Comentário sobre André Moura gera bate-boca na Câmara de Vereadores

0
Thiaguinho e Emília em discussão no plenário da Câmara (Foto: Portal Infonet)

Logo no início da sessão da Câmara de Vereadores, uma bate-boca iniciado por Emília Corrêa (Patriota) e Thiaguinho Batalha (PMB) tomou conta do plenário nesta quarta-feira, 12. A discussão começou por conta do debate acerca do atraso no pagamento dos artistas locais que se apresentaram no Forró Caju.

Após criticar declarações do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) e do deputado federal André Moura (PSC) sobre a garantia dos recursos, Emília foi interpelada por Thiaguinho, que presidia a sessão, sobre uma determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que regrava discussões em plenário em relação a outros candidatos.

A parlamentar se sentiu constrangida pela interrupção e a confusão começou. “Na hora em que o vereador Américo de Deus (Rede) tocou no nome de André, não houve nenhuma reação. Quando eu falei, houve uma reação. Tem questão de gênero, de desrespeito. Não vou admitir isso em relação à mulher. Ele, na presidência em exercício, mostrou despreparo. Quem me concedeu o aparte foi o orador, e ninguém pode interromper, nem a presidência. Não conhece o regimento e tenta colocar desordem e se impor no grito para uma vereadora”.

Emília ainda criticou o fato de Thiaguinho ser do Partido da Mulher Brasileira (PMB) e, segundo ela, não defender as mulheres. “Não vejo. Quem defende as mulheres aqui sou eu, a vereadora Kitty (Rede), e outros”.

Batalha, por sua vez, rebateu os comentários da colega. “Ela levou para a teatralização. Eu, como presidente, jamais deixaria de proteger os pares. Recebemos uma resolução do TSE afirmando que não poderia falar de determinados candidatos. Jamais poderia deixar isso ser usado com discurso político para se auto promover, visto que ela é candidata. Esse discurso de defesa da mulher já está ‘batido’. No mandato ela sempre fala sobre feminismo, mas se ‘brincar’ ela não tem nenhum projeto relacionado. Alertei o vereador Américo e depois interrompi ela. É a minha função como presidente ter postura”.

Orientação

De acordo com o setor de Comunicação da Câmara de Vereadores, que foi convocado a comparecer ao TSE, houve orientação a eles de que os parlamentares não poderiam utilizar seu tempo de fala na tribuna e em plenário para criticar outros candidatos a cargos nestas eleições. A instrução foi que a mesa diretora deveria interferir nestas situações, e que caso ocorresse na transmissão ao vivo da TV Câmara, o vereador poderia sofrer sanções, e se fosse reprisado pela emissora, o órgão que seria penalizado. A assessoria comentou que os vereadores foram informados do tema.

Por Victor Siqueira

Comentários