Fisco: greve prejudica arrecadação do Estado

0

Greve da categoria completa 14 dias
Na manhã desta terça-feira, 1° de dezembro, os Auditores Técnicos de Tributos deverão se reunir com o secretário da Fazenda, João Andrade, para discutir a incorporação da gratificação de produtividade. De acordo com a assessoria de comunicação da Sefaz, o secretário não irá apresentar nenhuma proposta concreta, mas sim discutir a melhor forma de se fazer o pagamento da gratificação pleiteada pela categoria.  

Em café-da-manhã promovido pelo Sindicato do Fisco de Sergipe (Sindifisco/SE), o presidente da categoria, José Alberto Garcez, afirmou que a partir do resultado dessa reunião os servidores irão deliberar se permanecem em greve, que já dura 14 dias. “Espero que o secretário tome alguma posição que acalme os ânimos dos auditores”, declarou. Na tarde desta terça, 1°, a categoria se reúne para discutir o que foi conversado e decidir os rumos da paralisação.

Garcez espera que reunião seja positiva
Neste período de greve o Fisco deixou de arrecadar mais de R$ 130 milhões e por conta disso a secretaria chegou a notificar o sindicato. Mas segundo Garcez, esse valor é referente a um imposto que deveria ter sido cobrado antes às empresas, que é o Documento de Informações Cadastrais (DIC). “Esse já era dinheiro perdido, antes mesmo da greve, pois deviam ter cobrado antes. A culpa não é nossa”, ressaltou o sindicalista.

Independente deste rombo, questionado pelo Sindifisco, a assessoria do órgão afirma que o secretário lamenta a deflagração da greve pois prejudica ainda mais as finanças do estado num momento que deveria ser de grande arrecadação por conta do aumento do fluxo de mercadorias que chegam ao Estado com as festas de final de ano. Por conta desses reflexos negativos já foi feito o pedido de ilegalidade da greve na Justiça.  

Por Carla Sousa

Comentários