Governo e PMA discutirão formas de compensação para a saúde

0
Reunião entre Belivaldo, Edvaldo e técnicos da saúde ocorreu na segunda-feira (Foto: Marco Vieira/Arquivo ASN)

O Governo do Estado e a Prefeitura de Aracaju voltarão a discutir os mecanismos que deverão ser utilizados para criar, no âmbito do poder público estadual e municipal, para compensar o ônus que os problemas decorrentes da falta de prestação de serviço de saúde nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) mantidas pela prefeitura causaram ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). Com a falta de escalas médicas nas unidades da prefeitura, os pacientes foram transferidos para o Huse.

O secretário de comunicação social do Governo, Sales Neto, informou que os detalhes desta compensação serão discutidos nas próximas reuniões que ocorrerão entre as equipes técnicas do município e do governo. O secretário garante que o Huse permanecerá fazendo os atendimentos necessários, por se tratar de unidade porta aberta do Sistema Único de Saúde (SUS), mas alerta que o hospital, de forma unilateral, não tem condições financeiras de arcar com estas despesas.

O secretário explica que os municípios recebem repasses federais para prestar o atendimento ambulatorial. Para Sales Neto, os recursos usados pelo Huse para prestar o atendimento que deveriam ter sido prestados pelas unidades mantidas pela Prefeitura de Aracaju devem ser ressarcidos, de alguma forma. Para tanto, a Secretaria de Estado da Saúde fará uma análise minuciosa dos investimentos para discutir com a prefeitura a forma de compensação, que funcionaria como um encontro de contas.

Na segunda-feira, 7, no auge da desassistência aos pacientes nas UPAs de Aracaju, o governador Belivaldo Chagas (PSD) e o prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) se reuniram e decidiram firmar a parceria para garantir uma melhor atenção à saúde pública e, dentro desta integração, ficou estabelecido que os técnicos da saúde do município e do governo estadual voltarão a discutir a questão na busca de alternativas ainda neste mês.

por Cassia Santana

Comentários