Um gesto nobre do Prefeito da Cidade

0

Não teve muita repercussão o gesto do Prefeito Edvaldo Nogueira em doar a uma entidade filantrópica o resultado de indenização recebida de um processo judiciário que ganhou. O Prefeito processou o Sindicato dos Médicos de Sergipe (Sindimed) por declarações consideradas ofensivas por ele contra sua pessoa. Ganhou a querela e recebeu do Sindicato dos Médicos a importância de 5 mil reais. O Prefeito endereçou essa importância ao Instituto Beneficente Emmanuel (IBEM. Ontem, ele recebeu em seu gabinete a Presidente do Instituto, d. Maria Heloisa Ballester e a diretora financeira da instituição, d. Conceição Branco para fazer-lhe entrega de um cheque naquele valor. Um gesto não muito comum, daí porque fazemos o registro. Desde que houve audiência de conciliação, o Prefeito Edvaldo Nogueira anunciou que a importância seria doada a uma instituição filantrópica. “Mesmo antes da audiência, eu já tinha tomada a decisão. Como não foi um dinheiro ganho com o meu trabalho, quis destiná-lo a alguém que pudesse usá-lo em benefício do outro. E que já faz um trabalho maravilhoso. Foi escolhido o IBEM, não teria melhor escolha”. A Presidente da entidade declarou que que o dinheiro servirá para refazer a cobertura do prédio que abriga o IBEM. “A prioridade é o telhado mas como Edvaldo deu o dinheiro de coração temos certeza que vai render e poderemos usar para outros fins”, declarou. ~

Dia 25 é o novo julgamento

Um pedido de liberdade pela defesa do ex-presidente Lula, que aponta a suspeição do ex-juiz e atual Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro deve ser julgado pela segunda turma do Supremo Tribunal Federal no dia 25 de junho. O Ministro Gilmar Mendes pediu a inclusão do habeas-corpus na pauta do dia 25 deste mês, o que foi acolhido pelo presidente da Segunda Turma, Ricardo Lewandowsk. A defesa do petista questiona a atuação de Moo, até então Juiz Federal no processo que deu origem à condenação de Lula, no caso do tríplex do Guarujá.

Cai o general Santos Cruz

Menos um general no governo do Presidente Jair Bolsonaro. Mas não é nada para ficar alegre. O general Santos Cruz, Ministro da Secretaria de Governo, foi demitido ontem depois de ser fritado por mais de mês no cargo. Muito amigo de Bolsonaro – por mais de 40 anos, uma amizade que floresceu também no governo – principalmente depois do atentado a Bolsonaro, um pouco antes das eleições. Santos Cruz não é de falar muito e recusou-se a dar entrevista onde fatalmente teria que criticar seus adversários no governo, ou seja, a ala olavista. É a terceira baixa no Ministério de Bolsonaro. Enfrentava uma crise atrás de outra. O general Ramos, do Comando Militar do Leste, é o seu substituto.

Sessões muito longas

Está virando rotina. A Assembleia tem realizado reuniões de comissões temáticas e, logo depois, a votação dos projetos aprovados nas comissões, em plenário. Nada contra, O problema é que a sessão em apreço se arrasta para além das 14h. São os servidores da casa que sofrem com esse alongamento. Geralmente eles chegam na casa as 7h e ficam até as 14h, 15h. Já os deputados sempre se afastam um “instantezinho” para um lanche rápido.

Dados sobre a inflação

A Capital sergipana, em maio deste ano, teve alta de 0,34% na inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA.O objetivo desse índice é acompanhar a variação de preços de um conjunto de produtos e serviços consumidos pelas famílias com rendimento monetário de 01 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte. Para essa pesquisa foram comparados os preços coletados entre primeiro de maio e 29 de maio de 2019(referência) com os preços vigentes entre 30 de março e 30 de abril de 2019 (base). Registre-se ainda que o índice é calculado ara a cidade de Aracaju e outras quinze capitais e regiões metropolitanas do País. Dentre os nove grupo prupos de produtos e serviços que foram pesquisados para medir o comportamento dos preços em Aracaju, verificou-se eu os grupos de vestuário (+1,74%) Habitação (+1,18%), Transportes (+0,08%) assinalaram aumento nos preços no período analisado. Por sua vez, os grupos de Alimentação e-bebidas (-029%) , Comunicação (-0,01%) e Educação (-0,01%) apresentaram variação negativa nos preços, sobre o mesmo intervalo observado).

Comentários