Terapia online deve acontecer em ambiente isolado e sem interferência

0
Terapia online deve acontecer em local tranquilo e sem interferências (Foto: Pixabay)

A situação de pandemia no mundo, o isolamento social e o risco de ser acometido por uma doença nova têm gerado na população uma situação de pânico, medo e ansiedade. Com a recomendação da quarentena as consultas clínicas foram suspensas, e para não deixar os pacientes desassistidos emocionalmente  nesse momento complicado, psicólogos e terapeutas estão optando por atender  seus pacientes online ou até mesmo por telefone.

O Sindicato dos Psicólogos do Estado de Sergipe (SINPSI/SE) baixou uma recomendação para que os profissionais suspendessem as consultas clínicas e mantivessem uma escala de revezamento nos hospitais para assistir os pacientes, e, para as pessoas que necessitam de apoio durante esse período de crise, que as sessões fossem online.

“ Foi criado uma sensação de pânico, de morte, isso gera angústia, estresse, ansiedade, e nós profissionais estamos ajudando essas pessoas a manter a saúde mental através das sessões online. Já existia essa forma de atendimento antes mesmo do vírus, mas agora está mais intensificada”, explica Heitor Freitas, presidente do SINPSI/SE.

O atendimento acontece através de plataformas online em site próprios ou mesmo através de aplicativos que permitem a conexão ao vivo entre paciente e o profissional.  A recomendação é que essas sessões aconteçam em um ambiente tranquilo e isolado. “O paciente precisa estar em seu quarto ou em um cômodo que não seja incomodado e nem tenha interferência de ninguém. O mesmo acontece com o profissional. As sessões online devem acontecer como se estivesse no consultório. Os aparelhos eletrônicos também devem estar desligados”, orienta.

O Sindicato também recomendou aos municípios que forneçam os telefones dos psicólogos da rede de saúde para os pacientes mais necessitados. “ O atendimento online geralmente acontece para pacientes particulares, já que muitos pacientes da rede pública não têm recursos tecnológicos  para um atendimento online. Para esses pacientes foi recomendado que a unidade básica disponibilize o contato do psicólogo para que seja feito o atendimento por telefone”, conta.

Apesar do momento delicado, Heitor pede que as pessoas tenham tranquilidade, atendam as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), sigam as orientações de isolamento e higiene, e cuidem da mente. “Muitas doenças físicas são provocadas pela mente, então precisamos tratar o lado emocional. Já outras não, são doenças que precisam ser tratadas por médios, mas  e o corpo não está bem, a mente também não fica. É preciso um trabalho conjunto. Cuidar do emocional é fundamental para a saúde”, afirma.

Por Karla Pinheiro

Comentários