Centrais sindicais fazem panfletagem contra reforma da previdência

0
A votação em plenário do primeiro turno da reforma ocorrerá na próxima quarta-feira, 2 (Foto: Portal Infonet)

Centrais sindicais se reuniram na tarde desta terça-feira, 24, na praça General Valadão, para fazer uma panfletagem contra a reforma da previdência. Segundo as categorias que representam os trabalhadores, a proposta de reforma apresentada pelo Governo Federal compromete a aposentadoria dos cidadãos que estão há muito tempo contribuindo para o desenvolvimento do Brasil.

Presidente da CUT, Rubens Marques, se diz contrário à reforma da previdência (Foto: Portal Infonet)

“Essa reforma não tem nada que acrescente para o trabalhador. Ela só tira. É impossível achar um ponto positivo”, destaca o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Rubens Marques. Segundo ele,  as atividades de panfletagem  são importantes para alertar não só a população, mas também pressionar a classe política, em especial os senadores, que votarão no início de outubro o parecer da reforma na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal. “É possível, sim, a gente barrar no senado. Quando a votação aconteceu na Câmara foi mais difícil pelo número de deputados”, avalia Marques.

Ainda segundo o presidente da CUT, é unânime entre as centrais sindicais o pensamento de que a proposta de reforma não irá agregar nenhum benefício aos trabalhadores. “Há um consenso com os movimentos sindicais que essa reforma não tem nada para salvar. É uma reforma que transfere dinheiro para banco privado. Não há um item sequer bom para o trabalhador”, argumenta Marques.

Seguindo a agenda de manifestações contrárias à reforma, Rubens afirma que na próxima quarta-feira, 2, haverá uma grande manifestação. “Hoje nós estamos fazendo uma panfletagem preparatória para o dia 2, que é quando o Senado vai votar a proposta de reforma em definitivo”, diz.

PEC da previdência adiada

A votação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado do parecer das emendas de plenário à proposta de reforma da Previdência (PEC 6/2019), elaborado pelo relator, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), foi adiada para a próxima terça-feira (1º). Segundo a presidente da CCJ, Simone Tebet (MDB-MS), a votação em plenário do primeiro turno da reforma ocorrerá no dia seguinte, quarta-feira, 2.

por João Paulo Schneider
Com informações da Agência Brasil

Comentários