Dados do IBGE mostram deficiência de SE na vacinação contra a raiva

0
Campanha de vacinação ainda não ocorreu neste ano, por causa da pandemia (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Sergipe é o segundo estado do Nordeste que menos vacinou cães e gatos contra a raiva, segundo dados levantados pela Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2019, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Em números absolutos, a partir das amostras coletadas durante a pesquisa, o IBGE calcula que há, pelo menos, um cão em 34,7% dos domicílios de Sergipe, o equivalente a 275 mil residências; enquanto 24,4% dos domicílios têm, no mínimo, um gato.

Ambos os animais precisam receber a dose da vacina antirrábica anualmente. Mas, durante a pesquisa, apenas 62,8% dos tutores dos animais declararam ter vacinado seus bichos nos últimos 12 meses, uma média que coloca Sergipe na penúltima colocação do ranking regional, na frente apenas do Maranhão.

Em Aracaju, o percentual de domicílios com a presença de, pelo menos, um cão é de 26,3%, totalizando cerca de 60 mil residências. Quando de trata de gatos, observa-se a presença de pelo menos um animal em 14,1% dos domicílios, ou cerca de 32 mil residências. 75,9% dos tutores declararam ter vacinado seus animais, o que coloca Aracaju como a terceira capital com pior média do Nordeste.

A raiva é considera uma doença grave ao ser humano e é contaminada por mamíferos, principalmente cães e gatos. A maioria dos casos de contaminação ocorre através da mordida do animal. Entre os sintomas da doença, estão a febre, dor de cabeça, salivação excessiva, espasmos musculares, paralisia e confusão mental – com chances de letalidade. É dever do tutor levar o animal anualmente para tomar a dose da vacina, que é ofertada gratuitamente pelos municípios.

O Secretaria de Estado da Saúde (SES) esclareceu que a responsabilidade pela vacinação é dos municípios. O repasse das doses, no entanto, é feito pelo Ministério da Saúde para as secretarias de estado da saúde que, por sua vez, distribuem aos municípios.

A secretaria Municipal da Saúde informa que, este ano, ainda não houve campanha antirrábica por conta da pandemia. A SMS aguarda orientação do Ministério sobre o calendário e disponibilização dos insumos. A SMS esclarece que, de acordo com estudo da SES, em 2019, Aracaju ficou como baixo risco na classificação de municípios sergipanos com risco de transmissão da doença. Devido a isso, ano passado foi realizada uma intensificação de vacinação para prevenção nas áreas de maior risco, utilizando vacinas que sobraram da campanha de 2018.

O Ministério da Saúde emitiu uma Nota informativa n°51/2019, onde informa intercorrência no cronograma de distribuição das vacinas. Por isso, só enviaria novas doses aos estados que possuem maior risco de transmissão da raiva.

Por Ícaro Novaes

Comentários