Família é mantida refém durante 4 horas

0

Mulher conta que foi molestada e agora tem medo de voltar para casa (Fotos: Portal Infonet)
Na última sexta-feira, 6, uma família foi mantida refém de assaltantes durante quatro horas no conjunto Seixas Dória, em Nossa Senhora do Socorro. Os bandidos invadiram a casa por volta de 20h30, quando a família assistia à televisão na sala. Os dois homens armados renderam o motorista E.P.S., de 52 anos, e sua esposa N. S. C. junto com as duas filhas do casal, de 9 e 10 anos.

Depois de entrar na casa os homens levaram toda a família para um dos quartos e amarraram as mãos e pés deles com fios elétricos. Cerca de 20 minutos após a entrada dos homens, uma mulher grávida se juntou ao bando. De acordo com a dona N. S. C. eles queriam dinheiro e objetos de valor da casa. “A mulher veio para ficar nos vigiando enquanto os homens iam colocando os objetos em um carro. Eles roubaram duas televisões, dvd, micro system, perfumes, roupas, dois celulares, cartão de crédito e R$ 200”, diz.

E.P.S. mostra marca de agressão, os bandidos encostaram uma faca em seu pescoço
Após retirar os objetos da casa, os bandidos começaram a torturar a família em busca de mais dinheiro. “Um deles ficou me xingando e ameaçando todo mundo. Quando viram que eu não tinha dinheiro, um dos sujeitos começou a mexer nas minhas partes íntimas. Em seguida os homens agrediram meu marido, colocaram uma faca no pescoço dele e empurraram ameaçando matá-lo. Eles queriam inclusive prender os cachorros da minha casa pra pegar gasolina e botar fogo em meu marido, foi quando um deles disse para o comparsa se acalmar”, conta a esposa.

Antes de sair os bandidos deram um aviso à família: caso eles denunciassem o caso para a polícia eles iriam retornar e matar todos. Mesmo assim, logo depois que os ladrões saíram, por volta das 23h, a dona de casa conseguiu se desprender dos fios e ligou para a polícia, que chegou rapidamente. “Ainda fizemos uma ronda junto com os policiais para ver se encontrávamos os bandidos. Logo após, fomos encaminhados para a delegacia a plantonista, mas o delegado de plantão não nos atendeu, quem atendeu o caso foi a escrivã de polícia, que escreveu o boletim de ocorrências”, lembra.

Insegurança

O casal que agora se encontra em na residência de parentes em Aracaju tem medo de voltar para casa. “Parecia que eles estavam drogados, mesmo assim agora minha família está sendo ameaçada de morte, estamos com medo de voltar para lá. Temo muito pelas minhas filhas”, conta o motorista.

SSP

Em contato com a assessoria de Comunicação da Secretaria de Segurança Pública, o assessor Lucas Rosário informou que nesta segunda-feira, 9, todas as providências começaram a ser tomadas. “O caso já é de conhecimento do secretário João Eloy, da coordenadora de delegacias da capital Catarina Feitosa e vamos apurar para saber se houve erro no atendimento dessa família na delegacia plantonista. Hoje uma equipe já se deslocou duas vezes até a casa dos parentes onde eles estão e a polícia vai atrás dos homens que praticaram essa crueldade”, conta.

matéria alterada às 16h43 para acréscimo de informações

Por Bruno Antunes

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais