Vitória de momento

0

O resultado das eleições municipais deste ano trouxe vitórias para todos os partidos. Nenhum presidente de sigla partidária deixou de cantar vitória neste pleito municipal e a maioria dobrou ou triplicou o número de prefeitos. É possível que isso signifique alguma coisa neste momento, em que se contabiliza vantagens numéricas, mas não se pode afirmar que serve de referência para uma avaliação das eleições municipais de 2006. Nunca é enfadonho repetir que as eleições não se repetem e um derrotado de hoje pode ser um vitorioso de amanhã. Os municípios funcionam ao balanço da melhor oferta e se sustenta com a participação efetiva dos governos estadual e federal. Se os dois funcionarem com eficiência, realmente pode até se manter o quadro atual e partir para uma disputa que já se sabe, com a mais absoluta certeza, quem apóia quem de forma definitiva.

 

O prefeito Marcelo Déda (PT), hoje a expressão maior das oposições no Estado, principalmente em Aracaju, se recusa a falar em sucessão estadual. O que está certo. Mas os seus aliados, notadamente as lideranças do interior, já começam a cobrar, das representações partidárias, posições dentro de um contexto político que, sem dúvidas, apresentou um crescimento que anima a todos os segmentos que o apoiaram. A oposição não tem uma bancada federal em Brasília que siga, definitivamente, a orientação do prefeito. Apenas Jackson Barreto (PTB) mantém uma fidelidade canina, ao mesmo estilo que já fez com outras lideranças que hoje “está de mal”. O restante segue o prumo do nariz e vota dentro das exigências do partido.

 

Heleno Silva (PL), Bosco Costa (PSDB) e João Fontes (PSol) agem completamente diferentes. Metade de Heleno integra esse bloco, a outra está preocupada em processos de interesse pessoal e de seu partido. Os outros dois são oposição ao Governo Federal de forma clara, porque acompanham o que determinam as suas legendas. Evidente que o prefeito Marcelo Déda precisa fortalecer o seu bloco em Brasília e vai jogar todas as fichas em nomes que realmente estejam do seu lado e do presidente Lula da Silva. Vai lutar também para retomar uma vaga no Senado Federal, através do presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT). Essa nova bancada terá que ser feita com o sacrifício de alguns. Certamente provocará um desapontamento em quem se vê preterido. Como Sergipe tradicionalmente divide a bancada federal em quatro parlamentares para cada lado, o mesmo problema acontecerá com candidatos do Governo. 

 

Evidente que os deputados federais, alguns deles presidentes de partidos políticos, candidatos naturais à reeleição, vão ficar de olho, já a partir de janeiro de 2005, na tendência das candidaturas proporcionais em termos de Brasília. Como todos eles fizeram prefeitos, os mantém bem assistidos junto aos Governos – estadual e federal – vão influenciar decisivamente nas eleições majoritárias. Dessa forma, o que é agora, não será em outubro de 2006. Dois exemplos simples: o deputado federal Heleno Silva (PL) acha que se saiu muito bem, inclusive fortalecido com o número de prefeitos que o seu partido elegeu. Quer ser candidato ao Senado, mas se contentará com a reeleição. Em caso de sentir o seu retorno a Brasília ameaçado, ninguém tenha dúvida que tomará o rumo que seja melhor para ele. O deputado federal Jorge Alberto (PMDB) é um outro exemplo. Ele saiu das eleições municipais contrariado, sinaliza para um distanciamento do governo estadual, entretanto vai analisar tendências e possibilidade. No final, ficará com quem lhe oferecer condições de se reeleger.

 

O leitor está percebendo que é uma confusão essa coisa de política eleitoral. Porque agora estão todos com suas posições definidas. Mas elas vão se mexendo ao sabor das conveniências e probabilidades. Ninguém será, de forma eleitoralmente suicida, vinculado a grupos políticos por ideologias, principalmente quem detém o mandato. O importante é se manter em Brasília e procurar os melhores caminhos que o levem ou o deixem no Planalto. E é exatamente aí que o volume de votos conquistados por um ou outro grupo político não significa nada no momento que tiverem de ser definidas as preferências. Tudo se delineará dentro de mais alguns meses, quando será perceptível a tendência de quem está no topo do poder. Além do mais, sempre existe o outro lado, o que perdeu nas eleições atuais, mas que se esforçará para crescer no pleito seguinte e fazer um bom número de representantes na Assembléia e na Câmara Federal.

Anotem bem: haverá uma boa renovação na bancada federal em 2006.

 

CASSAÇÃO

O vereador João Antônio (PSDB), reeleito em Estância, pode ter seus votos cassados, caso sejam comprovadas as denuncias de compra de voto feita por algumas pessoas.

João Antônio já foi indiciado pela justiça eleitoral de Estância, acusado de captação de votos através de recursos financeiros. Também será indiciado Acelino Mota (PTB).

 

NÃO ASSUME

O juiz eleitoral de Estância já marcou a data da diplomação dos eleitos para o dia 15 de dezembro, mas pretende concluir o processo antes disso.

Caso seja comprovada a fraude, os dois terão a votação cassada e assumem os primeiros suplentes. Eles podem recorrer sem os mandatos, como determina a lei.

 

AUGUSTO

A Comissão de Ética do PMDB já está com o processo de expulso do deputado Augusto Bezerra e do ex-vereador Kennedy Fonseca.

Ainda hoje os dois devem ser citados para, no prazo de 15 dias apresentarem suas defesas. Apesar disso, a expulsão está decretada.

 

POSIÇÃO

O presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, acha que o partido deve adotar uma posição de independência: o que o governador e o PFL fizeram com o PMDB foi demais.

Segundo Benedito, não aconteceu apenas em Aracaju, mas em algumas cidades do interior. O PMDB foi desprezado.

 

ALIADOS

Benedito Figueiredo acha que o governador João Alves Filho não pode contar mais como aliado os prefeitos eleitos pelo PMDB.

Deus apenas dois exemplos: “o prefeito de Salgado e a prefeita de Aparecida não votam em João por dinheiro nenhum”. Esta última por causa dos Passos…

 

VERDES

O deputado Gilmar Carvalho (PV) diz que o seu partido não tem estrutura para eleger um deputado estadual em 2006 e teme que alguns verdes sejam levados para outras legendas.

Na próxima semana, ele levará isso ao Diretório Regional, para que seja discutida uma forma de ampliação dos diretórios nos municípios.

 

MUDANÇA

Gilmar Carvalho diz que se não ficar convencido de que terá condições reais de eleger-se, pode procurar outras alternativas partidárias.

Ele tem convites para ingressar em algumas legendas, mas garante que não deixará o Partido Verde à deriva.

 

DENÚNCIA

Os crimes do vereador Ventinha e do agente penitenciário vão ser denunciados à Secretaria dos Direitos Humanos, ao Ministério da Justiça e à Anistia Internacional.

Segundo o deputado Gilmar Carvalho, não há interesse dos setores policiais em desvendar esses dois crimes. As ações começam na próxima semana.

 

FLORO

A Polícia cumpriu as diligências sobre a fuga de Floro Calheiros, solicitadas pela Justiça. Os resultados já se encontram com o promotor Augusto Lobão.

Está comprovada a participação efetiva da escrivã Alico. Ela foi quem levou a viatura da polícia da Delegacia e não retornou com ela.

 

ALARME

Também nos altos consta que no momento da fuga houve o alarme de que havia um assalto à agência do Unibanco, no centro da cidade.

Todas as viaturas foram para lá e tudo era boato. Foi exatamente nesse momento que Floro fugiu. Outro fato novo: Floro recebia visita a qualquer hora do dia ou da noite.

 

DÉDA

O prefeito Marcelo Déda está cuidando da administração nestes dias, para passar alguns dias viajando para ajudar o PT a eleger prefeitos no segundo turno.

Marcelo Déda viaja dia 20 a Maceió, depois vai a Natal, Fortaleza, Cuiabá e São Paulo. Atende a pedido do presidente Lula da Silva.

 

CONVERSA

Em novembro, a cúpula que forma as oposições vai se reunir para uma série de decisões, visando a unidade do bloco em todo o Estado.

O pessoal quer colocar um ponto final nas divergências que o Partido dos Trabalhadores provocou em algumas cidades do interior.

 

CERTO

A opinião é de um dos deputados federais: “nas próximas eleições vamos disputar apenas sete mandatos. Um já é do secretário Eduardo Amorim”.

Na oposição também se comenta que o candidato de preferência do prefeito para a Câmara Federal é o secretário da Saúde do município, Rogério.

 

Notas

 

SÃO FRANCISCO-I

Os deputados estaduais vão realizar, hoje, a sessão plenária da Assembléia Legislativa, na cidade de Propriá, quando acontecerá uma audiência pública para discutir o projeto de transposição das águas do rio São Francisco. A idéia de transferir a sessão para Propriá foi do deputado Arnaldo Bispo (PMDB).

O deputado federal João Fontes (Psol) acha que é fundamental fechar a ponte sobre o rio São Francisco, que liga os estados de Alagoas e Sergipe, em sinal de protesto contra a decisão do presidente Lula em fazer a transposição.

 

SÃO FRANCISCO-II

A decisão de fazer a transposição do rio São Francisco já foi tomada pelo presidente Lula e em dezembro já será lançada licitação para a obra gigantesca. A coordenação é do Ministério da Integração Nacional, que tem a frente o cearense Ciro Gomes, cujo estado será beneficiado com a transposição.

Não há qualquer indício de projeto de revitalização do rio São Francisco, o que vai prejudicar principalmente os estados de Alagoas em Sergipe, onde o então candidato Lula da Silva garantiu que não permitira a transposição.

 

GRAZIANO

O assessor especial da Presidência da República, José Graziano da Silva, estará em Aracaju, dia 20, para participar do VI Encontro da Sociedade Brasileira de Sistemas de Produção. O Encontro vai discutir “A Agricultura Familiar e o Meio Ambiente”. Acontecerá no Hotel Aquários de 20 a 22.

Durante as discussões serão abordadas desde a sustentabilidade ecológica e técnico-econômica da Agricultura Familiar, até a formação de novos quadros e competências para o desenvolvimento. A discussão será em duas conferências.

 

É fogo

 

Vários ônibus foram fretados, ontem, para levar torcedores que queriam assistir, ao vivo, ao jogo da seleção brasileira.

 

O TRE já está preparado para realizar as eleições em Lourdes, dia 31 próximo. Lá, o pleito foi anulado em razão da existência de uma menor na chapa.

 

A Gazeta de Sergipe já está em fase de preparação da documentação para a decretação da falência. É uma grande perda para Sergipe.

 

Um grupo de jornalistas está trabalhando para, em cooperativa, fazer com que A Gazeta volte a circular com normalidade.

 

O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, foi calorosamente aplaudido logo após o show do cantor Djavan, domingo passado.

 

Não é bom o estado de saúde do ex-deputado estadual Francisco Teles de Mendonça. Ele está internado na UTI do São Lucas.

 

O secretário da Saúde, Eduardo Amorim (PFL), será candidato a deputado federal nas próximas eleições. Em Itabaiana terá o apoio do grupo de Chico de Miguel.

 

O ex-deputado federal José Teles de Mendonça (PSDB) será candidato a deputado estadual nas eleições de 2006.

 

O vereador Antônio Góes (PT) diz que no dia 2 de janeiro já estará trabalhando para conseguir modificar o Plano Diretor de Aracaju.

 

O prefeito eleito de Canindé do São Francisco, Orlando Andrade (PTB), tem como projeto investir pesado no social.

 

O horário de Verão entrará em vigor dia 2 de novembro, quando os relógios serão adiantados em uma hora. Sergipe fica fora.

 

A produção industrial brasileira em agosto subiu 1,1% perante o patamar apresentado em julho, em termos dessazonalizador.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários