ORSSE realiza concerto especial em homenagem ao servidor

0

Orquestra Sinfônica de Sergipe (Foto: Divulgação Secult)

No próximo domingo, 23, a Orquestra Sinfônica de Sergipe (ORSSE) dá continuidade a sua temporada de concertos 2011 com mais uma apresentação da série Mangabeiras. Este concerto, inicialmente programado para acontecer no dia 25, é em comemoração ao dia do funcionário público e será realizado no Teatro Tobias Barreto, às 19h. Os ingressos, vendidos a preços populares, já estão disponíveis na bilheteria do teatro.

Mantida pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult) com patrocínio do Instituto Banese e apoio da Fundação Aperipê e da Segrase, a orquestra, nessa apresentação, será regida pelo maestro convidado Cláudio Cohen. Além dele, o solista da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, o sergipano José Batista Júnior, e Gabriel Marin, spalla das violas da Orquestra Sinfônica Brasileira e violista do Quarteto Raga, abrilhantarão a apresentação

De acordo com o o maestro titular e diretor artístico da ORSSE, Guilherme Mannis, o público sergipano será presenteado com os melhores músicos da atualidade. “O maestro Cohen é violinista de formação e trará para Sergipe sua experiência enquanto regente de uma das principais orquestras do Brasil, a Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro”, afirma o maestro titular e diretor artístico da ORSSE, Guilherme Mannis.

O repertório, especialmente pensado para esta apresentação, é composto pelas peças Abertura Egmont, Op. 84, de Ludwig van Beeethoven, Concerto para clarinete e viola, op.88, em mi menor, de Max Bruch e Sinfonia n° 2, op. 61, em Dó maior, de Robert Schumann.

Sobre o repertório

A peça ‘Abertura Egmont’, encomendada a Beethoven em 1809, consiste num conjunto composto pela abertura e mais nove peças para voz e para orquestra, que narram a história da perseguição espanhola ao povo dos Países Baixos durante a Inquisição, nos anos 1567-68.

Conde Egmont é a princípio leal aos espanhóis, porém se sente incomodado quando vê as injustiças cometidas por eles e pede tolerância por parte do Rei espanhol. No entanto, o Rei manda o cruel Duque de Alba para comandar as forças espanholas naquele território e, assim, Conde Egmont é preso e sentenciado à morte. Porém, sua morte como mártir servirá mais tarde como impulso decisivo para a rebelião.

O Concerto para clarinete e viola, op.88, em mi menor, escrito por Max Bruch em 1911, em homenagem ao seu filho Max Bruch Felix. Sua primeira apresentação, em 1912, contou com Willy Hess (viola) e Felix Max Bruch (clarinete) como solistas. É composto pelos seguintes movimentos: Andante con moto, Allegro moderato e Allegro molto.

A Sinfonia n° 2, op. 61, em Dó maior foi escrita por Schumann em dezembro de 1845. Após sofrer um colapso nervoso em agosto 1844, os sintomas agravaram-se, levando-o a uma quase total improdutividade no ano seguinte. E então, de repente, na segunda semana de dezembro, a Segunda Sinfonia começou a aparecer e, em três semanas, já estava pronta. A estréia se deu no dia 5 de novembro de 1846 com a orquestra da Gewandhaus de Leipzig, sob regência de Felix Mendelssohn.

Fonte: Ascom Secult

Comentários