Rodovias sergipanas têm 18 pontos vulneráveis de prostituição infantil

0

Em Sergipe, são 18 pontos vulneráveis a esse crime (Fotos: Arquivo Infonet)
Um levantamento apresentado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na última quarta-feira, 6, constatou a existência de 1.802 pontos de risco de exploração de crianças e adolescentes pelas rodovias brasileiras. Nesta quinta-feira, 7, a PRF em Sergipe confirmou que a estimativa de 18 pontos vulneráveis a este tipo de crime no Estado.

Os dados estão de acordo com o Mapeamento de Pontos Vulneráveis à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Federais 2009/2010, publicada em sua quarta edição pela PRF. O levantamento indica que o nordeste é o campeão em pontos vulneráveis. Segundo o assessor de Comunicação da PRF em Sergipe, Flávio Vasconcelos, o Estado possui 18 pontos vulneráveis a esse tipo de ação criminosa espalhados por suas rodovias.

“Aqui foram identificado 10 pontos vulneráveis críticos, seis pontos de alto risco e mais dois de médio risco, não havendo nenhum ponto vulnerável de baixo risco”, explica. Ele esclarece que as definições dos pontos vulneráveis a exploração de crianças e adolescentes tem relação direta com o consumo de drogas e bebidas alcoólicas.

“Além disso, a falta de um conselho tutelar na região facilita esse tipo de crime. A prostituição de adultos também é outro fator relacionado a essas regiões”, aponta. O assessor ressalta que uma particularidade nesses pontos vulneráveis é a grande luminosidade das áreas. “Isso acontece, porque os criminosos acabam identificando as crianças que estão sozinhas e também avaliam o ‘produto’ que querem adquirir”, ressalta.

Medidas

Flávio Vasconcelos, assessor de Comunicação da PRF
O assessor Flávio Vasconcelos esclarece que as pessoas devem estar cientes de que os 18 pontos delimitados não são áreas de exploração, mas sim vulneráveis a esse tipo de crime. “Para isso, a PRF vem monitorando e realizando o mapeamento in loco através de várias situações que levem as ações irregulares e posteriormente às medidas punitivas. Para isso a PRF precisa do apoio da sociedade com as denúncias”, coloca.

Quem souber de qualquer irregularidade relativa à exploração de crianças e adolescentes nas rodovias do Estado, pode entrar em contato com a PRF através do número 191 e fazer a denúncia. “A ligação é gratuita e o denunciante poderá ficar tranqüilo que sua identidade será resguardada, podendo ser até uma denúncia anômima”, conclui o assessor Flávio.

Por Victor Hugo e Kátia Susanna

Comentários