Maternidade faz campanha para aumentar coleta de leite materno

0
Coleta de leite caiu no primeiro trimestre deste ano (Fotos: Ascom/Maternidade Nossa Senhora de Lourdes)

A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), unidade gerida pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), faz campanha para conseguir novas doadoras de leite humano para manter os estoques do Banco de Leite Humano Marly Sarney (BLH). O estoque de leite materno se encontra baixo e há necessidade de leite para nutrir os bebês que nascem na MNSL, classificada como maternidade de alto risco. Hoje, ela conta com apenas 25 doadoras domiciliadas. De acordo com a assessoria de imprensa da maternidade, no primeiro trimestre deste ano foram coletados apenas 150 litros de leite materno quando o ideal seria uma coleta de aproximadamente 400 litros.

Magda Dória destaca os métodos de segurança na coleta e armazenamento do leite materno

A unidade de saúde é porta aberta e atende pacientes de vários Estados. O Relatório Gerencial do Banco de Leite Humano Marly Sarney, em 2017, teve um total de 550 doadoras, beneficiando 1.458 bebês. Já em 2018, foram beneficiadas 1.738 crianças, com 797 doadoras. “Precisamos captar novas doadoras. A voluntária pode fazer a doação em sua própria casa, não sendo necessário se locomover até a maternidade”, informou a enfermeira e gerente do banco de leite, Magda Dória. Ela ressaltou que há um programa de atendimento médico para os filhos das doadoras, que assegura oito meses de acompanhamento médico para o filho.

“O programa de doação pede a colaboração de todas as mulheres saudáveis que desejem ajudar o próximo. Doar é uma forma de salvar vidas. Para entrar nesse voluntariado, basta manter contato com o BLH e manifestar a intenção de colaborar”, disse a gerente do banco de leite.

De acordo com Magda, a MNSL recebe mães com dificuldades de amamentação, independentemente de ser ou não paciente da maternidade. “Na instituição, há sempre uma preocupação de orientar como a mãe deve amamentar o filho, com dicas de como posicionar a criança, como sugar o leite, estimulando o aleitamento materno”, comentou a enfermeira.

A Rede de Bancos de Leite de Sergipe foi criada há 32 anos e tem sido responsável pela redução da mortalidade infantil através do apoio e incentivo ao aleitamento materno. O BLH é responsável por promover o aleitamento materno e executar as atividades de coleta, controle de qualidade, pasteurização e distribuição do leite.

Segurança

O leite humano coletado pela mãe é transportado por funcionário do serviço, que se orienta por regiões/bairros próximos, acondicionando em caixas isotérmicas, contendo gelo reciclável, com termômetro de máxima e de mínima temperatura, o qual é levado o mais rápido possível para o BLH. Lá é passado álcool a 70% em todos os vidros e acondicionado no freezer específico para depois ser pasteurizado.

Para estocar esse leite doado, são necessários frascos de vidros com tampas de plástico, como os de café solúvel. Esse material é esterilizado e seguro, pois é resistente ao congelamento e descongelamento. Esse processo evita que o leite não perca os seus nutrientes. Também não acumula cheiro e nem resíduos com o uso da tampa de plástico.

Centro de Referência

Desde 1988, o Banco de Leite Marly Sarney é o Centro de Referência Estadual em Banco de Leite Humano na promoção do aleitamento materno. Além de prestar assistência aos bebês através do Ambulatório de Amamentação, o banco mantém um estoque para suprir as necessidades de recém-nascidos de baixo peso que não sugam, crianças prematuras, portadoras de doenças infecciosas, com deficiência imunológica ou mesmo que apresentem intolerância a outros leites.

Através de doações de mães, que amamentam e têm excesso de leite, são recolhidos uma média de 100 litros de leite por mês. Todo leite coletado passa por uma seleção rigorosa, para depois ser pasteurizado e armazenado em condições corretas de higienização e acondicionamento, assegurando assim a qualidade do produto e evitando a transmissão de doenças, conforme determina a Rede Brasileira de Banco de Leite Humano.

O banco dispõe de um Ambulatório de Amamentação com uma equipe de especialistas que acompanha o crescimento e desenvolvimento dos recém-nascidos de zero até o 6º mês, em aleitamento exclusivo, sem utilização de chás, sucos ou leites industrializados. O ambulatório também trabalha a prática da amamentação, ensinando as mães nutrizes e gestantes a fazer a ordenha, e tira todas as dúvidas quanto à amamentação.

Horário de Funcionamento: 7h às 18h de segunda à sexta, exceto sábado, domingo e feriados.

Disque Amamentação: (79) 32189424

Com informações da Ascom/Maternidade Nossa Senhora de Lourdes

Comentários