Passo Preto faz campanha para devolver dinheiro à Justiça Eleitoral

0
Passo Preto pede desculpa ao povo sergipano e a justiça eleitoral (Foto: Reprodução vídeo)

O ex-candidato a deputado federal pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSol) em Sergipe, Claudinei Rodrigues dos Santos, conhecido como Passo Preto, está fazendo uma campanha com a ajuda dos amigos para arrecadar dinheiro para devolver a verba (R$ 1.904,68) do Fundo Especial de Financiamento de Campanha que recebeu nas eleições de 2018.

Passo Preto não prestou contas a Justiça Eleitoral. O ex-candidato que gravou um vídeo dizendo que gastou toda a verba de campanha com cerveja, afirma que não tinha conhecimento que teria que prestar contas a Justiça Eleitoral.

“Eu não vou mentir, gastei parte do dinheiro com combustível para colocar no meu carro de som para fazer minha campanha, paguei cerca de R$ 300 ao estúdio onde foi gravado meu jingle (música) da campanha e o resto do valor gastei mesmo pagando cerveja para os amigos que pediam. Eu errei, mas eu não sabia que tinha que prestar contas desse dinheiro e nem com o que poderia gastar. Foram feitas reuniões no PSol para orientação dos candidatos, mas fui apenas para uma e não prestei atenção, dormi o seminário todo”, afirma Claudieni Rodrigues, o Passo Preto.

O ex-candidato, que disputou pela primeira vez o pleito eleitoral, conta que os amigos o orientaram a gravar o vídeo. Segundo Passo Preto, seria uma forma de se redimir com a sociedade. “Eu fiz o vídeo e coloquei em um grupo de WhastApp, três minutos depois me arrependi e pedi para ninguém compartilhar, mas ai já era tarde. Eu achava que ia me ajudar, mas o vídeo complicou ainda mais minha situação”, aponta.

Passo Preto garante que o vídeo não foi gravado como forma de chacota e pede desculpas a sociedade e a Justiça Eleitoral. “Eu errei, foi culpa minha, peço desculpas ao povo de Sergipe e a Justiça Eleitoral, em momento nenhum eu fiz isso de gozação, e agora estou tentando concertar o erro. Estou fazendo campanha com os amigos para arrecadar o dinheiro para devolver a Justiça Eleitoral”, diz.

Sobre a possibilidade de ser expulso do Psol e de ser indiciado por apropriação indébita do dinheiro público, Passo Preto disse que já tem um advogado, mas que ainda não conversaram sobre como será feita sua defesa. “Eu ainda vou conversar com meu advogado sobre a possibilidade de ser processado, ele já está trabalhando nisso, mas ainda não falamos sobre isso porque estou muito nervoso com tudo que está acontecendo. Sobre o Psol, o partido não tem culpa do que aconteceu e estão no direito de me expulsar, eu respeito qualquer decisão, estou errado”, ressalta.

PSol

O presidente do PSol em Sergipe, Carlito Lemos, já encaminhou o processo do ex-candidato para a Comissão Nacional de Ética do partido na última quarta-feira, 25, e espera agora que a comissão envie o cronograma do julgamento desse processo e informe as diretrizes do procedimento, a exemplo de oitiva das testemunhas e do Passo Preto.

Entenda

Passo Preto, ex-candidato a deputado federal pelo PSol em Sergipe nas eleições de 2018, não prestou contas dos gastos da campanha a justiça eleitoral e divulgou um vídeo na semana passada afirmando que não poderia fazer a prestação de contas porque tinha gasto o dinheiro recebido do fundo partidário com cerveja, e que os bares não emitiam notas fiscais. Passo Preto disse ainda que conquistou os 376 votos pagando cerveja para os amigos.

O Ministério Público Eleitoral vai apurar a conduta do ex-candidato. A procuradora regional eleitoral, Eunice Dantas, vê indícios de crime eleitoral. Sendo constatado, Passo Preto poderá ser indiciado por crime de apropriação indébita.

Confira o vídeo que o candidato gravou e cita na matéria:

Por Karla Pinheiro

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais