Após denúncia, posto de bombeiros da Orla será interditado

0

Comandante mostra reforma feita no quartel-geral à promotora
A precariedade que se encontra a sede do Agrupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros, na Orla de Atalaia, levou o Ministério Público Estadual (MPE), por meio da promotora Euza Missano, a cobrar rapidez da instituição em melhorar as condições de trabalho dos guarda-vidas. Ficou acordado que aquele posto será interditado.

A denúncia foi publicada na terça, 1º, pelo Portal Infonet.

A promotora foi pessoalmente ao quartel-geral dos Bombeiros, no Centro, conversar sobre a situação com o comandante Nailson. Euza Missano aproveitou para também saber da aquisição de material e melhoria da estrutura física do próprio quartel-geral, cobradas anteriormente pelo MPE. Ouviu do

Reunião foi provocada após denúncias veiculadas pela imprensa
comandante as explicações que queria.

“Algumas questões já foram praticamente decididas. O posto da Orla de Atalaia será fechado por 30 dias para uma reforma e a instituição, junto ao Estado, vai agilizar a construção de uma nova sede que proporcione as condições necessárias aos trabalhadores e assim melhorando este serviço que é imprescindível à população”, fala Euza.

O comandante Nailson foi enfático ao expressar sua decepção com a forma como tudo ocorreu. “Acho que antes de terem procurado a imprensa deveriam ter nos procurado. Iniciamos um processo de reconstrução do Corpo de Bombeiros e uma hora chegaria lá. Com R$ 10 mil eu reformo aquele prédio em 15 dias, mas não posso adivinhar essa necessidade de dentro do meu gabinete”, disse.

Segundo ele, o Corpo de Bombeiros tentou alugar outro prédio para abrigar o Agrupamento Marítimo, mas não encontraram nenhuma construção adequada. As outras obras já realizadas nos últimos meses citadas pelo comandante foram realizadas no quartel-geral, na unidade de Nossa Senhora de Socorro e no Centro de Ensino.

Como foi relatado na reportagem do Portal Infonet, há planos de construção de uma sede para atender a região do litoral aracajuano na rua Niceu Dantas, na Atalaia. O local terá 2 mil metros quadrados e está orçado em mais de R$ 1 milhão. O Corpo de Bombeiros já dispõe dessa quantia em caixa, mas precisa esperar a liberação do terreno, que pertence à Empresa Sergipana de Turismo (Emsetur), e a precisão orçamentária.

Por Glauco Vinícius

Comentários