“Mala Sem Alma” em comemoração aos 22 anos do ECA

0

(Foto: Arquivo Portal Infonet)

O Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente-CEDCA/SE comemora os 22 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente com a apresentação do espetáculo “Mala Sem Alma” do Coletivo Teatro de Mala, nos dias 12 e 13 de Julho, às 19h30. A peça é uma coletânea de contos do autor Ewertton Nunes, também responsável pela concepção e direção do trabalho. Os contos mostram de forma poética a realidade do abuso Sexual contra a criança e o adolescente, o trabalho infantil e a violência doméstica, fazendo refletir fortemente sobre direitos humanos de crianças e adolescentes.

A peça “Mala Sem Alma” tem conquistado notoriedade no Estado de Sergipe, consolidando o Coletivo Teatro de Mala como um grupo que sabe integrar de forma muito responsável arte, educação e responsabilidade social. Desde a sua estreia tem sido apresentado de forma gratuita para estudantes das redes municipais e estadual de ensino, além do público em geral; e as apresentações que acontecerão nesta quinta e sexta-feira não serão diferentes. O Coletivo Teatro de Mala, desde a sua estreia, tem circulado pelos municípios sergipanos, participando das ações de promoção, proteção e defesa de direitos de crianças e adolescentes.

Para o Presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, Danival Falcão, a parceria entre CEDCA e o Coletivo tem oportunizado que temas como o enfrentamento do trabalho infantil e a violência sexual e doméstica contra a criança e o adolescente adentrem a escola. “A escola é um espaço privilegiado para trabalhar a prevenção através da reflexão e reação à violação de direitos. É preciso cumprir o que diz a legislação em seu artigo 245, quanto à notificação compulsória ou obrigatória por parte dos profissionais da educação e da saúde. A esses compete noticiar violação de direitos contra crianças e adolescentes. Da mesma forma, estimular alunos a se tornarem protagonistas e disseminadores de seus direitos.”, diz o presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, Danival Falcão.

Segundo o autor e diretor da peça, Ewertton Nunes, o   Coletivo Teatro de Mala tem cumprido os objetivos para os quais nasceu, a proposta do grupo é trabalhar, através das artes cênicas integradas as diferentes temáticas sociais que fazem parte de discussões permanentes em nossa sociedade e são de interesse público, somando a isso uma qualidade estética apurada. O objetivo é contribuir para a ação-reflexão-ação de pautas como a violência, as desigualdades sociais, violação de direitos do homem, dentre outros, contribuindo efetivamente para a transformação do comportamento humano. “O conceito Teatro de Mala é para o grupo, uma forma de fazer teatro a partir das bagagens individuais, as que são trazidas pelos atores e as bagagens coletivas, as que estão no cotidiano. Seria um teatro compacto, porém grandioso, itinerante, mambembe e fundamental. As histórias que precisamos contar estão em nós e podemos ampliá-las coletando o que falta no mundo que nos cerca.” Finaliza, Ewertton Nunes.

As apresentações contam ainda com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura (SECULT), Secretaria de Estado da Educação(SEED), Secretaria Municipal de Educação (SEMED).

Fonte: Ascom CEDCA/SE

Comentários