Alunos protestam contra administração municipal

0
Estudantes criticam Secretaria Municipal de Educação pelos transtornos (Fotos: Portal Infonet)

Estudante da rede municipal realizaram uma manifestação de protesto à morosidade para concluir a reforma da Escola Municipal Carvalho Neto, localizada na rua Rio Grande do Sul, no bairro Siqueira Campos, em Aracaju. No início da tarde, os estudantes se concentraram na porta da escola exibindo faixas e com discursos em protesto à postura à direção da escola e também denunciaram a péssima qualidade do transporte escolar.

De acordo com o estudante Igor Santos, representante do segmento dos alunos no Conselho Escolar, a Prefeitura de Aracaju transferiu os alunos para o prédio onde funcionou o antigo Colégio Militar desde o ano passado com o argumento de que as instalações físicas passariam por reforma. “Mas se vê que nada foi feito. A tela de proteção vai desabar a qualquer momento”, alerta Igor Santos.

A manifestação dos alunos ganhou apoio da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), que denunciou supostas tentativas da direção da escola de conter os alunos e reprimir a manifestação. Segundo o estudante Jonathan Hora, representante da UBES, a direção da escola mobilizou a Guarda Municipal para impedir a mobilização. “A Guarda Municipal esteve aqui, mas já saiu. E nós comunicamos que seria uma manifestação pacífica”, contou.

Igor reclama da morosidade da reforma

Além de cobrarem celeridade na reforma da escola, os alunos também cobram melhoria do transporte escolar. “Os ônibus que a prefeitura disponibiliza estão sucateados. Quando chove, chove mais dentro do ônibus do que fora”, enalteceu Hora.

Semed

O assessor de comunicação, Pedro Rocha, informou que a maioria dos alunos que participou da manifestação é da Educação de Jovens e Adultos (Eja) e estudam à noite, assim como o líder da manifestação, que já faz esse ato há dois anos. Ele disse ainda que a Semed não tem nada contra manifestação, mas entendem que o aluno está exagerando e prejudicando aqueles que querem estudar.

De acordo com ele, a Semed age como a lei permite, e em virtude de problemas, o projeto teve que ser refeito. “Solicitamos a licitação, o projeto vai para o planejamento, e depois para o financeiro. Só podemos fazer se tiver dinheiro”, explica. O assessor informou ainda que não há problemas com a frota do transporte escolar, e que os ônibus são de ótima qualidade.

Por Cássia Santana

A matéria foi alterada às 16h37 para acréscimo de informação da Semed.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais