Programas e escolha

0

Só hoje é que o eleitorado vai assistir ao primeiro programa dos candidatos majoritários nas emissoras de televisão. Nenhum virá com surpresas. Será de apresentação, explanação dos motivos que levaram cada um a disputar a Prefeitura de Aracaju. Ao prefeito Marcelo Déda, de querer se manter nela. Essa semana, e talvez também a outra, os programas estão feitos para os primeiros contatos com os eleitores, uma espécie de jurado, que votará no melhor, dia 3 de outubro. Cada um vai apresentar a família, fazer um currículo verbal de sua vida publica e contar as experiências que, todos eles, imaginam suficientes para administrar a cidade.

 

Como acontece em todo os períodos eleitorais, os programas só começam a esquentar depois da terceira semana, quando cada candidato vai procurar expor os mais graves defeitos dos seus concorrentes. Quem imaginar não ter nenhum agravante político, e até na vida privada, pode também se preocupar. De alguma forma, vão conseguir encontrar, ou colocar. As disputas eleitorais são como luta de boxe, quem acertar o primeiro direto no lado avesso da seriedade que cada um expõe, ganha por nocaute. Ultimamente, aliás, os marketeiros estão procurando seguir o estilo Duda Mendonça, que deu certo com o então candidato Lula da Silva e o fez presidente: paz e amor. Uma figura light, puxada para zen, que não agride a ninguém e que fique distante das discussões.

 

Mas será muito difícil segurar os nervos e manter a paciência quando se está disputando uma prefeitura da capital. Principalmente quando o prefeito está na dança. É impossível não entrar no ritmo ou fazer ouvidos de mercador. Seria preciso ter muito sangue de barata para seguir o ritual sugerido pelos marketeiros. O prefeito Marcelo Déda tem consciência absoluta que será a vitrine mais ampla dessa disputa e vai se preparar para responder e contra-atacar, porque realmente tem um trabalho grande realizado em Aracaju, mas seus adversários acham que foi apenas uma plástica no visual da cidade, porque a sujeira foi colocada sob os tapetes. A periferia será o centro das atenções dos seus adversários, principalmente na área social, onde não há jeito de esconder falhas.

 

A deputada Susana Azevedo, candidata do PPS, se anima ao saber que o prefeito Marcelo Déda tem respondido a algumas críticas que ela lhe fez na periferia. Acha que é sinal de polarização, porque antes Déda atacava o governador João Alves Filho e, indiretamente, à candidata que ele demonstra apoiar. Susana tem preparada uma série de denuncias, todas de uma população que se considera esquecida. Um dos seus aliados acha que a obra de Marcelo Déda foi toda em cima do que já estava feito. Deu como exemplo o asfaltamento de avenidas que foram construídas quando João Alves Filho era prefeito, em 1974. Susana Azevedo diz que a população vai ver, através da televisão, o outro lado da administração Marcelo Déda, para que possa fazer um julgamento real dos quase três anos que está à frente da Prefeitura de Aracaju.

 

Susana acredita no crescimento dos demais candidatos, no seu próprio, e está consciente de que haverá segundo turno: “o prefeito já chegou ao seu limite nas pesquisas eleitorais e a tendência é cair”, avalia a candidata pelo PPS.

 

O crescimento da economia em todas as regiões do país e uma menor rejeição do presidente Lula da Silva vão tirar boa parte do discurso do advogado José Renato Sampaio (PRP), que falou em federalizar a campanha, porque considera que o prefeito Marcelo Déda é consultado a opinar sobre o Governo Federal. Se não falar desse desenvolvimento que se assiste na economia, principalmente na área de exportação, Renato deve puxar para programas sociais que não levaram a nada, como o Fome Zero, que mantém a exclusão social de quem vive nas regiões mais pobres como o Nordeste. Desenvolvimento com o crescimento da produção, avanço no consumo, equilíbrio da inflação e uma explosão nas exportações é muito bom para o Brasil. Mas o sonho maior é ver o povo com comida, casa, escola, segurança e emprego. Tanto em São Paulo, quanto em Poço Redondo.

 

Não se faz um país com uma gigantesca contradição entre o sul maravilha e o Nordeste miserável…

 

De qualquer forma, essa exploração das disparidades sociais deve ser exposta e, lógico, o prefeito Marcelo Déda tende a responder, mesmo alegando que todo desenvolvimento se faz de forma gradual, como o que se começa a vislumbrar no atual Governo.

 

Os programas eleitorais serão assim, voltados para a conquista da Prefeitura, que só será possível com a derrubada de Marcelo Déda, que está em excelente posição nas pesquisas e à vista de todos. Será Déda contra todos. Mas, não poderia ser diferente, quando ele está no assento do alvo principal…

 

 

MINISTROS

Alguns ministros de Estado vão enviar para o programa gratuito de Marcelo Déda (PT), depoimentos pessoais sobre o candidato à reeleição.

Entre os ministros estão José Dirceu, da Casa Civil, Antonio Palloci, da Fazenda, Humberto Costa, da Saúde, entre outros.

 

PARTICIPA

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva (PT), vem ainda este mês participar de um comício do candidato Marcelo Déda. Em setembro, quem virá é o ministro do Turismo, Walfrido Mares Guias (PTB).

O presidente nacional do PT, José Genoino, participa de uma carreata do candidato Marcelo Déda, em Aracaju, na próxima semana.

 

SUSANA

A candidata Susana Azevedo, do PPS, disse que ao invés de ministros, que não votam em Aracaju, vai mostrar a opinião do povo sobre sua atividade política.

Segundo Susana Azevedo é a população quem sente os problemas do município e devem expor suas opiniões sobre o candidato que escolheu.

 

REUNIÃO

Uma reunião presidida por Eusa Missano, do Ministério Público, tentou um acordo entre a Secretaria da Fazenda e os comerciantes.

Era para tratar sobre o problema dos cartões de crédito, que foram suspensos nos bares e restaurantes. Não se chegou a nenhum acordo e tudo continua como está.

 

AGENDADA

Foi agendada uma reunião com as administradoras dos cartões de crédito, para o dia 2 de setembro, com o objetivo de discutir e tentar resolver o problema.

Mais de cem empresas, principalmente do ramo de bares e restaurantes, estão sem aceitar o cartão de crédito como forma de pagamento.

 

LIMINAR

O presidente do STF, ministro Nelson Jobim, suspendeu liminar do ministro Carlos Ayres Britto, que suspendia o sexto leilão de áreas petrolíferas.

Jobim, em seu parecer, lembrou que os leilões anteriores não foram suspensos e que a liminar só poderia ser concedido através do Pleno.

 

OUTDOOR

O PTB em Socorro mandou procurar espaço para outdoor no município e foi informado que todos eles estavam reservados pelo prefeito José Franco, candidato à reeleição.

O pessoal entrou com ação na justiça e o ministério publicou multou o candidato e a empresa de outdoor, no valor de R$ 5 mil.

 

PROCESSO

A justiça também determinou a abertura de um processo de abuso do poder econômico naquele município, por parte da coligação do candidato à reeleição.

Baseado nisso, a oposição está entrando com uma ação contra o abuso do poder econômico em Nossa Senhora do Socorro.

 

FRANCO

O prefeito de Socorro, José Franco, disse que já entrou com defesa sobre esse processo, porque não utilizou e nem reservou todos os espaços para colocação de outdoor.

Seus advogados também estão com defesa pronta em relação à acusação de abuso do poder econômico. José Franco diz que não tem receio desse processo. Faz uma campanha limpa

 

CANINDÉ

A juíza Iolanda Guimarães, como relatora do processo, votou, confirmando a decisão do juiz Sérgio Lucas, mantendo a impugnação da prefeita Rosa Feitosa, de Canindé.

Também votou pela impugnação o juiz Luiz Teixeira. O juiz federal Wladimir Carvalho pediu vistas do processo. O início da votação foi ontem e o resultado final deve sair hoje.

 

SE-TEF

O secretário da Fazenda, Max Andrade, disse ontem que na sua empresa tem o TEF há três anos, porque todos têm obrigação de cumprir a legislação.

Segundo Max, 60% das empresas já têm o TEF: “a gente quer proteger o consumidor, que com a nota troca a mercadoria, e o contribuinte, que é nossa obrigação”, disse.

 

COMÍCIO

Ontem à noite, em Socorro, aconteceu o primeiro comício em que Macedo Brilho (PSB) subiu no palanque de Adelson Barreto (PTB) para apoiar sua candidatura.

Com a presença de lideranças como o senador Valadares, Marcelo Déda, Jackson Barreto, o ex-candidato Macedo brilho selou a unidade das oposições em Socorro.

 

PREPARAÇÃO

O candidato a prefeito pelo PRP, José Renato, disse que está preparado pra início do embate na TV, porque o eleitor vai poder conhecer os candidatos.

Ele acha que somente a partir dos programas de televisão é que os eleitores poderão escolher o candidato, pelo conhecimento pleno de cada um.

 

PESQUISAS

O advogado José Renato Sampaio é um cético em relação às pesquisas. Reconhece os seus métodos científicos, mais teve uma experiência que o deixa tranqüilo em relação a elas.

Quando foi candidato a senador José Renato diz que rodas as pesquisas lhe davam 0.8% em Aracaju: “quando abriram as urnas foram contados 22% dos votos para mim na capital”.

 

 

Notas

 

RECURSOS

O governador João Alves Filho (PFL) enviou o deputado suplente Ivan Paixão a Brasília, para assumir a vaga de Mendonça Prado (PFL) na Câmara Federal, para trabalhar junto aos ministros e se entrosar no bloco do Governo Federal. Precisava, também, abrir o diálogo com o ministro do Desenvolvimento Nacional, Ciro Gomes (PPS).

O objetivo do governador é abrir as portas para liberação de recursos para Sergipe e desfazer alguns mal entendidos que os dois tiveram, com o problema das enchentes que abalaram Sergipe no início do ano.

 

PAPEL

O deputado Ivan Paixão é um parlamentar vinculado ao governador João Alves Filho que está cumprindo o seu apoio ao presidente Lula. Como integrante de uma legenda ligada ao Governo Federal, Paixão tem conversado com diversos ministros e tem audiência agenda com o coordenador político Aldo Rabelo.

Ivan Paixão votou e apoiou o presidente Lula no segundo turno e integra o grupo de Ciro Gomes dentro do partido. Será muito útil ao Governo em Brasília. Esse papel não poderia ser feito por Mendonça Prado.

 

ENTUSIASMO

O presidente estadual do PMDB, Benedito Figueiredo, demonstra entusiasmo com a candidatura de Jorge Alberto à Prefeitura de Aracaju: “fico feliz por ele ter segurado a bandeira e lançado o seu nome para disputar o cargo majoritário. É muito importante o PMDB tem um candidato a prefeito na capital”.

Benedito acha que o partido é vitorioso, porque evoluiu e cresceu, se tornando em uma legenda unida. Para Benedito Figueiredo, “essa união entre os filiados é a mesma coisa de ganhar as eleições à Prefeitura”.

 

É fogo

Com os programas nas rádios e televisão tem início a campanha real dos candidatos à Prefeitura de Aracaju.

 

É agora que a sociedade sergipana terá condições de avaliar quem está se com melhores propostas para a Capital.

 

A cantora Ivete Sangalo, pra participar de um ato político em Aracaju, cobrou um cachê de R$ 400 mil.

 

O contratante ainda tentou por R$ 200 mil e ouviu do empresário a resposta: “o senhor não quer que eu desligue o telefone!”

 

Todos os candidatos que foram impugnados em Sergipe estão recorrendo da decisão e vão levar o processo até Brasília.

 

O jovem que assassinou o vereador José Carlos da Silva (Ventinha) continua desaparecido e dificilmente será reencontrado.

 

A fuga estava no acordo entre os assassinos. O jovem serviu de avião para atrair Ventinha, na certeza de que fugiria do Cenam.

 

O governador João Alves Filho fará uma festa para inicio da construção da ponte que liga Aracaju à Barra dos Coqueiros.

 

O Detran está dobrando as blitze em Aracaju. Sexta-feira passada havia quatro delas na avenida Beira Mar: duas no sentido praias e duas para o centro da cidade.

 

Esse período de eleição está proporcionando ao Congresso Nacional um período sem movimentação. Os deputados estão em suas regiões fazendo política.

 

A arrecadação de impostos e contribuições federais atingiu R$ 28,154 bilhões no mês passado. A maior cifra já registrada pela Receita em um mês de julho.

 

O número de falências decretadas em julho de 2004 no Brasil registrou queda de 46,1% em comparação ao mesmo mês do ano passado, segundo revelou o Serasa.

 

Por Diógenes Brayner

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários