Paulo. CESTAS A deputada Lilá Moura (PFL) distribuiu, ontem, 7,5 toneladas de alimentos em várias cidades que tiveram problemas com as cheias. Ela utilizou o salário ganho com a convocação extraordinária, para distribuir cestas de alimentação com a população carente. COMUNICADO O deputado federal Jorge Alberto (PMDB) já comunicou aos membros do Diretório Estadual do partido a sua candidatura à Prefeitura de Aracaju. Segundo Jorge, ele está sendo incentivado pela Executiva Nacional, que pretende apresentar candidatos em todas as capitais. EM ACORDO O deputado estadual Augusto Bezerra (PMDB) surpreendeu ao revelar que, se realmente o partido lançar candidato, ele vai apoiar e trabalhar. Põe uma observação: “mas tudo em comum acordo com o governador João Alves Filho”. Acha que nesse caso não haverá problema. SUSANA A deputada Susana Azevedo (PPS) acha que todas essas candidaturas que estão surgindo, como a de Jorge Alberto (PMDB) é para servir de vitrine para 2006. Disse que até o momento só tem dois nomes lançados: o dela e o de Gilmar Carvalho: “não sei nem se o prefeito Marcelo Déda será candidato à reeleição”. HÁBEAS O advogado José Cláudio, que defende o ex-deputado Antônio Francisco, viaja a São Paulo, nos próximos dias, para ver o andamento do hábeas corpus em favor do seu cliente. José Cláudio diz que é preciso acompanhar de perto o processo junto ao STJ, para tentar apressar a decisão, que derruba o mandado de prisão. EMENDAS O Governo Federal já contingenciou recursos de emendas orçamentárias apresentadas por parlamentares. Será liberado muito pouco para os Estados. O deputado federal José Carlos Machado defende que acabem com as emendas orçamentárias, porque mesmo aprovadas elas têm muita dificuldade para ser liberadas. Notas IMPRENSA Como acontece em todos os períodos eleitorais, um bom número de radialistas e jornalistas sergipanos tenta avaliar a popularidade dos seus nomes, disputando uma vaga na Câmara Municipal ou Assembléia Legislativa. Este ano não será diferente, 14 deles já confirmaram disposição de disputar as eleições. Há veteranos como o deputado Gilmar Carvalho (PV) e neófitos como Ivaldo José, que quer uma vaga na Câmara Municipal. Por enquanto, todos usam o palanque eletrônico para mandar os seus recados. GUALBERTO O deputado estadual Francisco Gualberto (PT) não tem dúvidas de que o seu partido ganhará a sucessão de Aracaju, mesmo disputando como vários “joãos”. É assim que o parlamentar petista chama o pessoal que pensa em disputar a Prefeitura de Aracaju com o apoio do governador do Estado. Ele inclui nesse rol o seu colega de Assembléia, Gilmar Carvalho, que é pré-candidato à Prefeitura pelo Partido Verde. O objetivo é colocar Gilmar entre os aliados do governador, porque sente que ele está fugindo disso. PRÉ-CAJU Há uma disputa sem muito nexo sobre a responsabilidade do êxito do Pré-Caju. Na realidade em todo o tempo que existiu, a prévia carnavalesca que movimenta a cidade por quatro dias, sempre esteve à frente o deputado estadual Fabiano Azevedo, que à época não pensava em fazer política. Mas, apesar de ser uma festa de iniciativa privada, sempre contou com o apoio do Governo, da Prefeitura e de outras entidades, porque se transformou num evento turístico importante. Discutir hoje o Pré-caju é fazer política. É fogo A deputada Susana Azevedo, pré-candidata à Prefeitura pelo PPS, continua embalada em ritmo de campanha, mesmo depois do estafante pré-caju. Alguns secretários continuam chateados com o leilão eletrônico do Governo. Isso vem aborrecendo o governador João Alves Filho. O novo jornal semanário que vai circular em Aracaju, pertencente ao Grupo Sergipe de Comunicação, será impresso em uma gráfica de Alagoas. O prefeito de Nossa Senhora do Socorro, José Franco (PPS) ainda não disse quem será o seu vice na disputa pela reeleição. Se conseguir um bom nome pra o cargo majoritário, o folclórico Rola disputará a Câmara municipal de Aracaju. Rola garante que o deputado federal Enéas (Prona) mostrará sua barba para os aracajuanos, num dos comícios do partido. O vereador Evando Franca está tranqüilo (PTB) está tranqüilo com o seu partido e acha que ainda é muito cedo para discutir coligações. O Sintese poderá ter no professor Iran Barbosa (PT) seu braço político na Câmara, a exemplo do que tem na Assembléia Legislativa, com a professora Ana Lúcia Menezes. O presidente da Câmara, Sérgio Góes vai conceder entrevista à imprensa para explicar as denuncias de abuso sexual contra menores. As acusações foram fortes e provocaram arranhões na vida política do parlamentar. Será preciso muitas explicações. O vereador Marcélio Bomfim (PDT) está começando a colocar o seu bloco na rua, embora de forma muito discreta. Se houve uma composição entre PPS e PSDB fica difícil o PFL fazer o prefeito de Barra dos Coqueiros. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários