Onde estava João

0

O prefeiturável João Alves Filho (DEM) irrita-se quando lembram a relação dele com os golpistas de 1964. Outro dia, o demista reagiu contra o vereador Danilo Segundo (PSB) porque este revelou que, “enquanto os estudantes lutavam pelos nossos direitos, o senhor estava ao lado da ditadura militar”. Alves Filho se apressou em afirmar que Danilo cometeu um “grave equívoco ao dizer que fiquei ao lado dos homens que usavam baionetas”. João esconde a verdade, pois em novembro 1972, enquanto os brasileiros lutavam contra a ditadura e estudantes eram presos, torturados e mortos, ele participava do “II Ciclo de Estudos sobre Segurança Nacional e Desenvolvimento”, organizado pela cooptadora Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (Adesg). Em seu livro ‘A Tutela Militar em Sergipe 1964/1984’, o escritor Ibarê Dantas revela que o diploma conseguido por Alves Filho na tal Associação era documento relevante, por vezes, indispensável, para ocupar determinados cargos da administração pública. De fato, depois do curso da Adesg, João foi indicado prefeito biônico de Aracaju.

Decisão inédita

O Ministério da Previdência Social reconheceu ontem pela 1ª vez o direito de um homem receber salário-maternidade por 120 dias. O Conselho de Recursos da Previdência Social julgou a questão de dois pais adotantes, em união homoafetiva, que receberão o benefício do INSS. Na legislação, o salário-maternidade é pago à mulher segurada em decorrência do parto, aborto não criminoso, adoção ou guarda judicial para fins de adoção.

Buraco errado

A seccional sergipana da OAB reagiu contra a declaração do comandante da Polícia Militar, coronel Maurício Iunes, de que “a polícia só faz buraco, quem mata é Deus”. Segundo o presidente da Ordem, Carlos Augusto Monteiro Nascimento, “como defensora da Constituição e dos direitos humanos, a OAB tem a lamentar a infelicidade dessa declaração”. O advogado está certíssimo!

Trairagem

O dublê de empresário e político Edvan Amorim pediu reforço ao PSC para sua briga verbal com o governador Marcelo Déda (PT). Ontem, o presidente nacional do Partido Social Cristão, pastor Everaldo Pereira, saiu em socorro do aliado e criticou o petista por ter dito que o peixe símbolo do PSC é uma traíra. “Essa afirmação se encaixa mais nele. Governador, não seja traíra com seu povo”, fustigou Everaldo. Que tal os três selarem a paz comendo uma moqueca apimentada?

Ficha suja

O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral indeferiu a candidatura de Lila Fraga (PSDB) a prefeito de Lagarto. Ele foi enquadrado na Lei de Ficha Limpa por não ter comprovado uso de recursos do fundo partidário. Como a decisão do TRE foi por unanimidade, o tucano terá que recorrer diretamente ao Tribunal Superior Eleitoral. Nem precisa dizer que o candidato à reeleição, prefeito Valmir Monteiro (PSC), está sorrindo de orelha a orelha.

Seca

O Senado aprovou ontem a primeira de duas medidas provisórias editadas para sanar problemas de produtores rurais relacionados a questões climáticas como seca ou excesso de chuvas. A MP aprovada autoriza o governo a criar linhas de créditos especiais para atender aos setores rural, industrial, comercial e de serviços em municípios atingidos por secas e enchentes. A MP também prevê, entre outros benefícios, a renegociação de dívidas com o INSS das cidades atingidas por calamidades.

Novo cidadão

O diretor da Faculdade Estácio FASE, Paulo Rafael Monteiro Nascimento, recebeu ontem da Câmara Municipal o Título de Cidadão de Aracaju. Natural do Rio de Janeiro, o homenageado chegou em 1986 na capital sergipana para trabalhar como engenheiro na Telergipe. “Muito me honra ser homenageado pelos vereadores de uma cidade que me acolheu de braços abertos”, discursou o mais novo cidadão aracajuano.

Sepultamento

Autoridades, amigos e familiares estiveram no velório e sepultamento do jovem Bruno de Menezes Oliveira, de apenas 15 anos. Filho do deputado estadual Gilson Andrade (PTC) e da enfermeira Áurea Menezes, o adolescente morreu anteontem, ao saltar do 11º andar do edifício Marcela, no condomínio Costa do Sol, em Aracaju. Lastimável!

Mais grana

O Tribunal Superior Eleitoral decidiu que o PSD tem direito a receber cota maior do Fundo Partidário retroativa aos meses de julho e agosto. O repasse deve ser feito imediatamente, já no mês de setembro próximo. De acordo com a legislação eleitoral, 5% do fundo são repartidos igualmente entre as 30 legendas nacionais, e os outros 95% são divididos de acordo com os votos obtidos pelos partidos na última eleição para deputado federal. O PSD vinha participando apenas da divisão dos 5%.

Sugestão

Tem gente achando que o prefeiturável Valadares Filho (PSB) só vira o jogo se partir pro pau, engrossar o discurso e dizer pra que veio. Há quem sugira que ele abra mão da perfumaria, que é seu programa eleitoral, e faça como o “atista” da poesia “Matuto no cinema”, de Jessier Quirino. Em resposta ao “num sei que lá, num sei que lá, num sei que lá, num sei que lá,” dos adversários, Valadares tem que responder com cara de mau: “Num sei que lá, num sei que lá, num sei que lá o carai, seu fila da puta!!!”. É, pode dar certo!

Do baú político

Em 1994, o candidato a presidente da república, Fernando Henrique Cardoso (PSDB), veio a Sergipe cumprir uma vasta agenda organizada pelo aliado político e candidato a governador Albano Franco (PSDB). Um dos atos era a inauguração do Complexo do Sesi, na avenida Tancredo Neves, em Aracaju. Quando Albano começou a discursar, o serviço de som apresentou defeito. Consertado o equipamento, ele retoma o discurso e sai com essa: “Meu amigo Fernando Henrique, as propostas que temos para o Brasil e para Sergipe são tão importantes que até o microfone se emociona”. A multidão que se aglomerava em torno do palanque caiu na risada.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários