Sra. Delegada, cadê o inquérito?

0

Que fim levou o inquérito policial 0872015, conduzido pela delegada Daniele Garcia Alves?  Esse inquérito foi o resultado de um inquérito administrativo de número 2015/4696, que apurou denúncia de ato de corrupção praticado por um funcionário da  Secretaria de Relações Políticas da Prefeitura Municipal de Aracaju. O Secretário de Planejamento do Município, Igor Leonrdo, foi o responsável pelo inquérito administrativo e o encaminhou à delegada no dia 21 de setembro úlltimo. A Corregedoria Geral do município, que tem à frente o Dr. Carlos Pinna Filho, recebeu a concluso do inquérito e também enviou cópia para a delegada Daniele Garcia Alves, no dia 28 de setembro. Desde então, aguardam-se providências da delegada com relação ao inquérito. Sabe-se que ele atinge em cheio a um vereador eleito, que inclusive ambiciona a Presidência da Câmara.  

Será que ele é?
O que deu no Senador Antônio Carlos Valadares? Antes tão comedido, agora é um bicho falante a distribuir acusações para todos os lados. Parece ter perdido o rumo, depois que perdeu o seu mais eficiente guarda-costas, o hoje vice-governador Belivaldo Chagas. Na campanha eleitoral de Valadares Filho mostrou-se sectário com o seu oponente, Edvaldo Nogueira, chamando-o de “comunista azedo”, numa época em que até o Papa Francisco é compreensivo com a bandeira vermelha.. Mesmo passadas as eleições, Valadares pai continua derramando bílis pelas redes sociais. Dizem que ele quer mesmo é fixar seu nome para uma candidatura a Governador em 2018. Desse jeito, tá complicado

Não é peça de ficção? Então, tá..                                                                                            
O deputado Francisco Gualberto, líder do Governo na Assembleia, talvez seja o único parlamentar que eu conheço que acha que o Orçamento não é uma peça de ficção. Ele declarou sua opinião em resposta a um pronunciamento do deputado Georgeo Passos, a semana que passou, que insistia em dizer que o orçamento preparado pelo Governo do Sr. Jackson Barreto, foi feito para aprovação pela Assembleia mas não para ser cumprido. Ele calcula que o déficit orçamento é de 500 milhões – “e como vai ser coberto, o Orçamento não diz, nem sugere nada”, segundo ele. O Orçamento que está em vigor, por exemplo, já teria sido totalmente alterado durante o correr do ano – e o mesmo vai acontecer no próximo ano. Gualberto argumento que o Orçamento é apenas uma previsão orçamentária.  Para ele não existe governo neste país e no mundo que não proceda a remanejamentos dentro do próprio orçamento. Neste mesmo discurso, Gualberto garantiu que não é intenção do governo privatizar o Banco do Estado de Sergipe e a Companhia de Saneamento, a DESOI.

A homenagem da Loja Maçonica Cotinguiba
A Loja Maçonica Cotinguiba, uma das mais importantes da Capital e do Estado, promove solenidade na  4ª  feira, para entrega da Medalha  de Honra ao Mérito a algumas personalidades sergipanas. Na verdade, serão três os homenageados: dr. Albano Franco, ex-0governador do Estado;  Sr. Carlos Satler, “um ícone maçônico” nas palavras do jornalista Luis Eduardo Costa; e professoro Joubert Uchoa de Mendonça, o criador, e ainda hoje dirigente, da Universidade Tiradentes. No dia seguinte, 10 de novembro, a Loja Maçonica Cotinguiba, faz solenidade para comemorar aniversário de existência.

Aprovado o direito de resposta
Projeto de lei que regulamenta o direito de resposta nos órgãos de Imprensa já foi aprovado pela Câmara dos Deputados e agora tramita no Senado. O projeto fixa um rito especial de contestação relativo a material “cujo conteúdo atente, ainda que por equivoco de in formação, contra a h onra, a intimidade, a reputação, o conceito, o nome, a marca ou a imagem” de pessoa ou empresa. Apenas PSDB e PPS e se declararam contra, argumentando que a Constituição já estabelece o direito de resposta e que o projeto tem o objetivo oculto de cercear a liberdade de informação. A pessoa ou empresa que se declare ofendida tem prazo de 60 dias, contados a partir da data de publicação, para apresentar ao órgão de comunicação o pedido de resposta. O veículo tem sete dias para publicar a resposta de forma espontânea. Se se recusar, ou se a pessoa não se declarar satisfeita com a resposta, a pessoa ou empresa pode acionar a Justiça. O rito especial estabelece que o juiz tem 24 horas para acionar o veículo para que apresente seus argumentos. Caso haja decisão do juiz – que tem até 30 dias para dar a sentença – favorável ao autor da ação, a publicação da resposta ocorrerá em até dez dias, sob pena de multa diária a ser fixada pelo juiz.

Só muda de sede…

O “Jornal da Cidade” emitiu nota oficial informando que não pretende fechar as portas e que toda s as medidas tomadas até agora foi para conter gastos. Anuncia que vai mudar de sede – deixa a Avenida Antônio Cabral e vai dividir espaços com as outras empresas do grupo, no Distrito Industrial. Então, tá…

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários