Designer é morto a tiros em operação da Polícia Civil

0
Clautenis é vítima de uma abordagem policial no Bugio (Foto: Arquivo Pessoal/Facebook)

O designer de interiores Clautenis José dos Santos, 37, foi morto na noite da segunda-feira, 8, vítima de tiros disparados por policiais civis em operação articulada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP). Os familiares reclamam da atuação dos policiais, dizem que Clautenis não tinha envolvimento com crimes e que a vítima teria saído à noite da Casa Paroquial, no bairro Bugio, em Aracaju, com destino à Barra dos Coqueiros, onde residia.

Ieda: primeira informação seria acidente de trânsito (Foto: Portal Infonet)

Clautenis estava com um outro rapaz, vizinho dele na Barra dos Coqueiros, que é funcionário da Casa Paroquial do Bugio. Como a família de ambos residem na Barra, os dois rapazes retornavam no mesmo veículo, com o motorista acionado, pelo funcionário da Casa Paroquial, por meio de um aplicativo.

A técnica de enfermagem Maria Ieda Santos, tia de Clautenis, recebeu a primeira informação de que o sobrinho estava hospitalizado, na área vermelha do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) como vítima de um acidente de trânsito. Posteriormente, uma sobrinha dela ligou novamente já informando que Clautenis estava morto e que não tinha sido acidente de trânsito. “Queremos justiça”, desabafa a tia. “A polícia não devia ter chegado dessa maneira, atirando. Se era para parar o carro, por que não atirou nos pneus?”, questiona. “Mas a informação que temos é que o motorista parou o carro”, complementa.

Clevérton: irmão vinha da Casa Paroquial (Foto: Portal Infonet)

O vizinho de Clautenis, que se encontrava no banco traseiro do veículo, nada sofreu. “Porque ele se abaixou no momento em que os tiros foram disparados”, conta Ieda. O irmão da vítima, Cleverton dos Santos, informou que Clautenis saiu de casa na Barra dos Coqueiros pela manhã, teria passado o dia em Pirambu e, no final da tarde, seguiu para o Bugio, onde jantou na Casa Paroquial com o padre e o funcionário da paróquia, que é vizinho dele na Barra dos Coqueiros. “Como os dois iam para o mesmo destino, pegaram o mesmo taxi e o rapaz, que é funcionário da paróquia, acionou o aplicativo”, contou.

A amizade de Clautenis com o padre da Paróquia do Santos Dumont é antiga, segundo o irmão. O Conforme Cléverton, o padre que atua naquele bairro em Aracaju é o mesmo que atuou por um longo período na Barra dos Coqueiros, onde a família de Clautenis reside. A mudança na paróquia não afastou a amizade entre o padre, Clautenis e os familiares dele.

Mensagem de Jheniffer Kelly: dor e revolta (Foto: Reprodução Facebook)

No Facebook, os amigos de Clautenis postaram várias mensagens, transmitindo solidariedade à família, lamentando a morte do designer de interiores e criticando a ação policial. “Acordar com uma notícia dessas é devastadora. Sem acreditar nisso, mais uma vez a história se repete, polícias que deveriam zelar pelo bem estar das pessoas tiram suas vidas de formas irresponsáveis. Meu amigo Clautenis Jose pessoa de bom coração, falei um dia desses com você e agora essa triste notícia”, destacou Jheniffer Kelly, em uma das mensagens destacadas no Facebook.

Operação

De acordo com informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Segurança Pública, a operação policial foi articulada como consequência de uma investigação que envolve o roubo de veículos. A assessoria informou que o caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) e que a delegada Teresa Simony já está ouvindo o depoimento dos policiais civis que participaram desta operação para então saber o que efetivamente aconteceu no local.

por Cassia Santana

Comentários