CAU/SE quer acessar na íntegra projeto do corredor Hermes Fontes

0
Reunião ocorreu na sede da Emurb (Foto: PMA)

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Sergipe (CAU-SE) solicitou nesta terça-feira, 7, durante reunião com a Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), acesso ao projeto geométrico do corredor Hermes Fontes. A entidade emitiu recentemente nota pública manifestando insatisfação com a retirada de árvores do canteiro central da Avenida Hermes Fontes.

Apesar de ter obtido esclarecimentos da Emurb acerca de detalhes do projeto, a presidente do CAU/SE, Ana Maria de Souza, disse que é preciso analisar minunciosamente o projeto original para avaliar pontos de relacionados à cobertura vegetal e à acessibilidade das pessoas. “Precisamos entender quais espécies serão plantadas, o tempo de crescimento e qual o porte terão para fazer o sombreamento. Vivemos em estado com temperatura elevada e precisamos de ambiente urbano ameno e com áreas de sombra. Outro ponto importante é que esse projeto tem que atender as necessidades dos pedestres. Como ficarão os locais de travessia? Não podemos somente pensar em carro e ônibus”, explica.

Na visão da presidente, os projetos para construção de corredores na capital, sobretudo o corredor Hermes Fontes, deveriam ter sido colocados sob consulta pública. “As pessoas precisam participar desse processo porque são projetos que mudam a vida da população e, especialmente, a cobertura vegetal de uma grande avenida da capital. Seria necessário abrir uma consulta popular e disponibilizar na internet para que a sociedade civil, órgãos e movimentos populares saibam o que está acontecendo. No mundo contemporâneo, a participação da sociedade é fundamental na política pública”.

Emurb

A Emurb informou ao Portal Infonet que apresentou durante a reunião todos os aspectos técnicos do Corredor Hermes Fontes e que enviará ao CAU/SE uma cópia do projeto. Ainda segundo a Emurb, o projeto não pode sofrer alterações, pois já foi devidamente analisado e aprovado pela Caixa Econômica Federal.

“Hoje, cada ente federado tem sobre si grandes responsabilidades. As instituições que fiscalizam os convênios e a aplicação dos recursos são rigorosas e vigilantes. Caso a gente não cumpra cada item presente nos contratos, poderemos perder recursos e ainda penalizados penal e administrativamente”, explicou o secretário municipal de Infraestrutura Sérgio Ferrari.

por Verlane Estácio com informações da PMA

Comentários