FMI prevê crescimento de 0,08% esse ano

0

O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou esta semana um relatório que reduz para 0,8% a previsão de crescimento da economia brasileira em 2019. Na avaliação do executivo financeiro Adilson Bretherick, o FMI reviu essa estimativa porque o Brasil ainda não deu todos os indícios de recuperação econômica. “Neste caso, o FMI está dizendo que está pessimista como relação à posição de mercado brasileiro. Está dizendo que o mercado brasileiro deve retrair frente aquilo que ele estava esperando que era uma coisa em torno de 2,1% de crescimento do PIB, reduziu a sua expectativa para 0,08% ou seja, um pouco menos que um por cento”, comentou. Para o economista William Baghdassarian, o FMI alega que essa piora é resultado de um notório enfraquecimento da confiança mediante algumas incertezas sobre a aprovação da reforma da Previdência e de outras reformas. “A gente tem que lembrar que cada vez que a expectativa é alterada, os agentes econômicos decidem investir ou deixar de investir na economia. Vamos imaginar que a Reforma da Previdência corra algum risco de não passar. Eu, como agente econômico, o que eu faria? Eu simplesmente cortaria o investimento privado que eu viesse a fazer, porque eu tenho um governo que tem uma dívida em trajetória explosiva. O mercado, na verdade, trabalha muito por expectativa. Ele antecipa as coisas. Então, na medida em que o ambiente de otimismo voltar, o mercado vai voltar”, afirmou. Para 2020, a expectativa do FMI é de crescimento brasileiro de 2,4%, número que continua abaixo dos 2,5% esperados em abril deste ano.

AL retoma atividades na quinta-feira

A Assembleia Legislativa retoma as atividades na próxima quinta-feira, 1º. de agosto, prosseguindo com as sessões ordinárias diariamente até o dia 15 de dezembro. Hoje, porém, o Legislativo antecipa seu retorno, com uma sessão especial logo mais as dez horas da manhã para lembrar o dia contra o feminicídio, recentemente instituído. A deputada Goreti Reis deverá ser a oradora oficial.

Carlos Brito no Roda Viva

Um sergipano no Roda Viva, o programa de entrevistas de todas as segundas-feiras pela TV Cultura. Foi o sergipano Carlos Brito, ex-Ministro do STF, o entrevistado por uma bancada de dez personalidades, respondendo a perguntas sobre a situação politica do Brasil, e a vida econômica do País. Como era de se esperar, Carlinhos deu um show… Só a lamentar que o programa não é reprisado na grade de programação da própria TV Cultura.

Restrições para gestantes e lactantes

O STF derrubou, por 20 votos a um, trecho da nova lei trabalhista que permitia o trabalho de gestantes e lactantes em atividades insalubres, exceto em caso de atestado médico. O Ministro Marco Aurélio Mello foi o único voto contrário a retirada da norma e vencido pela maioria. A Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) julgada quarta-feira foi apresentada em abril de 2018 pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM). Com a decisão, grávidas e lactantes não poderão de forma alguma trabalhar em ambientes e situações que ofereçam qualquer tipo de risco a elas ouo ao bebê.

Remoção de Caixa D´Água

O deputado Zezinho Sobral quer a remoção da Caixa D´Água que se encontra desativada no Alto do Bomfim, devido a sua deterioração e atos de vandalismos que frequentemente ocorrem ali. Também pede que seja feito o isolamento da outra Caixa D´Água que se encontra em funcionamento nesta localidade do município de Laranjeiras. A solicitação foi encaminhada ao Diretor Presidente da DESO, Carlos Fernandes de Melo e ao Secretário de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, Sr.Ubirajara Barreto. A Caixa D´Água desativada encontra-se nesta situação há mais de duas décadas. O parlamentar informa que ela pode desabar a qualquer momento.

Os ventos preocupavam mais que a chuva

As fortes chuvas que se abateram por Aracaju nestes últimos dias preocupava muito à Prefeitura da Cidade. Mas, mais do que isso, que preocupava mesmo prá valer eram os fortes ventos. Tanto assim que a Prefeitura passou a disponibilizar um novo serviço de alerta a todos aqueles que se cadastrassem na Defesa Civil para avisar sobre as proximidades dos ventos. ”Ventos fortes, acima de 60kms são perigosas principalmente para casas ao largo de nossas costas”. Essa medida certamente contribuiu para que não houvessem maiores desastres durante toda aquelas trovoadas.

Comentários