PMA divulga tabela comparando preços de medicamentos

0
Fiscais da PMA pesquisam preços de medicamentos (Foto: Hilário Westrup/Secom PMA)

Para os consumidores que buscam economia no momento da compra, a pesquisa de preço é uma grande aliada. A partir dessa prática é possível identificar as melhores condições para efetivar a aquisição de um produto ou planejar o gasto. É justamente para auxiliar os consumidores que a Prefeitura de Aracaju disponibiliza, periodicamente, pesquisas comparativas de preços.

Conheça detalhes da pesquisa neste link

Assim, nesta quarta-feira, 21, por meio do Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Aracaju), da Secretaria da Defesa Social e da Cidadania, a Prefeitura divulga a terceira pesquisa de medicamentos, de 2019. O levantamento, realizado na segunda e terça-feira, dias 19 e 20, contemplou visitas a seis estabelecimentos para a coleta dos dados, cujo objetivo é oferecer uma referência de preço ao consumidor e monitorar o mercado.

Segundo o coordenador geral do Procon Aracaju, Igor Lopes, antes da coleta dos dados o órgão identifica os produtos mais procurados pelos consumidores. “Após essa identificação, selecionamos os estabelecimentos que abrigam o maior número de consumidores, na capital”, ressaltou. Ele enfatiza, ainda, a finalidade do trabalho desenvolvido. “Com as pesquisas, além de proporcionar que o consumidor possa ter conhecimento sobre os estabelecimentos que estejam ofertando o produto de forma mais vantajosa, buscamos, também, estimular o consumo consciente, de maneira que haja a pesquisa antes da realização da compra”, concluiu.

A variação de preços pode ser constatada de maneira expressiva. No caso do antibiótico Claritromicina, por exemplo, foi detectado o menor preço de R$55,55, enquanto o maior preço atingiu R$128,61. Já o analgésico Dipirona (gotas/ 20ml) foi registrado com menor preço de R$4,19, enquanto o maior chegou a R$14,58. O detalhamento dos demais produtos e os respectivos estabelecimentos estão descritos na tabela.

“É importante que o consumidor observe se o número do lote, prazo de validade e data de fabricação, que constam na caixa do medicamento, são iguais aos marcados nas cartelas ou frascos. Além disso, todo medicamento deve possuir o número de registro no Ministério da Saúde”, alerta a Coordenadora de Educação e Pesquisa do Procon Aracaju, Grazielle Nery.

O Procon Aracaju ressalta que as variações e os preços constatados referem-se aos dias em que foram realizados o levantamento, estando, portanto, sujeitos à alteração conforme a data da compra, inclusive, por ocasião de descontos especiais, ofertas e promoções.

Atendimento 

Para realizar denúncias ou esclarecer dúvidas é possível acionar o Procon Aracaju por meio do SAC 151, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. O serviço de agendamento online também está disponível no site procon.aracaju.se.gov.br, e, a partir dele, o consumidor que deseje registrar uma reclamação na sede do órgão pode escolher a data e horário do seu atendimento, conforme disponibilidade.

Produtos pesquisados

Foram coletados os preços de 26 produtos. Os itens contemplados foram os seguintes: Analgésico – Buscopan, Dipirona, Dorflex; Antialérgico – Allegra, Claritin, Desalex; Antibiótico – Ampicilina, Claritromicina; Anticonvulsivante – Égide, Gardenal; Antidepressivo – Amytril, Donaren, Pamelor; Antidiabético – Daonil, Jardiance, Metformina; Anti-Hipertensivo – Aldomet, Clorana, Diupress; Anti-inflamatório – Diclofenaco, Ibuprofeno, Nimesulida; Antiparasitário – Albendazol e Annita; Contraceptivo Hormonal – Mesigyna e Selene.

Fonte: Secom PMA

Comentários